Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
AGRAVO DE INSTRUMENTO

Pré-visualização | Página 1 de 1

TEORIA DA DECISÃO JURISDICIONAL E RECURSOS NO PROCESSO 
CIVIL – ARA 1224 
 
 
1. AGRAVO DE INSTRUMENTO (artigos 1015 a 1020, NCPC) 
 
 Conceito de Agravo: é o recurso cabível contra as decisões interlocutórias que 
versem sobre o artigo 1015, NCPC (rol taxativo). 
 Conceito de decisão interlocutória (artigo 203, §2°, NCPC): é um dos atos 
processuais praticados pelo juiz no processo, que decide uma questão incidente sem 
resolução do mérito (sem dar uma solução final à lide proposta em juízo que é a 
característica da sentença). 
 Cabimento de Agravo de Instrumento: O CPC/15 taxou as hipóteses de 
cabimento do agravo de instrumento, inviabilizando, consequentemente, a interposição 
desse recurso contra decisões interlocutórias proferidas sobre outros assuntos. 
IMPORTANTE: toda decisão interlocutória proferida, mas da qual não tenha cabimento 
Agravo de Instrumento, não se sujeita à preclusão, podendo e devendo ser objeto de 
preliminar de apelação ou suas contrarrazões. 
 Neste sentido, destaco a análise da Relatora Ministra Nancy Andrighi no Resp 
1704520-MT: 
 “Não há dúvida de que o novo CPC modificou substancialmente o regime de 
preclusões do processo. Pelo novo regime, apenas precluem as decisões que 
possuam o conteúdo descrito nas hipóteses previstas no art. 1015 do NCPC e que não 
tenham sido impugnadas por agravo de instrumento, ficando todas as demais questões 
imunizadas pelo sistema até o momento futuro – prolação da sentença – ocasião em que 
as questões, até então imunes, deverão ser impugnadas pela parte no recurso de 
apelação ou em suas contrarrazões sob pena de, a partir desse momento, tornarem-se 
indiscutíveis.” 
 Prazo do agravo de instrumento: o prazo para interposição de agravo de 
instrumento é de 15 dias úteis, contados da data da intimação da decisão (a partir do 
primeiro dia útil subsequente à publicação da decisão recorrida). 
 O agravo de instrumento é um recurso dirigido diretamente ao Tribunal de Justiça 
ou ao Superior Tribunal de Justiça (ad quem), a fim de reanalisar pronunciamento judicial 
de natureza decisória que não coloque fim ao processo (decisão interlocutória). 
 A petição escrita deve conter: os nomes das partes; exposição dos fatos e do 
direito; as razões do pedido de reforma ou da invalidação da decisão; o pedido; o nome 
e endereço completo dos advogados das partes. 
 Os documentos que acompanham a petição de interposição, e dão razão ao 
instrumento, estão previstos no artigo 1017, NCPC. 
 Juízo de retratação (artigo 1018, NCPC): possibilita ao juiz que proferiu a 
decisão agravada modificar o seu entendimento, levando em consideração as razões 
contidas no agravo. Para isso, a parte deve comunicar ao juízo a interposição do recurso, 
juntando cópia do agravo de instrumento, comprovante de interposição, bem com 
informar as peças que seguiram com o agravo. Se o juiz reformar a decisão, o agravo 
perderá seu objeto e o relator o considerará prejudicado. 
 Efeitos: o recurso de agravo de instrumento no NCPC não é dotado de efeito 
suspensivo automático (ope legis) ficando a critério do julgador a atribuição de efeito 
suspensivo ao recurso (ope judicis). 
 Assim, distribuindo o agravo de instrumento ao tribunal, o recurso será sorteado 
ao relator. Ele poderá, liminarmente, atribuir efeito suspensivo ao recurso, ainda que a 
outra parte não tenha se manifestado, ou deferir tutela total ou parcial, comunicando de 
imediato ao juiz a sua decisão.