Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
AULA 8 - APELAÇÃO

Pré-visualização | Página 1 de 1

TEORIA DA DECISÃO JURISDICIONAL E RECURSOS NO PROCESSO 
CIVIL – ARA 1224 
 
 
1. AULA 8 – APELAÇÃO (artigo 1009 e seguintes, NCPC) 
 
Conceito de apelação: é o recurso cabível contra sentença terminativa (quando 
põe fim ao processo, mas não julga o mérito) ou sentença de mérito (exceção: artigo 
356, §5°, NCPC). 
Conceito de sentença: artigo 203, §1°, NCPC. 
Objetivo do recurso: o recurso de apelação visa a obtenção da reforma total ou 
parcial da decisão impugnada, ou mesmo sua invalidação. 
Objeto: a apelação é cabível de toda e qualquer sentença seja proferida em 
processo de conhecimento ou de execução (art. 925, NCPC), ou em qualquer tipo de rito 
(comum e especial) tanto em jurisdição voluntária quanto contenciosa. 
Legitimidade: artigo 966, NCPC. 
 
APELAÇÃO EM DECISÕES INCIDENTAIS (excluída do agravo de instrumento) 
 O NCPC aboliu o agravo retido afastando a necessidade de interposição imediata 
de recurso, para impedir a preclusão, desde que a matéria incidental não conste do rol 
taxativo do artigo 1016, NCPC. 
 Qual seria o recurso para essas demais decisões incidentais? Qual seria o 
momento? Preliminar de apelação ou contrarrazões (artigo 1009, §1°, NCPC). 
 
 INTERPOSIÇÃO: 
 Prazo: 15 dias (artigo 1003, §5°, NCPC), a contar da publicação da 
decisão de que se quer recorrer (artigo 1003, caput). 
 Endereçamento: será dirigido ao órgão prolator da decisão (juízo a quo) 
(requisitos: artigo 1010, NCPC). 
 Manifestações: conterá duas manifestações apresentadas em um único 
momento: 
a) Petição de Interposição: dirigida ao juízo a quo, onde a parte anuncia 
que vai interpor recurso. 
b) Razões recursais: dirigida ao Tribunal, onde o recorrente expõe os 
motivos do seu inconformismo, demonstra porque a decisão deve ser 
alterada e formula o pedido de reforma/nulidade de sentença. 
“Tantum devolutum quantum apelatum”: o pedido de nova decisão delimita o 
objeto do recurso. Apenas a matéria impugnada é transferida ao conhecimento e 
apreciação do tribunal. 
Apelação genérica: é vedado ao recorrente interpor apelação genérica. As faltas 
das razões do pedido de nova decisão impedem o conhecimento da apelação. 
Apresentação de documentos da apelação: os documentos, em regra, somente 
se forem destinados a provar fatos novos (artigos 435 e 1014, NCPC). 
Do que se recorre? Artigo 1013, NCPC. 
Na apelação, denunciam-se os erros ou vícios de juízo, chamados error in 
judicando e error in procedendo ou vícios do procedimento. 
Ex.: Erros de juízo (ligados ao juízo de mérito) – má valoração de uma prova 
acostada aos autos. 
Ex.: Erros de procedimento (ligados ao procedimento) – julgamento antecipado 
da lide quando não seria o caso (cerceamento de defesa). 
Consequências: 
 Error in judicando: o acolhimento gera a substituição da sentença por um 
acórdão. 
 Error in procedendo: com o acolhimento a sentença é anulada pelo 
Tribunal (não simplesmente substituída). Remete-se os autos à instancia inferior para 
que o juiz profira outra decisão. 
 
Teoria da causa madura: o Tribunal julgará desde logo a lide (artigo 1013, §§3° 
e 4°, NCPC). 
Juízo de retratação (artigos 331, 332, §3° e §7°, 485 do NCPC): não reformada 
a decisão, devem os autos ser remetidos ao tribunal para que seja julgada a apelação. 
Contrarrazões (artigo 1010, §1°, NCPC). 
Juízo de admissibilidade (artigo 1010, §3°, NCPC): caberá exclusivamente ao 
Tribunal. Cumpre ao órgão a quo tão somente processar o recurso. 
Ocorrendo nulidades sanáveis (artigo 938, §1°, NCPC): economia processual. 
Deserção (artigo 1007, NCPC): não cumprir o preparo no prazo devido 
(pagamento das custas recursais). Cumpre ao relator observar. 
EFEITOS (duplo – suspensivo e devolutivo) 
 Efeito suspensivo: a apelação normalmente suspende os efeitos da 
sentença. O efeito suspensivo consiste na suspensão da eficácia natural da sentença, 
isto é, dos seus efeitos normais. 
Hipóteses em que este efeito não existirá: artigo 1012, §1°, I a VI, NCPC, que 
dispõe que este recurso somente será recebido no efeito devolutivo. 
 Efeito devolutivo: ocorre quando mesmo após sua interposição, a 
sentença produz seus efeitos. Possibilidade de o Tribunal de Justiça julgar 
imediatamente o mérito da ação (artigo 1013, NCPC). Princípio da celeridade. A 
apelação devolverá ao Tribunal o conhecimento da matéria impugnada. 
Alegação de questão de fato novo na apelação (artigo 1014, NCPC): caberá 
ao recorrente provar não só o fato como o motivo de força maior que o impediu de argui-
lo no momento processual adequado. 
Reformatio in pejus: a piora da situação da parte, sob o ponto de vista prático, 
quando ocasionada por recurso que ela mesma interpôs não é admitida (entendimento 
jurisprudencial). Foi omisso o CPC/15. 
Processamento em 2° grau: 
 No Tribunal, a apelação será registrada e distribuída, designando-se relator 
(artigo 1011, NCPC), que deverá observar o artigo 992, NCPC. 
 A apelação poderá ser decidida monocraticamente pelo próprio relator 
(artigo 932, III a V, NCPC). Não sendo o caso, elaborará o seu voto para julgamento 
(para câmara ou turma do tribunal), artigo 1011, II, NCPC. 
 O Presidente do tribunal que designa dia para julgamento (artigo 934, 
NCPC). 
2. Possibilidade de sustentação oral (artigo 937, I, NCPC).