A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
5 pág.
ESPÉCIES NORMATIVAS (Medidas Provisórias, Decretos Legislativos e Resoluções)

Pré-visualização | Página 1 de 2

Gostou do material? 
Curte, salva e deixa o seu comentário. 
 
 
 
 
 
Art. 59. O processo legislativo compreende a elaboração de: 
 I - emendas à Constituição; 
 II - leis complementares; 
 III - leis ordinárias; 
 IV - leis delegadas; 
 V - medidas provisórias; 
 VI - decretos legislativos; 
 VII - resoluções. 
 
 
 
5 MEDIDAS PROVISÓRIAS 
 
→ As Medidas Provisórias foram uma inovação da Carta de 1988; 
→ São de autoria exclusiva do Presidente da República; 
→ É ato normativo primário; 
→ Tem força de lei; 
→ Produz efeitos imediatos; 
→ São editadas pelo PR em casos de relevância e urgência; 
→ Só podem ser expedidas quando a relevância da matéria se somar a urgência; 
 
- O que seria essa urgência? Quando, comprovadamente, inexistir tempo hábil para que uma dada 
matéria, sem grandes e inelidíveis prejuízos à Nação, venha a ser disciplinada por meio de lei 
ordinária.” 
 
→ Prazo máximo: 120 dias 
→ É vedada, pela CF, a reedição na mesma sessão legislativa. 
 
 
Art. 62, CF/88: Em caso de relevância e urgência, o Presidente da República poderá adotar medidas 
provisórias, com força de lei, devendo submetê-las de imediato ao Congresso Nacional. 
 § 1º É vedada a edição de medidas provisórias sobre matéria: 
 I - relativa a: 
 a) nacionalidade, cidadania, direitos políticos, partidos políticos e direito eleitoral; 
 b) direito penal, processual penal e processual civil; 
 c) organização do Poder Judiciário e do Ministério Público, a carreira e a garantia de seus membros; 
 d) planos plurianuais, diretrizes orçamentárias, orçamento e créditos adicionais e suplementares, 
ressalvado o previsto no art. 167, § 3º; 
 II - que vise a detenção ou seqüestro de bens, de poupança popular ou qualquer outro ativo 
financeiro; 
 III - reservada a lei complementar; 
 IV - já disciplinada em projeto de lei aprovado pelo Congresso Nacional e pendente de sanção ou veto 
do Presidente da República. 
 § 2º Medida provisória que implique instituição ou majoração de impostos, exceto os previstos nos arts. 
153, I, II, IV, V, e 154, II, só produzirá efeitos no exercício financeiro seguinte se houver sido convertida em 
lei até o último dia daquele em que foi editada. 
 § 3º As medidas provisórias, ressalvado o disposto nos §§ 11 e 12 perderão eficácia, desde a edição, se 
não forem convertidas em lei no prazo de sessenta dias, prorrogável, nos termos do § 7º, uma vez por igual 
período, devendo o Congresso Nacional disciplinar, por decreto legislativo, as relações jurídicas delas 
decorrentes. 
 § 4º O prazo a que se refere o § 3º contar-se-á da publicação da medida provisória, suspendendo-se 
durante os períodos de recesso do Congresso Nacional. 
 § 5º A deliberação de cada uma das Casas do Congresso Nacional sobre o mérito das medidas provisórias 
dependerá de juízo prévio sobre o atendimento de seus pressupostos constitucionais. 
 § 6º Se a medida provisória não for apreciada em até quarenta e cinco dias contados de sua publicação, 
entrará em regime de urgência, subseqüentemente, em cada uma das Casas do Congresso Nacional, 
ficando sobrestadas, até que se ultime a votação, todas as demais deliberações legislativas da Casa em que 
estiver tramitando. 
 § 7º Prorrogar-se-á uma única vez por igual período a vigência de medida provisória que, no prazo de 
sessenta dias, contado de sua publicação, não tiver a sua votação encerrada nas duas Casas do Congresso 
Nacional. 
 § 8º As medidas provisórias terão sua votação iniciada na Câmara dos Deputados. 
 § 9º Caberá à comissão mista de Deputados e Senadores examinar as medidas provisórias e sobre elas 
emitir parecer, antes de serem apreciadas, em sessão separada, pelo plenário de cada uma das Casas do 
Congresso Nacional. 
 § 10. É vedada a reedição, na mesma sessão legislativa, de medida provisória que tenha sido rejeitada 
ou que tenha perdido sua eficácia por decurso de prazo. 
 § 11. Não editado o decreto legislativo a que se refere o § 3º até sessenta dias após a rejeição ou perda 
de eficácia de medida provisória, as relações jurídicas constituídas e decorrentes de atos praticados 
durante sua vigência conservar-se-ão por ela regidas. 
 § 12. Aprovado projeto de lei de conversão alterando o texto original da medida provisória, esta manter-
se-á integralmente em vigor até que seja sancionado ou vetado o projeto. 
. 
 
 
6 DECRETOS LEGISLATIVOS 
 
→ O art. 49 da CF alinha as matérias que são da exclusiva competência do Congresso Nacional, 
ou seja, sua inciativa cabe aos membros ou Comissões da Câmara dos Deputados ou do 
Senado Federal e sua tramitação se restringe ao âmbito do CN. Essas matérias são dispostas 
por meio de Decreto Legislativo; 
→ Via de regra, são atos de efeito externo; 
→ O procedimento de elaboração depende do Regimento Interno; 
→ Não há necessidade de sanção ou veto; 
→ Deverá ser aprovado em processo assemelhado ao da Emenda Constitucional ( por meio de 
dois turnos e quórum de 3/5 dos membros de cada casa); 
 
 
 Art. 69, CF/88: Art. 49. É da competência exclusiva do Congresso Nacional: 
 I - resolver definitivamente sobre tratados, acordos ou atos internacionais que acarretem 
encargos ou compromissos gravosos ao patrimônio nacional; 
 II - autorizar o Presidente da República a declarar guerra, a celebrar a paz, a permitir que forças 
estrangeiras transitem pelo território nacional ou nele permaneçam temporariamente, ressalvados os 
casos previstos em lei complementar; 
 III - autorizar o Presidente e o Vice-Presidente da República a se ausentarem do País, quando a 
ausência exceder a quinze dias; 
 IV - aprovar o estado de defesa e a intervenção federal, autorizar o estado de sítio, ou suspender 
qualquer uma dessas medidas; 
 V - sustar os atos normativos do Poder Executivo que exorbitem do poder regulamentar ou dos 
limites de delegação legislativa; 
 VI - mudar temporariamente sua sede; 
 VII - fixar idêntico subsídio para os Deputados Federais e os Senadores, observado o que dispõem 
os arts. 37, XI, 39, § 4º, 150, II, 153, III, e 153, § 2º, I; 
 VIII - fixar os subsídios do Presidente e do Vice-Presidente da República e dos Ministros de Estado, 
observado o que dispõem os arts. 37, XI, 39, § 4º, 150, II, 153, III, e 153, § 2º, I; 
 IX - julgar anualmente as contas prestadas pelo Presidente da República e apreciar os relatórios 
sobre a execução dos planos de governo; 
 X - fiscalizar e controlar, diretamente, ou por qualquer de suas Casas, os atos do Poder Executivo, 
incluídos os da administração indireta; 
 XI - zelar pela preservação de sua competência legislativa em face da atribuição normativa dos 
outros Poderes; 
 XII - apreciar os atos de concessão e renovação de concessão de emissoras de rádio e televisão; 
 XIII - escolher dois terços dos membros do Tribunal de Contas da União; 
 XIV - aprovar iniciativas do Poder Executivo referentes a atividades nucleares; 
 XV - autorizar referendo e convocar plebiscito; 
 XVI - autorizar, em terras indígenas, a exploração e o aproveitamento de recursos hídricos e a 
pesquisa e lavra de riquezas minerais; 
 XVII - aprovar, previamente, a alienação ou concessão de terras públicas com área superior a dois 
mil e quinhentos hectares. 
 
 
 
7 RESOLUÇÕES 
 
→ As resoluções dispõem sobre matérias de competência privativa da Câmara dos Deputados, 
do Senado Federal ou do Congresso Nacional; 
→ Os projetos de resolução do Senado têm sua tramitação iniciada pelos Senadores ou 
Comissões da Casa; 
→ Via de regra, são atos de efeito interno; 
→ Tem função fiscalizatória; 
→ São feitos por sistemas internos e por controle externo;

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.