A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
Sentimentos e sistema Imunológico

Pré-visualização | Página 1 de 1

Psiconeuroimunologia
Influência dos sentimentos no sistema Imunológico
O sistema endócrino está interligado com o sistema Imunologico. 
Sistema nervoso: Adrenalina modulam sistema Imunologico = Tríade
- Se o estímulo externo for ao sistema imunologico e nao ao sistema neurológico: o contato com antígeno estimula endócrino que faz feedback com sistema nervoso que faz contato com sistema imunologico
- Essa tríade é a base dessa área de estudo
Fatores ambientais : percepção individual (atividades rotineiras)
 - estímulos negativos: atividades que fazemos sem gostar
 Eustress: informações que causam impacto – preocupações
 Distress: informações negativas, descarga de sentimentos negativos
Estímulo: hormônio corticotrofina – glicocorticóides : pico dessa produção gera feedback negativo – sinalização que não é mais necessário (eixo hipotalamico hipofisário adrenal) 
Cortex pré frontal: sentimentos, tomada de decisões, raciocínios
 - Relação complexa faz ser humano remoer e quebrar o equilíbrio entre os eixos : stress
· Estímulos físicos, psicológicos e comportamentais influenciam nosso sistema Imunológico. 
· Perturbação do estado interno: desequilíbrio
Sindrome da adaptação geral: o corpo se adapta a situações de agentes estranhos no corpo e no ambiente. Conjunto de respostas imprecisas de defesa.
 - adaptação orgânica ao causador: fase de alerta – reconhecimento do agente causador de desequilíbrio – resposta orgânica rápida (luta ou fuga) – descarga de noradrenalina e adrenalina (mulher tem maior sensibilidade a essa fase, variações hormonais durante o mês influencia).
 - aumento do nível de cortisol: diversos sintomas, interrupção da homeostase glicêmica, etc, mobilização do sistema imunológico (+ macrófagos, citoxicidade celular, + citocinas pro inflamatórias)
Em caso de resistência, há:
 - adaptação buscando homeostase. Instabilidade no eixo HIA, que mantém níveis de cortisol entre normais e elevados, que estimulam que o eixo seja ativado – gatilhos somáticos estimulam o eixo ainda mais
 - Fase de Exaustão: Agente causador permanece. Fase mais crítica com processo de alerta
 -queda brusca de cortisol
Em caso de persistência, há um ciclo de exaustão e resistência.
- Aumento de gliconeogênese e lipolise
- mobilização e desanimação de proteínas do músculo esquelético (prejudica a hiperteofia)
- Alteração na resposta Imunologica (+ citocinas pro inflamatórias- gatilhos para alergia, doenças auto imunes etc)
- Alteração de tempo de cicatrização
- Desejo pelo açúcar (resistência a insulina devido a altos níveis de cortisol)
- Ânsia por sal (Aumento do cortisol causa alterações no glomérulo renal, absorção de menos íons) 
- Fadiga 
- Letargia
- Depressão/ansiedade – associados a desequilibrio Imunologico
Consequências celulares:
· Pico de cortisol e depois queda – diminuição de produção de anticorpos pelos plasmócitos
· Fases de resistência e exaustão diminuem a citoxicidade: inflamações são comuns em momentos de stress
 - imunovigilância diminui (identifica células, proteínas e estruturas celulares incomuns no organismo – desenvolvimento de tumores). Ou seja, stress possui impacto no câncer, tornando o tumor mais agressivo. 
· Lado bom do stress: 
- na síndrome de adaptação há mobilização energética, que é importante para maior energia e disposição para atividades, para responder melhor ao estímulo. Porém, essa fase deve cessar para que não entre em resistência e exaustão.

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.