A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
Reumatologia: OA, Artrite Infecciosa, Artropatias por Cristais, Febre Reumática, Policondrite Recidivante, Fibromialgia

Pré-visualização | Página 1 de 1

REUMATOLOGIA IV
OA, Artrite Infecciosa, Artropatias por Cristais, Febre Reumática, Policondrite Recidivante, Fibromialgia
Febre Reumática
Ocorre por um mimetismo molecular em decorrência de uma infecção pelo Streptococcus β-hemolítico do grupo A! É uma reação autoimune cruzada, levando à uma doença inflamatória sistêmica aguda.
Manifestações clínicas
· Poliartrite migratória assimétrica de grandes articulações
· Duração de 2 a 4 semanas
· Pancardite – dura em média até 2 meses
· Endocardite – lesão valvar
· A mais acometida é a valva mitral, seguida pela valva aórtica.
· A endocardite aguda causa insuficiência valvar, gerando um sopro de regurgitação.
· A endocardite crônica cursa com estenose valvar, gerando um sopro de ejeção.
· Miocardite – maioria é assintomática
· Pericardite – dor torácica, atrito pericárdico, supra ST “disseminado” no ECG
· Eritema marginatum - < 1% dos casos; não dói ou coça. Migratório, associado à cardite.
· Nódulos subcutâneos – apenas 1% dos casos; indolores, duram 1 mês, associados à cardite.
· Coreia de Sydenham – hipotonia + hipercinesia. É limitada, melhora com o tempo.
· Mais comum em meninas, 1 a 6 meses após a FRa. Melhora com o repouso, piora com o stress e associa-se a labilidade emocional.
· Pode surgir muito tempo após o primeiro episódio de FRa.
Laboratório
· ↑ PCR - primeiro marcador a aumentar e a normalizar. Ajuda no diagnóstico, mas não p/ acompanhar.
· ↑ VHS – segundo a aumentar e normaliza com o tratamento. Ruim p/ acompanhamento.
· ↑ Mucoproteína (Alfa-1-glicoproteína ácida): demora para aumentar, mas só normaliza com o término da inflamação, ou seja, quando a criança melhora. Boa para acompanhar, não para diagnosticar.
Diagnóstico - Critérios de Jones Modificados (2015):
	Diagnóstico – Critérios de Jones Modificados (2015)
	Critérios maiores
	Critérios menores
	Artrite (60 – 80%)
	Artralgia
	Cardite
	Febre
	Sydenham
	Alargamento do intervalo PR (BAV 1º grau)
	Eritema marginado
	Aumento do VHS ou PCR
	Nódulos subcutâneos
	---
	Necessário 2 critérios maiores ou 1 maior + 2 menores
+
Critério Obrigatório → Infecção faríngea estreptocócica recente, por sorologia (ASLO) ou cultura ou teste rápido!
Observações:
· Coreia isolada = febre reumática!
· FR recorrente (moderado/alto risco, ex.: Brasil): 3 menores + obrigatório = FR!
· Definição de alguns critérios
· Baixo risco (EUA): artite = poliartrite; febre > 38,5°C; VHS > 60
· Moderado/alto risco (BR): artrite = poliartrite ou monoartrite ou poliartralgia; febre > 38°C; VHS > 30
Tratamento
· Fase aguda
· Erradicação do S. pyogenes (SGA): Penicilina G benzatina IM dose única
· Artrite: AAS
· Cardite: corticoide (prednisona)
· Coreia: fenobarbital, haloperidol, ácido valproico
· Profilaxia
· Primária: até 9 dias → Penicilina G Benzatina IM dose única
· Tratamento adequado antes que a FRa se manifeste.
· Secundária: Penicilina G Benzatina IM 21/21 dias
· Indivíduos que já tiveram FRa.
· Sem cardite: até 21 anos (mín. 5 anos após o último surto)
· C/ cardite curada, insuficiência valvar residual ou resolução da lesão valvar: até 25 anos (mín. de 10 ano após último surto)
· Lesão valvar moderada/severa: até 40 anos (ou toda a vida)
Gota – Artrite por Cristais de Urato Monossódico
Doença metabólica que cursa com precipitação e cristalização do ácido úrico, quando este encontra-se acima de 7,5 mg/dL.
Mais comum em homens.
Divide-se em quatro etapas, e a partir da segunda etapa pode cursar com nefrolitíase:
1. Hiperuricemia assintomática
· Só hiperuricemia por anos...
2. Artrite gotosa aguda
· Monoartrite de início súbito, com duração de 3 a 10 dias
· Atinge principalmente a 1ª MTF (podagra), e também, em ordem decrescente de incidência, metatarsos, tornozelos, calcanhares e joelhos.
· Pode acontecer com ácido úrico normal!
· Deve-se realizar o diagnóstico nesta fase!
 
3. Gota intercrítica
· Período assintomático entre as crises
4. Gota tofosa crônica
· Acúmulo de cristais + tecido granulomatoso (cartilagens, tendões, partes moles, rim...)
Diagnóstico
· Monoartrite → análise do líquido sinovial
· Cristais com forte birrefringência negativa dentro dos leucócitos
Tratamento
· Crise de artrite gotosa
· AINEs (1ª linha)
· Colchicina (2ª linha) – inibe a movimentação dos leucócitos, impedindo sua fagocitose e evitando a inflamação
· Corticoides – ACTH
· NÃO fazer AAS ou alopurinol!!! O ASS pode elevar e diminuir o urato, e o alopurinol facilita a solubilização dos aglomerados de cristais, piorando a dor (“Efeito Toddy”).
· Se o paciente em uso de alopurinol deflagrar uma crise, manter a medicação!
· Profilaxia das crises
· Colchicina 0,5mg 12/12h – paralisa os leucócitos e permite diminuir o ác. úrico!
· Redução da uricemia
· Redução da síntese: alopurinol (é o mais usado)
· Aumento da eliminação: uricosúricos → probenecida e narcaricina
· Apenas em < 60 anos, < 600mg na urina, sem nefrolitíase
· Dosar ácido úrico em urina de 24h; se baixo, uricosúricos; se alto, alopurinol!

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.