A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
ATIVIDADE AVALIATIVA II SISTEMAS CONTABEIS

Pré-visualização | Página 1 de 1

ROSIANE CRISTINA DE OLIVEIRA CONCEIÇÃO
R. A. 8059466
CIÊNCIAS CONTÀBEIS
ATIVIDADE AVALIATIVA 2
QUAIS AS PRINCIPAIS CARACTERISTICAS DE UM SISTEMA GERENCIAL EFICIENTE
Avaliação desenvolvida na disciplina Sistemas Contábeis sob a orientação do profª. Marcos Roberto Rodrigues, para obtenção de nota parcial. 
BATATAIS
2021
QUAIS AS PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS DE UM SISTEMA GERENCIAL EFICIENTE,
Com toda a certeza, a tecnologia de informação tem muito a ajudar dentro de uma organização ao unir e transformar dados soltos em fontes de informações importantes para a empresa, como organizar projetos, automatizar processos de marketing, e assim por diante. É claro que uma inteligência humana deve estar por trás desse comando, mas a solução de problemas hoje pode ser repassada para um sistema de informação ajudar muito na tomada de decisões mais assertivas. Para isso é importante processar os dados da empresa, decodificá-los e entender se o sistema requerido é aberto ou fechado, ou seja, se sofre influência de ações externas ou não. Considerando que um Sistema é uma maneira pré-estabelecida de desempenhar um conjunto de atividades, e que Controle Gerencial é o sistema usado pela administração para controlar as atividades da organização, que tipos de Sistemas de Controle Gerencial existem e quais são as suas principais características?
Gomes e Salas (2001) apontam que, basicamente, existem quatro tipos de Sistemas de Controle Gerencial: Familiar, Ad-Hoc (Para determinado fim); Burocrático e Por Resultados. Em seu livro “Controle de Gestão: Uma Abordagem Contextual e Organizacional” também mostram as características de cada um destes tipos de controle, bem como, suas principais limitações.
Sistema de Controle Gerencial Familiar:
– É utilizado em empresas em que a menor dimensão ou a estabilidade do contexto social facilitam um controle mais informal;
– É mais encontrada em empresas que dão ênfase às relações pessoais e onde a liderança assemelha-se à de um pai;
– A gerência realiza um controle muito centralizado, com certa delegação;
– Não se atribui muita importância aos mecanismos formais e aos sistemas de controle financeiro;
– A empresa é dependente da visão do líder;
– As atividades rotineiras tem limitada formalização.
As principais limitações deste tipo de controle são: A empresa ter dificuldades para se voltar para um ambiente mais competitivo; a empresa crescer de tamanho com um baixo nível de controle; a fidelidade ao líder prevalecer em detrimento da eficiência e eficácia da organização.
Sistema de Controle Gerencial Ad-Hoc (Para Determinado fim):
– É utilizado em empresas de dimensão regular que operam em ambientes hostis e bastante complexos;
– Utiliza mecanismos não formais que promovem o autocontrole;
– Desenvolve-se em estruturas bastante descentralizadas;
– Utiliza-se pouco das medidas financeiras;
– É encontrado em atividades pouco estruturadas realizadas por pessoas de alto nível de profissionalização;
– A gerência é empreendedora e busca consenso de seus comandados, uma vez que a cultura é bastante individualista.
Suas principais limitações são: Difícil implementação fora dos segmentos de design, publicidade, consultoria, escolas de negócio; a falta de atividades rotineiras dificultam a formalização dos processos da empresa e, consequentemente, a transformação das inovações criadas em negócios.
Sistema de Controle Gerencial Burocrático:
– É utilizado em empresas de grande dimensão, com um contexto social pouco competitivo, pouco hostil e não muito complexo;
– A gerência baseia-se em normas e regulamentos bastante rígidos, com grande número de cargos de chefia;
– Existe a delegação, mas com baixo grau de autonomia;
– Sistemas de controle financeiro sofisticados, totalmente baseados em medidas contábeis, e muito poucos instrumentos gerenciais;
– Cultura organizacional paternalista e avessa às mudanças;
– Estrutura organizacional com decisões centralizadas e um tanto fechadas para informações do ambiente externo;
– As estratégias são de curtíssimo prazo e a atenção da empresa é voltada para as suas operações.
As limitações deste tipo de sistema de controle são: Diminuir a motivação dos empregados; a distribuição do orçamento ser orientada mais pela política do que pelo resultado; a exposição da empresa a um ambiente mais dinâmico e competitivo ficar comprometida por sua baixa velocidade de resposta.
Sistema de Controle Gerencial por Resultados:
– É utilizado em empresas de grande dimensão que estão submetidas a um contexto social muito dinâmico, hostil e complexo;
– A estrutura é descentralizada em centros de responsabilidade, baseados em sistemas de controle financeiro com grande formalização e critérios contábeis e não contábeis;
– A estratégia é formalizada com ênfase no curto prazo e no mercado;
– A gerência se utiliza de sistemas que interligam as estratégias, diretrizes e metas com planos de incentivo baseados nos resultados, abrangendo preços de transferência e orçamento profissional;
– Cultura voltada para resultados através da avaliação de desempenho dos centros de responsabilidade.
Seus principais limitantes são: A definição clara do horizonte temporal (curto, médio ou longo prazo) muitas vezes é obscura; a fragilidade do próprio conceito de resultado, muitas vezes mal definido, pode reduzir a motivação e a participação das pessoas no processo de obtenção dos resultados; a definição dos mecanismos de controle necessita da participação das pessoas envolvidas, o que não é simples de ser realizado.

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.