A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
35 pág.
Regulação da puberdade&ciclicidade e

Pré-visualização | Página 1 de 1

REVISÃO CONTROLE HORMONAL
Regulação da reprodução
Vida reprodutiva
Regulação da reprodução
Regulação da puberdade
 Puberdade (pubscere) 
aquisição da competência reprodutiva
 Fêmea: Cio seguido de ovulação e fase 
lútea de duração normal 
Macho: Ejaculado com características 
específicas (volume, concentração, 
vitalidade). Novilhos: 50x106 e >10% 
Mobilidade progressiva
Regulação da puberdade
 Puberdade
 Ativação do eixo reprodutivo 
(recorrente em espécies 
sazonais durante a vida 
reprodutiva)
Regulação da puberdade
Causa de inactividade
pré-puberdade:
 Imaturidade hipotalâmica 
principal fator que 
limita a atividade sexual 
 Sensibilidade aumentada a 
Retroalimentação – aos E2 
Regulação da puberdade
 Puberdade resulta da integração de 
informação: 
 Interna: Genética e estado metabólico 
interno
 Externa: fotoperíodo e estímulo socio-
sexual
 Como?: envolvimento ou não E2 
(esteróide-dependentes e independentes)
Regulação da puberdade
Regulação da puberdade
 Mecanismos E2-dependentes
◦ Redução da sensibilidade à 
retroalimentação (-): Genética
 Mecanismos E2-independentes: 
fatores metabólicos, ambientais e sociais
Regulação da puberdade
Efeito do Factores Genéticos
Puberdade depende da expressão de vários 
que regulam o eixo reprodutivo
Puberdade na fêmea
◦ Período pré-púbere: 
secreção tônica e 
episódica de GnRH
sofrem retroalimentação 
-/+ E2 
Pré-púbere Puberdade
Puberdade na fêmea
 Redução de sensibilidade a Rt- aumento de 
GnRH/FSH e LH; crescimento folicular; aumento de 
níveis E2; ativa centro episódico GnRH/LH; 
ovulação
SENGER (2003)
Puberdade na fêmea
 Efeito da redução de sensibilidade a Rt-
DAY et al. (1987)
Puberdade no macho
 Ausência do centro de 
secreção episódica 
 Regulação da reprodução 
envolve somente 
retroalimentação negativa
 Redução de sensibilidade a Rt-
aumento de GnRH/LH e FSH, puberdade 
Puberdade no macho
Redução de sensibilidade a Rt-
Efeito dos factores metabólicos
 Consumo energético pós-natal: curva de 
crescimento vs puberdade
◦ Fêmea: necessidade de 
reservas energéticas mínimas 
(depósitos de gordura)
◦ Macho: ≠ da ♀ restrição 
energética atrasa a puberdade 
Efeito da nutrição na curva de crescimento
Efeito dos fatores ambientais 
 Fotoperíodo: ligado a estacionalidade (melatonina). 
Influência na puberdade:
 Sincronização da puberdade ao período reprodutivo 
específico da espécie/raça
 Necessidade de exposição a uma sequência de 
fotoperíodo longo e curto pré-puberdade ou vice-
versa* 
Efeito dos fatores sociais 
 Efeito do grupo:
Senger (2003)
 Efeito macho – bio-estimulação sexual por machos 
ativos, animais androgenizados ou exposição a odores 
masculinos
Senger (2003)
Puberty: Onset of reproductive competence, i.e., both 
behavior and function
Age at Puberty (months)
Female Male
Sheep-Goats 7-10 4-6
Swine 4-7 4-8
Cattle 8-11 10-12
Brahman type cattle 15-18
Horses 15-18 13-18
Onset of puberty more related to development 
than age
% Mature weight at puberty
Dairy Cattle 30-40%
Beef cattle 55-65%
Sheep 40- 63%
NOTE: Maturidade zootécnica: 65 a 70% de PA
Influência dos factores externos
 Importância: sobrevivência (sazonalidade reprodutiva)
 Nascimentos em períodos do ano favoráveis para a 
sobrevivência da cria 
 Factores externos: Alimentação (nutrição), ambiente
(clima) e interação social
Regulação da ciclicidade
 Nutrição
 Balanço energético
Outros nutrientes 
(minerais e vit.)
ROA et al. (2010)
Regulação da ciclicidade
 O papel da glândula pineal
 Regula o efeito do
fotoperíodo (luz do dia)
Genética
 Produz Melatonina que
actua no hipotálamo
 Fêmeas sazonais: melatonina influencia na mudança de
sensibilidade hipotalámica a Rt- pelo E2
Regulação da ciclicidade
 Interação social: olfato (ferromonas), visão, 
audição e contato
 Efeito estimulador (grupo, sexo oposto)
 Efeito inibidor (dominância)
Regulação da ciclicidade
Regulação da ciclicidade
◦ Efeito macho : muito usado para estimular a 
ciclicidade durante o anestro em fêmeas sazonais
Regulação da ciclicidade
 Efeito macho :
◦Mecanismo similar ao da 
activação do eixo 
reprodutivo na puberdade 
◦ O pico de LH ocorre em 
poucas horas
Gelez & Fabre-Nys (2004)
Papel das kisspeptinas na reprodução
 Ausência de Receptores de E2, PR, LP, MT
(??? Sobre eixo reprodutivo antes de 2003) 
Descoberta da mutação do receptor Kiss1 
associada a hipogonadismo (DE ROUX et al., 
2003; SEMINARA et al., 2003) 
Papel das kisspeptinas na reprodução
Na sequência:
 Neurônios kiss1 expressam receptores ERα e 
PR. Neurônios GnRH expressam o receptor das 
kisspeptinas
 Esteroides gonadais, hormonas metabólicas,
Melatonina e ferromonas influenciam expressão 
do gene kiss1 
 Intermediação da
ação dos esteroides
sexuais
OKAMURA; YAMAMURA; WAKABAYASHI (2013)
Papel das kisspeptinas na reprodução
 Intermediação
ação dos esteroides
sexuais e metabolismo 
+/-
E2
Papel das kisspeptinas na reprodução
 Intermediação
ação dos esteroides
sexuais, metabolismo 
e dos factores externos
Papel das kisspeptinas na reprodução

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.