A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
Processamento e apresentação de antígenos proteicos e antígenos não proteicos

Pré-visualização | Página 1 de 1

Processamento e apresentação de antígenos proteicos e antígenos não proteicos
Exi���m ���er��� en��� � p�o��s���en�� ��
M��I e M�� I�?
A função do MHC é ter uma fenda para poder
colocar o epítopo do antígeno de modo a
apresentá-lo ao TCR do linfócito T. Para entrar
em cada fenda há um processamento específico.
Processament� d� MHC-I
Inicia-se uma infecção viral, que fará com que a
célula produza a proteína do agente invasor,
passando então a ter proteínas virais na célula.
Essa proteína será processada pelo proteossomo
através da ubiquitinação, e assim serão liberados
diversos peptídeos, podendo ser alguns deles o
epítopo a ser apresentado ao MHC classe I. Esse
encontro se dará no retículo endoplasmático,
esse peptídeo irá no retículo pelo canal chamado
TAP. Para possuírem o tamanho adequado, há o
ERAP que quebra esse peptídeo a fim de que
caiba na fenda pequena do MHC classe I. Por
fim, vai para o Golgi onde será encaminhado até
a membrana externa ficando disponível o mHC
classe I para interagir com o TCR de um linfócito
TCD8.
A tapasina é uma proteína que liga o TAP ao
MHC classe I, para facilitar que o peptídeo ao
entrar seja quebrada pelo ERAP e já possa
conectar-se a ele e não precise percorrer todo o
retículo buscando-o.
Processament� MHC-II
Normalmente está envolvido um processo de
fagocitose prévia do patógeno, sendo este
antígeno proteico degradado lisossomo. É,
portanto, formado o endossomo que é a junção
do lisossomo com o endossomo.
O MHC de classe II é formado por duas cadeias
proteicas. Há a presença de uma proteína (Li) na
fenda do MHC classe II que protege contra a
entrada de estruturas erradas nele. A diferença é
que a união entre peptídeo e MHC ocorre no
endossomo secundário e não no retículo (no
endossomo estão os peptídeos quebrados e no
retículo e MHC com a proteína que o protege).
Após a junção deles segue para a membrana
para ser exposto e estar disponível para ser
reconhecido pelo linfócito TCD4.
Esse MHC é maior que o I, cabendo, portanto,
maiores peptídeos em sua fenda.
Rafael Augusto @rafael.augustor
Apresentaçã� Cruzad�
Algumas células quando infectadas, precisam
que outras dendríticas as fagocitem para que
assim possa haver o processamento do antígeno,
pois elas têm capacidade de apresentar o
antígeno além de possuir coestimuladores.
Assim, um linfócito TCD8 é estimulado. Esse é o
motivo de haver a apresentação de células
inteiras, para que haja uma melhora no
mecanismo.
Naturez� da� resp�st� da� célula� T
TCD4 ativa no macrófago todo o processamento
de fagocitose, aumentando sua atividade -
potencialização através sinalização de citocinas
Linfócito B serve de APC e apresenta ao TCD4
que estimula o B a produzir anticorpos
Linfócito TCD8 citotóxico é tóxico à célula
apresentando o antígeno à ele, ou seja, induz que
a célula infectada entre em apoptose.
Rafael Augusto @rafael.augustor

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.