Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
Calêndula

Pré-visualização | Página 1 de 1

Calêndula
Calendula é um gênero que pertence à família botânica Asteraceae, a mesma da margarida, girassol e alcachofra. São conhecidas cerca de 30 espécies de Calêndulas, sendo que a mais cultivada em várias partes do mundo é Calendula Officinalis, a nossa flor da semana. No Brasil, essa espécie recebe diferentes nomes, sendo eles: Calêndula, calêndula-hortense, maravilha, maravilha-dos-Jardins, malmequer, malmequer-do-jardim, flor-de-todos-os-males, margarida-dourada e verrucária. A origem de Calendula Officinalis na natureza não é precisa, mas há indícios de que ocorria de forma nativa no Egito, Europa central, leste e sul, Ilhas Canárias e Região Mediterrânea.
A Calêndula é uma planta herbácea que cresce, no máximo, 60 cm de altura. Mesmo quando há pouca quantidade de água no solo a planta consegue absorver o que precisa, já que possui raízes bem finas e em grande número. As folhas são intensamente verdes, que chegam a ter 20 cm de comprimento, sendo relativamente grandes quando comparadas com a altura da planta. As flores são muito pequenas e se agrupam em inflorescências do tipo capítulo, bem parecidas com as flores dos girassóis, inclusive com cores semelhantes, variando do amarelo ao alaranjado.
O nome Calendula é derivado da palavra latina Calendae que significa “primeiro dia de cada mês”, de onde se derivou também a palavra calendário. O cultivo de calêndula é bastante amplo e está presente em vários lugares do mundo por ser utilizada como planta ornamental, além de ter propriedades medicinais e forte uso na indústria de cosméticos. Quando inseridas em plantações agrícolas, as Calêndulas atuam como inseticidas naturais, já que exalam um odor característico. As inflorescências são utilizadas, tanto popularmente, quanto pela indústria alimentícia, para condimentar sopas, ensopados, omeletes, queijos, carne assada, bem como para colorir manteiga, pudins e licores. As folhas e os caules também são utilizados como temperos. A indústria cosmética e farmácias de manipulação utilizam calêndula na composição de cremes hidratantes e cremes que são utilizados para curar lesões causadas por raios solares, pois a ação cicatrizante da planta é comprovada cientificamente. Além disso, outras atividades farmacológicas já foram comprovadas como: antimicrobiana, fungicida, antisséptica, analgésica, diurética, dentre outras. Apesar de utilizada pela medicina popular, a ingestão de chás preparados de modo caseiro, auxilia no combate a algumas patologias, porém tem potencial abortivo, devendo ser evitado por gestantes.
A calêndula é uma planta que se adapta bem aos solos ricos em matéria orgânica, úmidos e bem drenados. A melhor forma de cultivo é através da semeadura direta no solo. No Brasil, recomenda-se que as sementes sejam semeadas de julho a agosto e a adubação orgânica como cascas de frutas, folhas e esterco auxilia na obtenção de plantas mais resistentes à pragas e doenças.
Apesar de resistir a pouca disponibilidade de água no solo, não tolera a seca, sendo necessário manter o solo sempre úmido, quando plantadas em vasos ou canteiros. A floração mais intensa ocorre no final da primavera até o final do verão. As flores abrem ao nascer do sol e fecham ao entardecer e, dependendo do ambiente, as flores podem ter variações de cor e tamanho. As sementes de calêndula são facilmente encontradas em boa parte do Brasil, em lojas de jardinagem e floricultura.
Características básicas
Pertencente à mesma família das margaridas - Asteraceae - a calêndula (Calendula officinalis) é originária da Europa meridional e se relaciona intimamente com o sol. Curiosamente, essa flor abre suas pétalas assim que o sol nasce e as fecha na hora em que ele se vai. Aliás, seu nome é derivado de uma palavra latina - calendae - que significa "primeiro dia de cada mês", de onde se derivou também a palavra calendário (que, sabe-se, é baseado no ciclo solar).
No Brasil, a calêndula adaptou-se facilmente, especialmente nas regiões Sul e Sudeste. Hoje, ela é cultivada tanto para fins ornamentais como para a fabricação de medicamentos e cosméticos. A flor, de coloração amarelo-alaranjada, caracteriza-se pelo inegável perfume e as folhas são macias e aveludadas. Planta anual, a calêndula pode atingir até 50 cm de altura e apresenta caules ramificados em duas hastes. As folhas inferiores são espatuladas e as caulinares são lanceoladas e alternadas.
Atualmente, as flores cultivadas sem agrotóxicos ou aditivos químicos são comercializadas para consumo em saladas ou acompanhando outros pratos.
Uso medicinal
Muito utilizada na industria farmacêutica.
Conta-se que na guerra civil americana, os médicos que atuavam nos campos de batalha utilizavam as flores e as folhas da calêndula para tratar os ferimentos dos soldados. Anos mais tarde, a ciência comprovou os efeitos que aqueles médicos conheceram na prática. No Brasil o seu uso fitoterápico é aprovado pelo Ministério da Saúde.
A partir da calêndula, a medicina homeopática produz remédios que são usados oralmente, inclusive em períodos pós-operatórios, justamente pelos poderes já citados. Na medicina popular, a planta é muito utilizada para tratar problemas uterinos e cólicas menstruais, estimular a atividade hepática e atenuar espasmos gástricos. É claro que devem ser evitados exageros ou abusos na aplicação de plantas em tratamentos. No caso da calêndula, é importante esclarecer que, em excesso, a planta pode provocar depressão, nervosismo, falta de apetite, náuseas e até vômitos.
Uso cosmético
É na fabricação de cosméticos que a calêndula faz o seu reinado: os diversos princípios ativos da planta são responsáveis pelos eficientes efeitos no tratamento de pele e cabelos. A calendulina, por exemplo, um pigmento que dá a cor alaranjada às pétalas, presente em boas doses nas flores, juntamente com a resina e a mucilagem, são responsáveis pelos poderes regeneradores e cicatrizantes. Outros princípios engordam a lista de propriedades da calêndula, amplamente usada na fabricação de shampoos, loções, sabonetes e cremes. Aliás, ela é uma das bases mais utilizadas na fabricação de produtos indicados para cabelos oleosos e peles com cravos e espinhas.
Os medicamentos usados por via oral e as pomadas devem ser adquiridos em farmácias especializadas.
Cultivo
Para cultivar calêndulas, você vai precisar de um elemento básico: luz do sol. A planta precisa de no mínimo 4 horas diárias de sol direto. A mistura de solo indicada para o plantio deve ser rica em matéria orgânica: 1 parte de terra comum de jardim, 1 parte de terra vegetal e 2 partes de composto orgânico. O ideal é adquirir as mudas já prontas, pois no plantio por meio de sementes o resultado é mais demorado. Lembre-se de regar a planta sempre que a terra apresentar-se seca - como a calêndula gosta de solo sempre úmido, é recomendável regar dia sim dia não e, nos meses mais quentes, todos os dias.