A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
54 pág.
Aula 7- Segunda etapa do Processo de Enfermagem- Diagnóstico de Enfermagem

Pré-visualização | Página 1 de 3

SEGUNDA ETAPA DO PROCESSO DE ENFERMAGEM 
DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM
DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM
MSc Enfª Aliny Gonçalves Batista
OBJETIVOS DA AULA
 Comparar e contrastar um diagnóstico médico com um diagnóstico de enfermagem.
 Listar o processo de desenvolvimento de diagnósticos de enfermagem.
 Identificar a taxonomia de enfermagem da NANDA (North American Nursing Diagnosis Association).
Nesta aula falaremos sobre o diagnóstico de enfermagem segundo NANDA (North American Nursing Diagnosis Association), enfatizando o processo de desenvolvimento de diagnósticos de enfermagem, bem como os componentes da taxonomia de enfermagem de acordo com NANDA.
II ETAPA DE DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM
REPRESENTAM COM MAIS EXATIDÃO, AS RESPOSTAS DA PESSOA, FAMÍLIA OU COLETIVIDADE HUMANA EM UM DADO MOMENTO DO PROCESSO SAÚDE E DOENÇA; E QUE CONSTITUEM A BASE PARA A SELEÇÃO DAS AÇÕES OU INTERVENÇÕES COM AS QUAIS SE OBJETIVA ALCANÇAR OS RESULTADOS ESPERADOS
DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM – PROCESSO DE INTERPRETAÇÃO E AGRUPAMENTO DOS DADOS COLETADOS NA PRIMEIRA ETAPA, QUE CULMINA COM A TOMADA DE DECISÃO SOBRE OS CONCEITOS DIAGNÓSTICOS DE ENFERMAGEM
Ex“Integridade da pele prejudicada na região sacral”. 
Durante essa etapa, os dados coletados na investigação são analisados e interpretados criteriosamente.
II ETAPA DE DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM
A realização de um diagnóstico significa que um problema foi identificado e que ele precisa ser resolvido por meio de uma atuação qualificada, a qual é representada por profissionais com competências sólidas e direcionadas para a resolução do problema
Observe o processo de desenvolvimento de diagnósticos de enfermagem.
II ETAPA DE DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM
Após ter analisado os dados colhidos no histórico e exame físico, identificará os problemas de enfermagem as necessidades básicas afetadas e grau de dependência, fazendo julgamento clínico sobre as respostas do indivíduo, da família e comunidade, aos problemas, processos de vida vigentes ou potenciais. 
DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM
É a segunda etapa para a determinação do estado de saúde – é quando você esclarece a natureza exata dos problemas e os fatores de riscos que devem ser abordados para que sejam atingidos os resultado gerais esperados do cuidado.
DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM
Depois de concluir a história de saúde e o exame físico, o enfermeiro organiza, analisa, sintetiza e resume os dados coletados e determina a necessidade do paciente para o cuidado de enfermagem.
CONCEITO
São os problemas de saúde reais ou potenciais do paciente que podem ser resolvidos pelas ações de enfermagem independentes. Orientarão o enfermeiro no desenvolvimento do plano de cuidado de enfermagem.
NÃO confundir com: 
- Diagnósticos médicos, 
- Tratamentos médicos prescritos pelo médico, 
- Exames diagnósticos
DIAGNOSTICO DE ENFERMAGEM 
Entre os sistemas de classificação de diagnósticos de Enfermagem, destaca-se a Taxonomia NANDA-I, diante de sua ampla utilização em nível nacional e internacional.
​​​​​​​
Essa taxonomia propõe a construção dos diagnósticos de Enfermagem a partir de uma estrutura específica, baseada em três perspectivas e sete eixos.
Em 2018, foi publicada a 11ª edição do Diagnósticos de Enfermagem da NANDA-I, 2018–2020, o qual tem mais de 200 diagnósticos de enfermagem incluídos e agrupados em 13 domínios e 47 classes. 
Esses 13 domínios se referem às áreas de interesse, enquanto as classes ao agrupamento de diagnósticos de enfermagem com atributos ou características comuns.
APLICAÇÃO DO DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM
A partir da adoção da ideia do diagnóstico de enfermagem, fez-se necessária a organização e a sistematização desses diagnósticos, o que ocorreu por meio de sistemas de classificação, como a NANDA, a Classificação Internacional para a Prática de Enfermagem
DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM
Para entender um diagnóstico de enfermagem, é fundamental que o enfermeiro compreenda as três perspectivas de utilização do diagnóstico: centrado no problema, no risco ou na promoção da saúde
É importante que o enfermeiro conheça os sete eixos que qualificam o diagnóstico de enfermagem ao concebê-lo como um instrumento que potencializa a resposta à condição de saúde individual ou coletiva
Esses sete eixos não precisam estar todos presentes em um diagnóstico de enfermagem, no entanto, para compreender a aplicação, é fundamental conhecê-los. 
		
	Eixo 1	O foco do diagnóstico
	Eixo 2	Sujeito do diagnóstico (indivíduo, cuidador, família, grupo, comunidade, grupo social ou coletividade)
	Eixo 3	Julgamento (prejudicado, ineficaz...)
	Eixo 4	Localização (localização- partes/regiões do corpo e funções – bexiga, auditivo, cerebral, etc)
	Eixo 5	Idade (lactente, criança, idoso, adulto) 
	Eixo 6	Tempo (agudo, crônico, intermitente)
	Eixo 7	Condição do diagnóstico (com foco no problema, de risco, de promoção da saúde)
Eixos que devem ser levados em conta no processo diagnóstico
Enfrentamento ineficaz da comunidade: nesse diagnóstico, é possível identificar o eixo 1 (foco no diagnóstico = enfrentamento), o eixo 2 (sujeito do diagnóstico = comunidade), o eixo 3 (julgamento/ modificador = ineficaz) e o eixo 7 (categoria do diagnóstico = com foco no problema). 
 Intolerância à atividade: é possível identificar, nesse diagnóstico, o eixo 1 (foco no diagnóstico = atividade) e o eixo 3 (julgamento/modificador = intolerância).
A seguir estão elencados dois diagnósticos de enfermagem para ilustrar a utilização dos eixos que auxiliam no entendimento deles: 
EIXO 5: IDADE
- Feto: humano não nascido com mais de 8 semanas após a concepção até o nascimento.
- Neonato: criança < 28 dias.
- Lactente: criança ≥ 28 dias e < 1 ano.
- Criança: pessoa com 1 a 9 anos.
- Adolescente: pessoa com 10 a 19 anos.
- Adulto: pessoa com mais de 19 anos.
Eixos que devem ser levados em conta no processo diagnóstico
			EIXO 6: TEMPO
- Agudo: duração < 6 meses
Crônico: duração > 6 meses
Contínuo: sem interrupção; que se mantém sem parar.
Intermitente: que ocorre interrompe e começa novamente; periódico, cíclico.
Eixos que devem ser levados em conta no processo diagnóstico
		Domínios em que são distribuídos os diagnósticos de enfermagem da NANDA
	Domínio 1	Promoção da saúde
	Domínio 2	Nutrição
	Domínio 3	Eliminação e Troca
	Domínio 4	Atividade / Repouso
	Domínio 5	Percepção / Cognição
	Domínio 6	Autopercepção
	Domínio 7	Papéis e Relacionamento
	Domínio 8	Sexualidade
	Domínio 9	Enfrentamento / Tolerância ao estresse
	Domínio 10	Princípios da vida
	Domínio 11	Segurança / Proteção
	Domínio 12	Conforto
	Domínio 13	Crescimento / Desenvolvimento
Os diagnósticos de enfermagem são organizados em domínios e classes e construídos a partir da existência de sete eixos qualificadores, faz-se relevante que o enfermeiro conheça a estrutura de apresentação desses diagnósticos pela taxonomia NANDA-I, a qual é constituída pelo título do diagnóstico, pelas suas características definidoras, pelos fatores relacionados, pelos fatores de risco, pelas populações de risco e pelas condições associadas 
Para organizar os mais de 200 diagnósticos de enfermagem classificados pela NANDA-I, foram estabelecidos 13 domínios e 47 classes 
A taxonomia da NANDA é, atualmente, o sistema de classificação mais usado no mundo.
Traduzida para mais de 17 idiomas, está incorporada a alguns sistemas de informática desses países.
As conferências da NANDA são realizadas a cada 2 anos: em plenária geral, na qual são discutidos e aprovados novos diagnósticos e componentes que integrarão a taxonomia revista.
DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM
DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM
No Brasil, a expressão diagnóstico de enfermagem foi apresentada por Wanda de Aguiar Horta nos anos 1.960, e constitui umas das etapas do processo de enfermagem propostas por essa teórica.
Os diagnósticos de enfermagem são julgamentos clínicos sobre as respostas do indivíduo, da família ou da comunidade a problemas de saúde reais ou potenciais, e proporcionam as bases para a seleção de intervenções de enfermagem e para

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.