Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
25 pág.
Módulo Introdutório - Conhecendo o Sistema Orçamentário-1

Pré-visualização | Página 1 de 7

Módulo - Introdutório
Conhecendo o Sistema Orçamentário
Brasília - 2017
Curso Lei de Diretrizes Orçamentárias 
para Municípios 
Informações:
www.orcamentofederal.gov.br
Secretaria de Orçamento Federal
SEPN 516, Bloco “D”, Lote 8,
70770-524, Brasília – DF, Tel.: (61) 2020-2329
escolavirtualsof@planejamento.gov.br
Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão
Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão
Dyogo Henrique de Oliveira
Secretario de Orçamento Federal: 
George Alberto Aguiar Soares
Secretários-Adjuntos: 
Bruno César Grossi De Souza
Geraldo Julião Júnior
Orlando Magalhães Da Cunha
Márcio Luiz de Albuquerque Oliveira
Diretores 
Clayton Luiz Montes 
Felipe Dariuch neto 
Zarak de Oliveira Ferreira 
Coordenador-Geral de Desenvolvimento Institucional
Marcos da Costa Avelar
Organização do Conteúdo 
Munique Barros Carvalho 
Revisão do Conteúdo 
José Paulo de Araújo Mascarenhas 
Karina Rocha Martins Volpe 
Suzana Ferreira Guimarães
Revisão Pedagógica 
Janiele Cardoso Godinho 
Revisão Gramatical e Ortográfica 
Renata Carlos da Silva 
Projeto Gráfico e Diagramação 
Tiago Ianuck Chaves 
Colaboração 
Rosana Lôrdelo de Santana Siqueira
Bruno Rodolfo Cupertino 
Fernando César Rocha Machado 
Francisca Belkenia Fernandes Sousa 
Karen Evelyn Scaff
SUMÁRIO
Apresentação ................................................................................................. 5
1. Visão Geral do Sistema Orçamentário Brasileiro .........................................5
1.1 Plano Plurianual (PPA) .................................................................................... 8
1.2 Lei de Diretrizes (LDO) .................................................................................... 9
1.3 Lei Orçamentária Anual (LOA) ......................................................................11
2. Ciclo Orçamentário ................................................................................... 14
2.1 Etapas do Ciclo Orçamentário ......................................................................14
3. Leis Orçamentárias ................................................................................... 16
3.1 Prazo das Leis Orçamentárias .......................................................................16
3.2 Vigência das Leis orçamentárias ..................................................................17
4. Conteúdo da LDO ...................................................................................... 19
4.1 Texto da Lei ................................................................................................... 19
4.2 Anexos da LDO .............................................................................................. 21
Revisão do Módulo ....................................................................................... 22
Gabarito Dos Exercícios de Fixação ............................................................... 23
Referencias Bibliográficas ............................................................................. 24
5
Apresentação
Seja bem-vindo ao curso Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para Municípios da Escola 
Virtual SOF. Temos o prazer em tê-lo como nosso aluno e auxiliá-lo na construção do seu 
conhecimento acerca dessa lei que é tão importante para uma boa gestão das contas públicas 
e para a priorização das demandas da sociedade.
O curso tem como objetivo contribuir para o aperfeiçoamento da elaboração da LDO municipal 
por servidores púbicos e instrumentalizar os cidadãos para o acompanhamento deste 
instrumento orçamentário. Para isso, aborda os principais conteúdos relacionados à Lei de 
Diretrizes Orçamentárias no âmbito municipal, tendo como referência o modelo empregado 
pela Administração Pública Federal.
A fim de atender o seu principal objetivo, a dinâmica do curso pode ser resumida da seguinte 
forma:
• Apresentar o embasamento Constitucional e legal da LDO;
• Discutir os principais conteúdos tratados pela LDO Municipal;
• Apresentar trechos de LDO’s Municipais para exemplificar o assunto discutido.
Para facilitar sua aprendizagem, utilizaremos ainda, ao longo de todo curso, exemplos de um 
Município fictício denominado Sofianópolis. É importante ressaltar que esses exemplos são 
apenas ilustrativos, podendo ou não ser adequados à realidade do seu Município.
O participante deverá consultar a legislação municipal e estadual sobre este tema e considerar 
as peculiaridades locais, tendo em vista aplicar os conhecimentos aprendidos com base nas 
especificidades do seu respectivo Município.
1. Visão Geral do Sistema Orçamentário Brasileiro
A Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) é uma lei orçamentária que compreende as metas 
e prioridades da administração pública e tem como principais competências: estabelecer 
metas e prioridades da administração pública; orientar a elaboração da LOA; dispor sobre as 
alterações na legislação tributária; e estabelecer a política de aplicação das agências oficiais 
de fomento.
Todavia, para que possamos explicar de forma detalhada a elaboração da LDO é importante 
entendermos inicialmente o contexto em que ela se insere e sua vinculação com os outros 
instrumentos normativos.
Nesta linha, não podemos deixar de abordar o Sistema Orçamentário Brasileiro. Assim, o 
objetivo desta primeira unidade é apresentar ao leitor a composição do Sistema Orçamentário 
Brasileiro, conceituando seus instrumentos: o Plano Plurianual (PPA), a Lei de Diretrizes 
Orçamentárias (LDO) e a Lei Orçamentária Anual (LOA).
Módulo - Introdutório
Conhecendo o Sistema Orçamentário
6
Para começar nosso estudo a respeito desse assunto, convidamos você a refletir sobre as 
seguintes questões:
• De quem é a competência para elaborar o orçamento do seu Município?
• Quais as consequências caso não houvesse a elaboração de um orçamento municipal?
O orçamento público é uma peça de planejamento por meio da qual o governo estima as 
receitas que irá arrecadar e fixa as despesas que serão realizadas durante o exercício para 
viabilizar as ações do governo.
Mas, o orçamento não é um simples instrumento de anotações de receitas e gastos do Governo: 
é fundamentalmente um processo de planejamento (NASCIMENTO, 2001).
De maneira geral, as receitas do Município são obtidas por meio de impostos, taxas, 
transferências da União e do Estado, enquanto as despesas são realizadas nas mais diversas 
áreas como saúde, educação, segurança pública, de acordo com a competência legal de cada 
ente.
As receitas e despesas são acompanhadas pelo Poder Legislativo, mas também devem ser 
averiguadas pelos contribuintes, maiores interessados nesse processo de alocação de recursos 
públicos.
Alocar recurso é destinar recursos a um fim específico ou a uma entidade. Para que se possa 
administrar o Brasil, é necessário que o governo tenha dinheiro para cobrir todos os gastos 
relacionados às suas atividades, como manter hospitais, construir ferrovias ou contratar 
professores.
Esse dinheiro é obtido, em grande parte, pelos tributos pagos pela população e pelas 
empresas. Quando alguém paga um imposto, uma taxa ou contribuição, automaticamente faz 
um depósito em uma “conta bancária” do Governo Federal, chamada de conta única, na qual 
os valores depositados serão utilizados pelo governo para cobrir tais despesas.
O dinheiro disponível para a realização das despesas é distribuído para os programas do 
governo, que são partes da sua atuação, em um mesmo assunto, para alcançar um objetivo. 
7
Por exemplo, tudo o que o governo faz em saúde ou educação pode ser agrupado dentro de 
um programa.
Dentro do programa, o dinheiro é distribuído para ações, que, como o nome indica, trata do 
que será feito, ou seja, “Implantação de Unidades Básicas de Saúde em Brasília” ou “Ampliação 
da Rede Federal de Ensino em Rondônia”. Esse
Página1234567