A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
265 pág.
manual eSocial 1 0

Pré-visualização | Página 12 de 50

incompatibilidade lógica entre os eventos e, por isso, ele é 
recepcionado. 
Exemplo de envio extemporâneo de evento que é rejeitado por contrariar a coerência de 
encadeamento sequencial de eventos: retificação de data de admissão de um trabalhador para data 
posterior à data de início de um afastamento deste mesmo empregado. 
 
16.1.2. Preservação da integridade referencial 
 
Integridade referencial é um conceito que garante que todos os inter-relacionamentos entre 
eventos propostos no sistema sejam respeitados, dando a certeza que as informações referenciadas 
em um evento permanecem válidas. 
Por exemplo: o evento da admissão de um empregado faz referência a um determinado 
estabelecimento do declarante (S-1005). Quando o evento de admissão é enviado, o sistema verifica 
se a data de admissão está compreendida no período de validade daquele estabelecimento, caso 
contrário, o evento é recusado. 
Se o evento extemporâneo de retificação alterar a data de admissão do trabalhador para uma 
data fora do período de validade do estabelecimento, a integridade referencial resta violada e o evento 
recusado. O sistema realiza uma espécie de simulação de recepção dos eventos antes de sua efetiva 
acolhida e recusa aqueles que quebram a integridade relacional de quaisquer outros eventos. 
 
 
38 
 
16.1.3. Reaplicação das regras de envio de remuneração e de fechamento da folha 
 
Quando um evento não periódico extemporâneo atende à regra de compatibilidade com os 
demais eventos não periódicos para determinado trabalhador, o sistema ainda avalia a 
compatibilidade desse evento com os eventos periódicos existentes para aquele período afetado da 
seguinte forma: 
a) Quando a ação extemporânea reduz ou exclui o período ativo de algum trabalhador no RET 
(exemplo: exclusão de admissão, ou retificação de data de admissão para dia posterior à data original 
ou retificação de data de desligamento para data anterior a data original): 
Nesse caso, o eSocial reexecuta, para o(s) período(s) de apuração reduzido(s) do contrato, as 
regras que exigem que o trabalhador esteja ativo para o recebimento de um evento periódico 
(REGRA_REMUN_JA_EXISTE_ DESLIGAMENTO e REGRA_REMUN_TRAB_EXISTENTE_RET). Caso a ação 
extemporânea pretendida faça com que um evento periódico de algum movimento afetado deixe de 
atender a essas regras o evento é recusado. Não é necessário que a(s) folha(s) de pagamento do(s) 
período(s) afetado(s) esteja(m) fechada(s) para a aplicação dessas regras. 
Exemplo: um empregado havia sido admitido em 01/01/2020 e tinha informação de 
remuneração em 01/2020 e 02/2020. O declarante, envia um evento de retificação da admissão desse 
trabalhador modificando a data de admissão para 01/02/2020. Nesse caso, o período de apuração 
reduzido do contrato foi 01/2020, portanto, o eSocial reexecuta para este mês as regras de recepção 
de remuneração. Como havia sido enviada remuneração em 01/2020 que ficou inconsistente com a 
ação pretendida, esse evento é recusado. 
b) Quando a ação extemporânea cria ou amplia o período ativo de algum trabalhador no RET 
(exemplo: envio de admissão com data retroativa, retificação de data de admissão para dia anterior à 
data original ou exclusão de evento de desligamento): 
Nesse caso o eSocial reexecuta, para o(s) período(s) de apuração criado(s) ou ampliado(s) do 
contrato, a regra de fechamento da folha que exige a informação de remuneração para todos os 
vínculos ativos (REGRA_VALIDA_FECHAMENTO_ FOPAG). Caso a ação extemporânea pretendida 
implique alguma violação a essa regra o evento não é recusado, é gerado apenas um alerta na recepção 
do evento indicando quais períodos de apuração restaram inconsistentes com aquela ação. É 
necessário que a(s) folha(s) de pagamento do(s) período(s) afetado(s) esteja(m) fechada(s) para a 
aplicação dessa regra. Caso as folhas do período estejam abertas, o evento é recebido sem nenhum 
problema. 
39 
 
Exemplo 1: um empregado havia sido admitido em 01/01/2020, tinha informação de 
remuneração em 01/2020 e desligamento datado de 10/02/2020. O empregador havia fechado as 
folhas de 03/2020 e 04/2020 sem informação de remuneração para esse trabalhador, uma vez que ele 
não estava ativo no RET. O declarante envia, em 04/2020, um evento de exclusão do desligamento 
desse trabalhador. Nesse caso, os períodos de apuração ampliados do contrato foram 03/2020 e 
04/2020 cujas folhas estavam fechadas, portanto, o eSocial reexecuta para estes meses as regras de 
fechamento da folha. Como nessas competências não havia informação de remuneração desse 
trabalhador, o evento de exclusão é recepcionado, mas o declarante recebe um alerta informando a 
inconsistência gerada nas folhas de 03/2020 e 04/2020. 
Exemplo 2: um declarante informou remuneração para seus 10 trabalhadores referente a 
01/2020, 02/2020 e 03/2020 e fechou a folha de todas essas competências. Em 04/2020 envia a 
admissão de outro empregado, retroativa a 15/01/2020. Nesse caso, os períodos de apuração 
ampliados do contrato foram 01/2020, 02/2020, 03/2020 e 04/2020. O eSocial reexecuta para o 
período com folha encerrada (janeiro a março) as regras de fechamento da folha. Como nessas 
competências não havia informação de remuneração desse trabalhador, o evento de admissão 
retroativa é recepcionado pelo eSocial, mas o declarante recebe um alerta informando a inconsistência 
gerada nas folhas de 01/2020 a 03/2020. Nessa situação, para que não fosse gerado nenhum alerta, 
bastaria que o declarante reabrisse as folhas do período antes do envio da admissão. 
 
16.1.4. Inalterabilidade de cálculos dos totalizadores após recepção dos eventos 
 
Os eventos totalizadores por trabalhador (S-5001, S-5002 e S-5003) são devolvidos na medida 
em que o declarante envia os eventos de remuneração e pagamento dos trabalhadores. 
A alteração extemporânea de qualquer item de tabela que afete o cálculo desses totalizadores é 
recepcionada pelo sistema, contudo os cálculos já efetuados e devolvidos ao declarante através dos 
totalizadores não são sensibilizados. 
Por exemplo: empregador envia as remunerações e pagamentos efetuados a 300 de seus 1.000 
empregados. Depois disto, retira a incidência de Contribuição Previdenciária da rubrica de “salário 
base” a partir da competência atual e envia a remuneração dos outros 700 empregados. Nesse caso, 
apenas o salário base dos 300 empregados para os quais ele já havia enviado remuneração, tem 
incidência de Contribuição Previdenciária. Para os demais, os cálculos levam em conta o atributo 
alterado da tabela de rubricas. 
40 
 
Para que a alteração tenha efeito para todos os empregados, o empregador deve excluir a 
remuneração dos 300 inicialmente enviados antes de fazer a alteração da incidência da referida rubrica 
(ou retificá-las após essa alteração). 
Cumpre ressaltar que como os cálculos dos eventos S-5011 e S-5013 levam em conta os dados 
das tabelas do empregador no momento da recepção dos eventos remuneratórios, esses totalizadores 
restam inconsistentes caso não seja feita a retificação dos eventos de remuneração enviados antes da 
alteração dos parâmetros da tabela. 
Por exemplo: empregador envia remuneração de 20 empregados e recebe os eventos S-5001 e 
S-5003. Após isso, envia o evento S-1000 alterando sua classificação tributária, mudando do código 01 
(Empresa do simples com tributação previdenciária substituída) para 02 (Empresa do simples com 
tributação previdenciária não substituída). Em seguida, envia o evento de fechamento de folha. O 
cálculo constante no evento totalizador S-5011 recebido leva em conta o código 01, apesar da 
modificação efetuada, porque era o parâmetro vigente na época da recepção dos eventos 
remuneratórios. Para que a alteração da classificação tributária tenha efeito no totalizador, é 
necessário o reenvio dos eventos remuneratórios dos 20 empregados e de um novo evento de 
fechamento. 
 
16.1.5.

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.