A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
265 pág.
manual eSocial 1 0

Pré-visualização | Página 42 de 50

ser informado. 
6. Retificações 
6.1. Um evento retificador pode modificar qualquer informação prestada em um evento original, 
exceto CPF do trabalhador e período de apuração. Caso haja necessidade de corrigir uma dessas 
informações, o evento deve ser excluído e enviado um novo. 
6.2. (Excluído) 
6.3. A retificação dos eventos S-1200, S-1202, S-1207, S-2299 ou S-2399 não necessariamente 
interfere no evento S-1210 que o referencia. Por exemplo, se for inserido novo demonstrativo no S-
1200 a ser pago em mês de apuração posterior, o S-1210 não precisa ser alterado. 
6.4. Se após o envio do evento S-1210 for realizado novo pagamento dentro do mesmo mês de 
apuração, não constante no evento já enviado, este evento deve ser retificado para inclusão da 
referência a um novo demonstrativo. 
 
S-1260 – Comercialização da Produção Rural Pessoa Física 
 
Conceito: são as informações relativas à comercialização da produção rural, prestadas pelo produtor 
rural pessoa física e pelo segurado especial. 
Quem está obrigado: o produtor rural pessoa física contribuinte individual e o segurado especial, quando 
comercializarem sua produção ou nos casos definidos pela legislação pertinente em que ocorre o fato 
139 
 
gerador da contribuição social previdenciária, conforme a seguir discriminado, ressaltando que se 
entende como produção rural, os produtos de origem animal ou vegetal, em estado natural ou 
submetidos a processos de beneficiamento ou de industrialização rudimentar, bem como os 
subprodutos e os resíduos obtidos por esses processos: 
a) na destinação, para fins diversos daqueles que asseguram a isenção, de produto originariamente 
adquirido com isenção, tais como o descarte, a industrialização, a revenda, dentre outros; 
b) na comercialização de produto rural vegetal ou animal originariamente isento de contribuição com 
adquirente que não tenha como objetivo econômico atividade condicionante da isenção; 
c) na dação em pagamento, a permuta, o ressarcimento, a indenização ou a compensação feita com 
produtos rurais pelo produtor rural com adquirente, consignatário, cooperativa ou consumidor; 
d) em qualquer crédito ou pagamento efetuado pela cooperativa aos cooperados, representando 
complementação de preço do produto rural, incluindo-se, dentre outros, as sobras, os retornos, as 
bonificações e os incentivos próprios ou governamentais; 
e) no arremate de produção rural em leilões e praças, exceto se os produtos não integrarem a base de 
cálculo das contribuições. 
Vale destacar que se equipara a produtor rural pessoa física o consórcio simplificado de produtores 
rurais. 
Prazo de envio: este evento deve ser enviado até o dia 15 (quinze) do mês seguinte ou antes do envio 
do evento S-1299. Em razão de necessidade de cumprimento da obrigação relativa à entrega da 
DCTFWeb, e considerando que o envio das informações ao eSocial é condição para aquela entrega, 
caso na data término do prazo de envio do evento não haja expediente bancário, deve-se antecipar 
esse envio para o dia útil imediatamente anterior. 
Pré-requisitos: envio do evento S-1000, S-1005 e, quando há processos, o envio do evento S-1070. 
Informações adicionais: 
1. Assuntos gerais 
1.1. As informações deste evento devem ser consolidadas e enviadas ao eSocial, identificando a 
inscrição do estabelecimento rural que comercializou a produção, por meio do número de inscrição 
no CAEPF, agrupadas por tipo de comercialização, a saber: 
IndComerc Descrição 
 
2 
 
Comercialização da Produção efetuada diretamente no varejo a consumidor final 
ou a outro produtor rural pessoa física por Produtor Rural Pessoa Física, inclusive 
por Segurado Especial ou por Pessoa Física não produtor rural; 
140 
 
3 
Comercialização da Produção por Prod. Rural PF/Seg. Especial - Vendas a PJ (exceto 
Entidade inscrita no Programa de Aquisição de Alimentos - PAA) ou a Intermediário 
PF; 
7 Comercialização da Produção Isenta de acordo com a Lei n° 13.606/2018; 
8 
Comercialização da Produção da Pessoa Física/Segurado Especial para Entidade 
inscrita no Programa de Aquisição de Alimentos - PAA; 
9 Comercialização da Produção no Mercado Externo. 
1.2. Declarante Produtor rural pessoa física mesmo que tenha preenchido no S-1000 o campo 
{IndOpcCP} com [2] – “Optante pelo recolhimento das contribuições previdenciárias dos incisos I e II 
do art. 22 da Lei nº 8.212/1991)”, deve enviar este evento. Além disso, como a contribuição para o 
SENAR continua devida e não é apurada por informação oriunda do eSocial, cabe: 
a) ao produtor rural pessoa física, quando comercializar com consumidor pessoa física, no varejo, 
produtor rural pessoa física ou segurado especial, pessoa física não produtora rural, quando adquire 
produção para venda, no varejo, ou a consumidor pessoa física destinatário incerto ou quando não 
houver comprovação formal do destino da produção, recolher essa contribuição, preenchendo uma 
GPS avulsa no código 2712 (Comercialização da Produção Rural - CEI - Pagamento exclusivo para 
Outras Entidades (SENAR)), gerada no SAL - Sistema de Acréscimos Legais, disponível no sítio da RFB, 
no endereço http://receita.economia.gov.br, conforme art. 3º, parágrafo único do Ato Declaratório 
Executivo (ADE) CODAC nº 01, de 28 de janeiro de 2019 ou por outro meio disponibilizado pela RFB; 
e 
b) a pessoa jurídica adquirente recolher essa contribuição, preenchendo uma GPS avulsa no código 
2615 (Comercialização da Produção Rural – CNPJ - Pagamento exclusivo para Outras Entidades 
(SENAR)), gerada no SAL, disponível no sítio da RFB, no endereço http://receita.economia.gov.br, 
conforme art. 5º, parágrafo único do ADE CODAC nº 01, de 28 de janeiro de 2019 ou por outro meio 
disponibilizado pela RFB. 
2. Comercialização para entrega futura 
2.1. A informação deste evento, nos contratos de venda para entrega futura, que exigem cláusula 
suspensiva, deve ocorrer na competência da realização do fato gerador das contribuições, que se dá 
na data de emissão da respectiva nota fiscal, independentemente da realização de antecipações de 
pagamento. 
3. Contratação pelo consórcio simplificado de segurados contribuintes individuais 
3.1. Caso haja contratação pelo consórcio simplificado de produtores rurais de outras categorias 
de segurados, que não sejam empregados ou trabalhadores avulsos, ainda que para prestar serviços 
http://receita.economia.gov.br/
141 
 
aos seus integrantes, são devidas as contribuições patronais incidentes sobre a folha de pagamento, 
que são apuradas por meio das informações remuneratórias enviadas pelo evento S-1200. 
4. Declaração da Imunidade na exportação direta 
4.1. São imunes à tributação as receitas de exportação direta de produtos rurais, em decorrência 
da disposição contida no inciso I do § 2º do art. 149 da Constituição da República, que não se aplica à 
contribuição devida ao Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar). Sendo assim, para permitir 
a apuração apenas dessa contribuição, o declarante deve preencher o campo {indComerc} com a 
opção [9] – “Comercialização da Produção no Mercado Externo”. 
5. Comercialização exclusiva da produção de terceiros 
5.1. Não deve informar este evento, o produtor rural pessoa física que comercialize apenas 
produção rural de terceiros, pois, neste caso, não há substituição da contribuição previdenciária 
incidente sobre a folha de pagamentos. 
6. Declaração dos tipos de comercialização 
6.1. Na declaração desse evento, independentemente do indicativo de comercialização, deve 
constar o valor total da comercialização (campo {vrTotCom}) e pode conter as informações dos 
campos dos grupos [ideAdquir] e [nfs]. 
7. Declaração da suspensão da exigibilidade da contribuição sobre a comercialização rural 
7.1. Devem ser informados nos campos {vrCPSusp}, {vrRATSusp} e {vrSENARSusp}, do grupo 
[infoProcJud], os valores de contribuição com exigibilidade suspensa autorizada no processo (tpProc, 
nrProc)

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.