A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
TEORIA GERAL DO DIREITO DO TRABALHO

Pré-visualização | Página 1 de 1

Teoria Subjetivista: 
Enfatiza os sujeitos integrantes das relações 
justrabalhistas; 
Principais precursores: Hueck e Nipperdey; 
“O D. do Trabalho é o direito especial de um 
determinado grupo de pessoas, que se 
caracteriza pela classe de sua atividade 
lucrativa, é o direito especial dos 
trabalhadores”. 
 
Teoria Objetiva: 
Principal precursor: Messias Pereira Donato; 
Enfatiza o conteúdo objetivo/matéria das 
relações justrabalhistas; 
“Corpo de princípios e de normas jurídicas 
que ordenam a prestação do trabalho 
subordinado ou a este equivalente, bem 
como as relações e os riscos que 
dela se originam”. 
 
Teoria Mista: 
Combina as definições das duas teorias; 
Principal precursor: Octavio Bueno Magano; 
“Conjunto de princípios, normas e 
instituições, aplicáveis à relação de trabalho 
e situações equiparáveis, tendo em vista a 
melhoria da condição social do trabalhador, 
através de medidas protetoras e da 
modificação das estruturas sociais”. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Conceito de Direito do Trabalho: 
 
 
 
 
 
 
 
 
 Natureza Jurídica 
D. Privado, Público ou Social/misto.????? 
• Há uma grande discussão sobre isso; 
Para fins de concurso, sua natureza jurídica 
é de DIREITO PRIVADO! 
• Pois é o ramo que cuida da relação 
entre particulares, empregado e 
empregador. 
O fato de o D. do Trabalho ser norteado por 
regras também de ordem pública, não 
impede seu caráter de Direito Privado; 
 
FONTES 
Fonte é a origem das normas jurídicas; 
Fontes Materiais: são os fatores que 
influenciam a formação das normas 
jurídicas; 
Teoria Geral 
c 
direito do trabalho 
definição 
Conjunto de princípios e regras que 
regulam a prestação do trabalho 
subordinado, e excepcionalmente 
do trabalho autônomo, no âmbito 
das relações laborais individuais ou 
coletivas, bem como as 
consequências jurídicas delas 
emergentes. 
Por Clarissa Cavalcante │@clarissacavalcantee 
 
São as fontes/acontecimentos econômicas, 
sociológicas, políticas e históricos relevantes 
que levaram a criação da norma. 
Fontes Formais: trata-se dos meios de 
exteriorização/revelação da norma jurídica; 
Fontes heterônomas:/estatais: São as 
normas de origem estatal, do Poder Público. 
Ex: CF, princípios, leis, decretos, tratados e 
convenções internacionais, sentenças e 
regulamentos normativos, MP’s. 
a) Constituição: 
Capítulo II – Dos Direitos Sociais; 
Título II – Dos Direitos e Garantias 
Fundamentais; 
Art. 7º – Direitos individuais dos 
trabalhadores; 
Arts. 8º ao 11º – Relações coletivas de 
trabalho (associação profissional/sindical, 
direito de greve, participação dos 
trabalhadores e empregadores nos 
colegiados dos órgãos públicos e do 
representante dos empregados da empresa). 
Art. 1, IV - os valores sociais do trabalho e 
da livre iniciativa; 
Art. 170. A ordem econômica, fundada na 
valorização do trabalho humano e na livre 
iniciativa [...]. 
Art. 193. A ordem social tem como base o 
primado do trabalho, e como objetivo o bem-
estar e a justiça sociais. 
b) Lei: é norma de conduta estrita de 
caráter imperativo/coercibilidade, 
geral, abstrato e permanente, 
derivada do Poder Estatal. 
 
Fontes Autônomas/não estatais: Tem a 
participação imediata dos destinatários 
principais das normas produzidas, os 
próprios interessados se autodisciplinam e 
se sujeitam a elas. São normas negociais 
coletivas, individuais ou internacionais. 
Exemplos: 
a) Convenção coletiva: é o acordo 
normativo entre 2 ou + sindicatos de 
categorias profissionais que 
estabelecem condições de trabalho 
que aderem aos contratos individuais 
de trabalho. Se aplica a todos os 
membros da categoria. Destina-se a 
resolver problemas na categoria. 
b) Acordo coletivo: tem abragência 
menor, é firmado entre 1 ou + 
empresas e o sindicato. Não se aplica 
a toda categoria. Destina-se a resolver 
problemas na empresa. 
c) Contrato individual de trabalho: é a 
relação jurídica, na qual o empregado 
obriga-se a prestar ao empregador 
trabalho de natureza não eventual 
subordinado e mediante salário. 
d) Regulamento da empresa: é o 
conjunto de regras que disciplinam as 
condições de trabalho, os 
procedimentos técnicos e 
administrativos da empresa. 
Súmula 51, I, TST: Qualquer alteração 
das condições no regulamento ou 
estatuto somente serão aplicáveis aos 
trabalhadores desde que sejam mais 
benéficas. 
e) Tratados: é o acordo internacional por 
escrito entre Estados e regidos pelo 
D. Internacional, constante de um 
 
instrumento único ou de dois ou mais 
instrumentos conexos.

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.