A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
5 pág.
Análise intersemiótica

Pré-visualização | Página 1 de 2

CURSO 
LETRAS- LITERATURA 
 
DISCIPLINA 
SEMIÓTICA 
ALUNO 
BEATRIZ DOS SANTOS LOUZADA 
PROFESSOR 
CIMÉLIO SENNA 
 
 
A língua como se sabe, possui inúmeras maneiras de ser empregada, difundida 
e uma dessas maneiras é a tradução intersemiótica que parece muito complicada e gera 
diversas perguntas sobre o que é e do que se trata, porém é simples definir, trata-se de 
adaptações. 
Quando adaptamos uma música para o cinema, um livro ou até mesmo um 
conto falamos diretamente em tradução, ou seja, como percorre em diferentes meios 
tradução intersemiótica é a transmutação de uma informação sígnica de um meio a outro 
trocando apenas a linguagem e não a língua. 
Este trabalho visa analisar a tradução intersemiótica entre a letra da música 
“Faroeste Caboclo” escrita por Renato Russo da banda nacional Legião Urbana, 
integrada no álbum “​Que País É Este” ​em 1987 e o filme lançado em maio 2013 com 
direção de René Sampaio que foi indicado e ganhou o grande prêmio do cinema 
brasileiro de melhor longa metragem de ficção. 
A música não possui refrão, tem 168 versos e contém nove minutos de duração 
contando a história de João de santo Cristo, desde o momento que sai da fazenda, que se 
situa no Nordeste, até o seu falecimento em um duelo, em Brasília. Introvertido, 
vivendo sozinho na capital, começa a trabalhar como carpinteiro, porém sua ganância 
faz com que se envolva com o tráfico de drogas. 
João acaba indo para a prisão e lá acaba sofrendo diversas violências e com 
isso ocupando um papel maior no tráfico. Até que conhece Maria Lúcia, mulher por 
1 
quem se apaixona, planeja se casar, construir uma família e acaba voltando a trabalhar 
como carpinteiro. 
No entanto, por um erro, ele acaba perdendo o emprego e não vê outra 
alternativa além de voltar para o crime, sendo assim, abandona Maria Lúcia para 
começar a contrabandear armas com Pablo que seria o neto bastardo do seu ​bisavô. 
Surge então um traficante rival chamado Jeremias e o mesmo acaba se casando com o 
grande amor de João e tendo um filho com ela. João sabendo da história o chama para 
um duelo que acaba sendo anunciado na TV. No dia combinado enquanto Santo Cristo 
estava distraído foi atingido pelas costas, Maria Lúcia para ajudá-lo o entrega uma 
arma e assim ele consegue revidar Jeremias e o atinge com cinco tiros. Após a morte 
dos dois Maria Lúcia arrependida tira sua própria vida. 
Enquanto no filme René Sampaio retrata em 100 minutos toda efervescência de 
Brasília nos anos 80, ​toda uma geração criada na capital, onde todo mundo é filho de 
algum general, senador, diplomata, ministro e quem não é filho de “alguém”, não se 
encaixa nisso vive por cidades-satélites e adjacências, Taguatinga, Planaltina. O 
surgimento do rock, com as canções da Plebe Rude ajudam na recriação de um período 
em que um novo Brasil parecia querer surgir, com o fim da ditadura militar e o início de 
um sentimento de libertação para aquela juventude que ali era representada por João, 
Maria Lúcia e Jeremias. 
Para ajudar a promover o filme foram lançados alguns vídeos antes da estreia e 
um deles foi com a irmã de Renato Russo, Carmem Manfredini que trouxe algumas 
reflexões para ajudar a explicar a icônica música, conta que “João de Santos Cristo” 
nasceu das reportagens que Renato fez ao longo de sua carreira como radialista do 
Ministério da Agricultura. Relata também que uma grande influência para o ambiente 
de faroeste foi à música de Paul McCartney e John Lennon “Rocky Racoon”. 
 
“Seu rival parece que tinha partido seus sonhos 
Ao roubar a garota de quem ele tanto gostava 
O nome dela era Magill mas ela preferia Lil 
Mas todos a chamavam de Nancy” (BEATLES, 1968) 
2 
 
Em uma coletiva de imprensa o diretor conta que o filme não foi uma versão 
completamente fiel e sim uma releitura. René Sampaio diz que a cada escolha pensava 
em como se sentia ao ouvir a música e que gostaria que o público sentisse a essência. Já 
o ator Felipe Abib, que interpreta Jeremias na trama ressalta também o filme vem 
montada no no estilo da década 80 e que entender esse estilo foi muito importante na 
hora da atuação. 
Nosso ponto de partida foi entender como essa geração dos 
anos 80 se comportava em uma cidade em formação. Como esse tipo 
de atmosfera permeariam os personagens. Como poderia dali nascer 
Jeremias, Maria Lúcia e João do Santo Cristo. (ABIB, 2013) 
 
Para o ator Fabrício Boliveira, que interpreta João de Santo Cristo o 
protagonista carrega um pouco do cantor e compositor Renato Russo: 
 
“O João do Santo Cristo tem um pouco o espírito do 
Renato Russo, que é esse trovador solitário. É como se Renato tivesse 
pensado: ‘E se eu fosse negro, baiano, nesta cidade na década de 80? 
Como essa cidade iria se relacionar comigo?" (BOLIVEIRA, 2013) 
 
Ao passar para as telas podemos notar que uma das semelhanças é a forma com 
que tentam instigar o público através das melodias, assim como o próprio Renato Russo 
fazia durante a música ao trocar de tom de acordo com a ação que estava sendo cantada. 
Percebemos também que há uma forte presença de Brasilia que de acordo com o René 
Sampaio, não podiam deixar a cidade apenas como plano de fundo. 
Os personagens tiveram sua essência passada através dos figurinos. João de 
Santo Cristo, o anti-herói foi colocado com roupas simples nas cenas em que era o 
mocinho e com roupas mais despojadas quando queriam mostrar seu lado vilão. Maria 
Lúcia mostra sua personalidade através de blusas e vestidos soltos. Jeremias, o vilão usa 
joias em excesso e bastante roupa escura o que marca sua presença em todas as 
aparições. 
3 
Já a maior diferença do filme para música é a forma que a mensagem é 
transmitida ao público. Na música a linguagem é bem mais privada, subjetiva pois se 
passava no ano de 1987, ao contrário do filme que foi gravado no ano de 2013 e vê a 
necessidade de se adaptar ao público da atualidade com uma abordagem mais clara e 
escancarada dos fatos fazendo com que explorassem mais os elementos visuais, porém 
apesar dessas adaptações o filme se passa no mesmo ano descrito na música, mostrando 
a emoção que viviam naquela época pós Ditadura Militar. Para mostrar essa mudança 
que foi a passagem da música de 1987 para o filme em 2013, foi analisada a última cena 
do filme, o duelo. 
 
“E o Santo Cristo não sabia o que fazer 
Quando viu o repórter da televisão 
Que deu notícia do duelo na TV 
Dizendo a hora e o local e a razão 
No sábado então, às duas horas 
Todo o povo sem demora foi lá só para assistir” 
 
O ápice da cena seria a euforia da população com o fato de acontecer um duelo, 
o que naquela época era uma coisa comum ao contrário da atualidade. A mesma cena 
foi para o filme de forma menos dramática, não continha multidão, era apenas os 
personagens principais e os rivais se enfrentaram no meio do deserto. 
Sendo assim, conclui-se que apesar do filme trazer grandes traços da música, o 
diretor também quis passar características da atualidade, trazendo uma releitura e não

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.