A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
5 pág.
Exame Físico Urinário Semiologia

Pré-visualização | Página 1 de 1

Rafael Augusto @rafael.augustor 
O abdome é dividido em 9 regiões ou 4 quadrantes e sua compreensão é importante para o exame dos rins e das 
vias urinárias 
 
A loja renal está localizada abaixo da 12ª costela, sendo mais superior no lado esquerdo do que no lado direito, 
devido à presença do fígado. 
Sentado 
Técnicas de Guyon, Israel e Godet - volume e dor (observar a sensibilidade) – Israel é a mais utilizada 
 
 
Inspeção Renal 
Palpação Renal 
Localização da Loja Renal 
Rafael Augusto @rafael.augustor 
Ângulo costovertebral 
Sinal de Giordano (na distensão da cápsula renal há a dor lombar de forma espontânea ou estimulada a qual é dada 
através da percussão) – positivo se refere dor ou apresenta resistência (A MAIS IMPORTANTE DO EXAME NA 
VERIFICAÇÃO DO TRATO URINÁRIO SUPERIOR) 
Para realizá-lo é necessário encontrar as vias aéreas altas e realizar pressão através de socos leves e caso haja 
incomodo é porque as vias altas estão afetadas 
 
Sopro da artéria renal– 3 cm a D e E com 5 cm acima da cicatriz umbilical (diagnostica estenose da artéria renal 
Quadrantes superiores D e E e fossa ilíaca. Dores na fossa ilíaca direita pode ser apendicite ou cálculo no ureter, por 
isso é importante atentar aos sinais – normalmente apêndice apresenta febre devido à inflamação 
Não é palpável em condições normais 
Se for palpável – globo vesical (doloroso e indica retenção) 
 
 
Percussão Renal 
Ausculta Renal 
Pesquisa de Ureter 
Pesquisa de Bexiga 
Rafael Augusto @rafael.augustor 
É importante a pesquisa de próstata pois ela está envolta na passagem da uretra, logo pode ser a causa da retenção 
caso haja aumento do seu volume 
Toque retal para analisar dor e eventual aumento do volume (retenção/esvaziamento vesical incompleto) 
Área externa – lesões, irritações e obstruções (mulher – prolapso genital) 
URINA 1 
• Densidade – alta ou baixa 
A capacidade renal adequada mantém a densidade urinária elevada (os extremos dão informação, mas não é a 
principal para diagnosticar) 
• pH – variável, pela manhã a urina é mais alcalina (maior que 8 sugere infecção ou alteração de função) 
• Proteína: mais de 30 mg/dl – sugere disfunção renal 
• Glicose: só passa pelo glomérulo se em grande excesso ou disfunção 
• Cetonas: produtos do metabolismo que indicam disfunções metabólicas relacionadas ao diabetes (depois de 
jejum prolongado é normal a presença de corpos cetônicos) 
• Teste de nitrito: presença significativa de bactérias gram negativas que transformam nitrato e nitrito (principal 
fator que pode confirmar ITU) 
• Sedimento Urinário: pesquisa de diferentes tipos de células, cilindros e bactérias 
• Hemácias: formato normal ou disforme possibilita saber de qual altura do sistema urinário provém 
• Leucócitos, bactérias, fungos (essa análise sedimentar é interessante entender de onde vem esses elementos, 
como bactérias da flora vaginal) 
• Cilindros: formatos distintos (hialinos podem ser normais e granulosos patológicos 
PROTEINÚRIA EM 24 HORAS 
• Fiel e específico para alterações glomerulares, pois as proteínas não são capazes de atravessar as membranas do 
glomérulo em condições fisiológicas 
ESTUDO DA FUNÇÃO RENAL 
• Clearence de creatinina – permite entender a como está todo o processo, pois a creatinina é uma substância 
totalmente filtrada, pouco reabsorvida e não secretada. 
EXAME BACTERIOLÓGICO DA URINA 
• Urocultura – 10.000 a 100.000 (valores discutíveis) – possibilita entender qual agente causou ITU caso ela não 
apresente melhora com tratamento padrão para E. coli, ou seja, caso o patógeno seja outro 
ULTRASSOM DE VIAS URINÁRIAS 
• Estudo do parênquima renal – relação córtex medula 
• Estudo de lesões – cistos e nódulos sólidos renais 
• Estudo de dilatação Ureteral – cálculos hiperecogênicos (fica branco) 
Pesquisa de Próstata 
Pesquisa de Genitais ♀♂ 
EXAMES 
 SUBSIDIÁRIOS Urina 1, Proteinúria Em 24 Horas, Estudo 
Da Função Renal, Exame Bacteriológico Da 
Urina, Us De Vias Urinárias, TC, RM 
 
Rafael Augusto @rafael.augustor 
Limitação para localização de cálculos – menores de 0,5 cm 
• Estudo da bexiga – ejaculação ureteral (ver o ureter eliminar urina para a bexiga, esvaziamento 
• Corte longitudinal e corte transverso 
• Observar a densidade do córtex que é similar às adjacências 
• Possível ver cálculo renal 
• O que é preto é líquido 
 rins 
 bexiga normal anecoica 
 bexiga disforme com manchas hiperecogênicas (massa - tumor) 
Tomografia computadorizada 
• Avalia a presença e massa neoplásica e estabelece o diagnóstico diferencial entre lesões sólidas, císticas e 
abscesso ou hematoma (melhor diferenciação nos achados como cálculos, mas ainda há falso negativo 
devido ao tamanho ou falta de radiopacidade) 
Rafael Augusto @rafael.augustor 
• Detectar inva~soa neoplásica no espaço perirrenal e de linfonodos comprometidos, bem como de 
recidivas/remanescentes tumorais 
• Identificar urolitíase 
 presença de um elemento radiopaco na 
pelve renal 
 
 
 
 
 
 
 
 apresenta falha no enchimento e consequente 
dilatação no rim 
 
 
 
 
 
Ressonância Magnética 
• É inferior à tomografia, pois não visualiza adequadamente os cálculos 
• Melhor para analisar as lesões do parênquima renal – necrose 
 
https://radiopaedia.org/cases/normal-renal-tract-ultrasound-female?lang=us

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.