A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
202 pág.
livro (2)

Pré-visualização | Página 5 de 50

delimitação dos seus objetivos de 
forma precisa e ainda da extensão da sua aplicação. 
Considerada por muitos como um mix entre Psicologia e Sociologia, no 
polo da Psicologia a impressão que se tem é que tudo que não pertence à Psicologia 
fisiológica seria Psicologia social: suas funções psíquicas só se compreenderiam no 
jogo das suas relações sociais. O comportamento humano é social pela sua natureza 
e/ou pelos seus fins. No polo da Sociologia todo estudo dos fatos sociais, tendo o 
homem como centro, converter-se-ia em uma Psicologia Social. 
Kimbal Young (apud RAMOS, 2003) traz uma concepção de Psicologia 
Social bastante interessante e completa. Segundo ele, o estudo da personalidade 
é o grande objetivo da Psicologia Social, no entanto, enquanto que a Psicologia 
individual estuda os aspectos organopsicológicos da personalidade, a Psicologia 
Social trata do estudo da personalidade e do desenvolvimento em relação à 
ambiência social. Essa definição deixa claro o grande objetivo e o recorte bastante 
específico da Psicologia Social: estudar a personalidade como expressão da 
interação do indivíduo em seu meio social e cultural. 
Lane (2008) afirma que o enfoque da Psicologia Social é estudar o 
comportamento no que ele é influenciado socialmente. Isso acontece desde 
o momento que nascemos ou até mesmo antes do nascimento. Essa influência 
histórico-social se faz sentir, primordialmente, pela aquisição da linguagem. 
Podemos perceber, então, que é bastante difícil encontrarmos comportamentos 
humanos que não envolvam componentes sociais, embora sejam estes os 
elementos que se tornaram o enfoque da Psicologia Social. Em outras palavras, a 
Psicologia Social estuda a relação entre o indivíduo e a sociedade. 
Para Rodrigues, Assmar e Jablonski (1999), a Psicologia Social é a área da 
Psicologia que procura estudar a interação social. Segundo os mesmos autores 
(1999, p. 24), “[...] a Psicologia Social é o estudo científico de manifestações 
comportamentais de caráter situacional suscitadas pela interação de uma pessoa 
com outras pessoas ou pela mera expectativa de tal interação [...]”. Para os autores, 
a Psicologia Social estuda os fenômenos sociais, comportamentais e cognitivos 
decorrentes da interação entre as pessoas. 
O que caracteriza o aspecto social do comportamento estudado é a 
importância dada à influência de fatores situacionais. Todas as definições, em 
maior ou menor grau, acabam por acentuar os fatores psicológicos individuais, 
ora os fatores sociológicos presentes na interação social. Segundo Bock, Furtado 
e Teixeira (2002), a interação social, a interdependência entre os indivíduos, o 
encontro social são os objetos investigados por essa área da Psicologia.
TÓPICO 1 | PSICOLOGIA SOCIAL: EM BUSCA DE UM CONCEITO
9
IMPORTANT
E
Fenômenos cognitivos ou mesmo o termo cognição significam “aquisição 
de conhecimento” ou a forma como as pessoas processam as informações. Cognição é 
sinônimo de processos mentais que estão por detrás dos comportamentos. São exemplos: 
atenção, percepção, memória etc. Esse termo é bastante presente na Psicologia Social de 
base norte-americana (Psicologia social cognitiva), vertente que será apresentada no tópico 
seguinte.
Para Ramos (2003), após o exercício de buscar definir Psicologia Social, 
normalmente se chega à conclusão de que ela acaba por estudar três ordens gerais 
de fenômenos: em primeiro lugar, a Psicologia Social estuda as bases psicológicas do 
comportamento social e, nesse sentido, aproxima-se da Psicologia do indivíduo. Em 
seguida, estuda as interações psicológicas dos indivíduos na vida social. Por último, a 
Psicologia Social se atém à influência dos grupos sobre a personalidade, acaba então 
sendo uma espécie de Sociologia psicológica ou uma Psicologia cultural.
DICAS
Para aprofundar algumas questões introdutórias em relação à Psicologia Social, 
um livro de fácil compreensão é: LANE, Silvia T. M. O que é Psicologia social. Coleção 
Primeiros Passos. São Paulo: Brasiliense, 2008.
Partindo da convicção de que ela não é uma ciência autônoma, e mais do 
que isso, diante da dificuldade de delimitação de suas especificidades, a seguir, 
buscaremos fazer algumas relações, apontaremos semelhanças e diferenças 
com áreas que de alguma forma “disputam” o mesmo objeto de estudo, até por 
fazerem também parte das chamadas ciências humanas.
UNIDADE 1 | PSICOLOGIA SOCIAL: ORIGEM E DEFINIÇÃO
10
4 RELAÇÃO COM ÁREAS AFINS
FIGURA 3 – COMUNICAÇÃO – FALAR EM PÚBLICO
FONTE: Disponível em: <http://www.babado.org/tag/medo>. Acesso em: 31 out. 2011.
Dificilmente, ao entrar em contato com a Psicologia Social, não surge 
dúvida em relação à diferença entre Psicologia Social e outros setores afins do 
conhecimento, tais como: Sociologia, Antropologia, Filosofia e até mesmo as 
demais áreas da Psicologia. Rodrigues, Assmar e Jablonski (1999) relatam as 
aproximações e os distanciamentos da Psicologia Social com outros campos do 
saber de maneira bastante perspicaz. 
Uma primeira área do conhecimento que tem relações bastante próximas 
com a Psicologia Social e que, provavelmente, acaba sendo a área que gera mais 
dúvida em relação às diferenças é a Sociologia. De maneira bastante breve, 
podemos afirmar que a Sociologia é a ciência que tem como objeto de estudo a 
sociedade, as instituições sociais e as relações sociais. Podemos dizer que é uma 
“teoria da sociedade”. A Sociologia pode ser considerada uma ciência social 
cujo objeto de estudo é a sociedade moderna. Em outros termos, é uma teoria da 
modernidade.
Dificilmente se encontra um psicólogo social ou um sociólogo que 
afirme, categoricamente, que Psicologia Social e Sociologia são ramos totalmente 
distintos. A maioria se inclina a acreditar que tem um objeto formal até distinto, 
embora reconheçam que exista algo em comum de maneira bastante nítida. 
É comum e coerente, inclusive, a afirmação de que quando temos um campo 
de interseção entre Psicologia e Sociologia, é exatamente aí que encontramos a 
Psicologia Social, que estudaria não só o indivíduo nas suas reações sociais como 
também a sociedade nos seus aspectos psicológicos. Dessa forma, a Psicologia 
Social e a Sociologia têm um objeto idêntico ou quase idêntico, no entanto, diferem 
na maneira pela qual estudam esse objeto, formulando perguntas diferentes 
aos seus processos investigativos. Talvez uma afirmação possível e simples 
para delimitar a diferença seria a de que enquanto o psicólogo social estuda o 
indivíduo no grupo, o sociólogo considera o grupo como um todo. Não há como 
negar, porém, uma área de interseção grande entre essas duas disciplinas e, em 
alguns momentos alguns estudos, acabam por pouco ou nada diferirem.
TÓPICO 1 | PSICOLOGIA SOCIAL: EM BUSCA DE UM CONCEITO
11
Já a distinção entre a Psicologia Social e a Antropologia é bem mais 
nítida. De forma extremamente simplificada, é possível dizer que a Antropologia 
se refere à ciência que estuda as culturas humanas nos mais variados aspectos. 
Normalmente, ela é dividida em Antropologia biológica e Antropologia cultural. 
A primeira, como o nome já indica, dedica-se aos aspectos biológicos dos seres 
humanos e, por isso, normalmente, é classificada como uma ciência natural, 
enquanto que a segunda busca analisar e compreender o desenvolvimento das 
sociedades humanas ao redor do mundo e é considerada uma ciência social. 
Não se tem dúvida de que os estudos antropológicos fornecem dados 
valiosos para o entendimento do comportamento humano em diferentes culturas, 
principalmente os ligados à Antropologia cultural, entretanto, a Antropologia 
estuda as produções humanas nas diferentes culturas, embora não faça isso de 
forma individualizada tal como pretende em alguns momentos fazer a Psicologia 
Social. Em suma, a Antropologia é uma área de importância incontestada para a 
Psicologia Social,

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.