A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
5 pág.
Anatomia das vias aéreas superiores 1

Pré-visualização | Página 1 de 1

Bases morfofuncionais 2 – Respiratório 
Anatomia das vias aéreas superiores – Nariz 
Sistema respiratório: 
 
Nariz: 
 Parte do sistema respiratório; 
 Situado acima do palato duro; 
 Contém órgão periférico do olfato; 
 Inclui a parte externa do nariz e a cavidade nasal; 
 Funções: 
 Olfato; 
 Respiração; 
 Filtração da poeira; 
 Umidificador do ar inspirado; 
 Recepção e eliminação de secreções dos 
seios paranasais e ductos lacrimonasais. 
Parte externa do nariz: 
 Parte visível que se projeta da face; 
 O dorso do nariz se estende da raiz até o ápice 
do nariz; 
 Abertura piriforme: abertura em forma de pera 
na região anterior; 
 Narinas: aberturas nasais anteriores, limitadas 
lateralmente pelas asas do nariz; 
 Vestíbulo do nariz: recoberto por pele mais 
espessa que contém pelos rígidos (vibrissas  
elas filtram partículas de poeira do ar que entram 
na cavidade nasal). 
 
 
 
Esqueleto do nariz: 
 Parte óssea: ossos nasais, processos frontais das 
maxilas, parte nasal do osso frontal; 
 Parte cartilagínea: uma cartilagem do septo; duas 
cartilagens laterais; duas cartilagens alares (são 
livres e móveis, dilatam e estreitam as narinas 
quando há contração dos músculos que 
movimentam o nariz). 
 
 
Septo nasal: 
 Divide a câmara do nariz em duas cavidades 
nasais: parte óssea e cartilagem do septo nasal. 
 Parte óssea: 
 Fina lâmina perpendicular do etmoide: 
 Forma a parte superior do septo; 
 Desce a partir da lâmina cribriforme do 
etmoide; 
 Continua superiormente à essa lâmina como 
crista etmoidal. 
 Vômer: 
 Osso fino e plano; 
 Forma a parte póstero-inferior do septo; 
 Cartilagem do septo nasal. 
 
 
OBS: O vestíbulo do nariz é pele e a partir dele, toda a 
cavidade é de tecido mucoso. 
OBS: A espinha nasal anterior é um acidente ósseo da 
maxila. 
 Desvio de septo: pode ocorrer durante o 
nascimento, normalmente ocorre na cartilagem, 
mas pode ocorrer na parte óssea também. Ele 
traz muita dificuldade respiratória, pois diminui 
muito a área da cavidade nasal, sendo necessário 
fazer cirurgia. 
 
Cavidade nasal: 
 A entrada é anterior, através das narinas; 
 Abre-se posteriormente na parte nasal da faringe 
através dos cóanos (“buracos” posteriores, 
diferente da abertura piriforme que é anterior); 
 É revestida por túnica mucosa: 
 Com exceção do vestíbulo nasal, que é revestido 
por pele; 
 Terço superior da túnica mucosa: área olfatória 
(contém órgão periférico olfatório); 
 Dois terços inferiores da túnica mucosa: área 
respiratória (o ar é aquecido e umedecido antes 
de atravessar as demais VAS até os pulmões. 
 
 
Limites da cavidade nasal: 
 Teto: dividido em três partes; 
 Frontonasal, etmoidal e esfenoidal. 
 Assoalho: processos palatinos da maxila e lâmina 
horizontal do palatino (palato duro – céu da boca, 
separa a cavidade nasal da oral) 
 Parede medial: septo nasal; 
 Parede lateral: conchas nasais. 
 
 
 
Conchas nasais: 
 Curvam-se em sentido inferomedial, pendendo da 
parede lateral; 
 São recobertas por túnica mucosa; 
 Concha superior e média: processos mediais do 
osso etmoide; 
 Concha inferior: é a mais longa e mais larga. 
 
 
 
Meatos nasais: 
 Recesso é uma passagem na cavidade nasal sob 
cada formação óssea (concha nasal); 
 Recesso esfenoetmoidal; 
 Meato nasal superior, médio e inferior; 
 Meato nasal comum. 
 
 Recesso esfenoetmoidal: 
 Situado posterossuperiormente à concha nasal 
superior; 
 Recebe a abertura do seio esfenoidal. 
 Meato nasal superior: 
 Se abrem os seios estmoidais posteriores; 
Meatos nasais: 
 Meato nasal médio: 
 A parte anterossuperior dessa passagem leva à 
uma abertura afunilada (infundíbulo etmoidal), se 
comunicando com o seio frontal; 
 Hiato semilunar: sulco semicircular no qual se abre 
o seio frontal; 
 Bolha etmoidal: elevação arredondada superior ao 
hiato. 
 Formada por células etmoidais médias que 
formam os seios etmoidais (são visíveis 
quando a concha média é removida). 
 Meato nasal inferior: 
 O ducto nasolacrimal se abre nesse meato. 
 Meato nasal comum: 
 Parte medial da cavidade nasal entre as conchas 
e o septo nasal; 
 Local onde se abrem os recessos laterais e 
meatos; 
 
Irrigação: 
 Artéria oftálmica (vem da A. carótida interna): 
 A. etmoidal anterior (supre a parte externa do 
nariz); 
 A. etmoidal posterior; 
 Artéria maxilar (vem da A. carótida externa): 
 A. esfenopalatina; 
 A. palatina maior; 
 Artéria facial: 
 Ramo septal da artéria labial superior (supre a 
parte externa do nariz); 
 
Drenagem: 
 Plexo venoso submucoso: 
 Veia esfenopalatina; 
 Veia facial (PRINCIPAL); 
 Veia oftálmica. 
OBS: além de drenar, o plexo participa da troca de 
calor para aquecimento do ar. 
Inervação: 
 Dividida em duas regiões: 
 Ântero-superior (NC V 1 – 5° par do nervo 
craniano): nervo trigêmeo e nervo oftalmológico. 
 Póstero-inferior (NC V 1): nervo maxilar. 
 Bulbo olfatório: é uma expansão do trato 
olfatório, dele sai diversos ramos que possuem 
lâmina cribriforme, inervando a área olfatória; 
 A parte externa do nariz é inervada pelo nervo 
oftálmico, mas a asa do nariz é inervado pelo 
nervo maxilar. 
 
 
Seios paranasais: 
 São extensões, cheias de ar, da parte respiratória 
da cavidade nasal para os ossos do crânio  
frontal, etmoide, esfenoide e maxila. 
 São eles: seios frontais, células etmoidais, seios 
esfenoidais e seios maxilares. 
 
 
Seios frontais: 
 Entre as lâminas externa e interna do osso 
frontal; 
 Cada seios drena de um ducto frontonasal para o 
infundíbulo etmoidal (que se abre no hiato 
semilunar do meato nasal médio); 
 
Células etmoidais: 
 Pequenas invaginações da túnica mucosa dos 
meatos nasais médio e superior para o etmoide; 
 Células etmoidais anteriores e médias: drenam 
para o meato nasal médio; 
 Células etmoidais posteriores: drenam para o 
meato nasal superior. 
 
Seios esfenoidais: 
 Localizados no corpo do esfenoide; 
 Derivados de uma célula etmoidal posteriores que 
invade o esfenoide; 
 Drena para o recesso esfenoetmoidal. 
 
Seios maxilares: 
 São os maiores seios paranasais; 
 Se comunicam com o meato nasal médio 
 Por aberturas no hiato semilunar chamadas de 
óstio maxilar ou abertura do seio maxilar. 
 
Resumindo: 
 
 
 
 Gabriela Domingues Werner

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.