Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
6 pág.
apol 1 daniel

Pré-visualização | Página 1 de 2

Questão 1/10 - Daniel
Leia o fragmento de texto a seguir:
“As histórias de Daniel 1-6 foram exemplo e motivaram o testemunho dos judeus; a segunda parte, 7-12, contribuiu para proclamar a justiça final de Deus sobre os opressores”.
Após esta avaliação, caso queira ler o texto integralmente, ele está disponível em:  ANDINACH, Pablo. Introducción hermenêutica al Antiguo Testamento. Navarra: Verbo Divino, 2014, p. 311 – Tradução do autor.
Andinach e muitos outros autores são unânimes em dividir o livro de Daniel em duas partes, isto é, de 1 a 6 e de 7 a 12. Seriam duas unidades completas e com possíveis inter-relações. Considerando o fragmento de texto acima e os conteúdos do livro-base História das religiões, Apocalipse e história de Israel - Capítulo 2 - O Livro de Daniel, quais são os nomes dados a essas unidades?  
	
	A
	Exegética e semântica
	
	B
	Filológica e hermenêutica
	
	C
	Alegórica e parabólica
	
	D
	Apocalíptica e profética
	
	E
	Literária e profética
Questão 2/10 - Daniel
Leia o fragmento de texto a seguir:
“Mesmo que o livro de Daniel outorgue datas e nomes de monarcas para as diferentes cenas, isto deve ser considerado um recurso estilístico em função de criar um clima propício para destacar o heroísmo e a fidelidade em tempos difíceis da história de Israel”
Após esta avaliação, caso queira ler o texto integralmente, ele está disponível em:  ANDINACH, Pablo. Introducción hermenêutica al Antiguo Testamento. Navarra: Verbo Divino, 2014, p. 310 – Tradução do autor.
No mundo antigo era algo relativamente comum que os reis conquistadores mudassem os nomes de prisioneiros importantes. A prática do conquistador babilônico não foi diferente. Aprisionando Daniel e seus amigos na Babilônia, o conquistador imediatamente mandou alterar seus nomes, indicando, assim, quem de fato estava no poder. De acordo com o fragmento de texto acima e os conteúdos do livro-base História das religiões, Apocalipse e história de Israel - Capítulo 2 - O Livro de Daniel, os novos nomes dados a Daniel e seus amigos são:
	
	A
	Melquisedeque, Jó, Azarias e Jonas.
	
	B
	Elidaz, Baldade, Sofar e Eliú.
	
	C
	Beltesassar, Sadraque, Mesaque e Abede-Nego.
	
	D
	Ezequiel, Isaías, Jeremias e Sofonias.
	
	E
	Ló, Abraão, Jacó e Isaque.
Questão 3/10 - Daniel
Considere o seguinte extrato de texto:
“O método de Nabucodonosor era deportar a nobreza de cada geração conquistada e integrá-la no serviço público da Babilônia. Eles mesmos governariam sobre os demais súditos conquistados. Assim, aqueles que se rebelassem teriam de fazê-lo contra seu próprio povo, talvez contra seus próprios filhos”.
Após esta avaliação, caso queira ler o texto integralmente, ele está disponível em: LOPES, Hernandes D. Daniel: um homem amado no céu. São Paulo: Hagnos, 2005, p. 32.
De acordo com o livro-base livro-base História das religiões, Apocalipse e história de Israel - Capítulo 2 - O Livro de Daniel, Daniel e seus amigos foram aprisionados pelo exército invasor e levados para o exílio na Babilônia. Identifique abaixo a alternativa que corresponda ao “status social” de Daniel e seus amigos quando de seu aprisionamento:
	
	A
	Todos eles pertenciam ao exército do povo de Deus
	
	B
	Todos eles eram funcionários do palácio real
	
	C
	Todos eles eram camponeses
	
	D
	Todos eles eram príncipes
	
	E
	Todos eles eram sacerdotes
uestão 4/10 - Daniel
Leia o fragmento de texto a seguir: 
“Quando lemos esta nova cifra, setenta vezes sete anos, como indicação do tempo do grande evento final, devemos lembrar-nos de que ela também significa ‘aproximadamente quinhentos anos’. Certa vez Pedro perguntou a Jesus quantas vezes deveria perdoar seu irmão. Ele respondeu: ‘até setenta vezes sete’. Com isto ele não queria dizer uma quantidade literal de quatrocentas e noventa vezes, mas empregando apenas uma frase comumente usada para indicar um número alto”.
Após esta avaliação, caso queira ler o texto integralmente, ele está disponível em: WALLACE, Ronald. S. A mensagem de Daniel. São Paulo: Abu, 1987, p. 175.
O vocábulo “jubileu” é de extrema importância para se compreender a questão simbólica dos números na Bíblia. Ele representava um grande ajustamento social e econômico que acontecia a cada cinquenta anos. De acordo com o fragmento de texto acima e os conteúdos do livro-base História das religiões, Apocalipse e história de Israel - Capítulo 2 - O Livro de Daniel, qual a incidência da palavra “jubileu” no Antigo Testamento?
	
	A
	15 vezes.
	
	B
	20 vezes.
	
	C
	16 vezes.
	
	D
	17 vezes.
	
	E
	19 vezes.
Questão 5/10 - Daniel
Leia o fragmento de texto a seguir: 
“A palavra do anjo Gabriel fez Daniel lembrar mais uma vez que Deus tinha coisas maiores para considerar do que a volta do povo pelo deserto e a reedificação de Jerusalém. Além disso, a palavra veio a Daniel no sentido de que a numerologia exata no prenúncio de um evento é muito menos importante do que a questão quanto a se vai mesmo acontecer, ou não”.
Após esta avaliação, caso queira ler o texto integralmente, ele está disponível em: WALLACE, Ronald. S. A mensagem de Daniel. São Paulo: Abu, 1987, p.175.
As setenta semanas de Daniel são dadas com objetivos bem precisos. Um deles é “fazer cessar a transgressão”. Em grego, “transgressão” é “anomia”. Considerando o fragmento de texto acima e os conteúdos do livro-base História das religiões, Apocalipse e história de Israel - Capítulo 2 - O Livro de Daniel, pode-se traduzir “anomia” também como:
	
	A
	Justiça, fraternidade, solidariedade.
	
	B
	violação da lei, desordem, anarquia.
	
	C
	errar o alvo, pecar, desviar.
	
	D
	tortuosidade, iniquidade, desigualdade.
	
	E
	reincidir, repetir, recair.
Questão 6/10 - Daniel
Considere o seguinte extrato de texto: 
“Deus abriu as cortinas do futuro e revelou a Daniel os fatos que haveriam de suceder ao longo da história. A diferença entre livros históricos e proféticos é que estes contam a história antes dela acontecer, aqueles narram e interpretam o que já aconteceu”.
Após esta avaliação, caso queira ler o texto integralmente, ele está disponível em: LOPES, Hernandes D. Daniel: um homem amado no céu. São Paulo: Hagnos, 2005, p. 18.
Lopes, de maneira muito peculiar, apresenta uma divisão conceitual entre livros históricos e proféticos. A partir dessa peculiar divisão e segundo o livro texto, o livro de Daniel poderia ser comparado a qual texto do Novo Testamento?
	
	A
	Ao Livro do Apocalipse
	
	B
	Ao Evangelho de Mateus 
	
	C
	À Carta aos Hebreus
	
	D
	Ao Evangelho de João
	
	E
	À Carta aos Romanos
Questão 7/10 - Daniel
Leia o fragmento de texto a seguir: 
“O anjo Gabriel veio e, com efeito, disse que ‘setenta anos’ para Jeremias significava ‘setenta semanas de anos’. Começou a falar não sobre a volta de Israel da Babilônia, mas, sim, sobre um acontecimento muito mais distante. Foi um desafio para Daniel desviar os olhos dos acontecimentos do futuro iminente para eventos muito mais distantes e importantes, que tinham a ver com o tempo do fim de todas as coisas”.
Após esta avaliação, caso queira ler o texto integralmente, ele está disponível em: WALLACE, Ronald. S. A mensagem de Daniel. São Paulo: Abu, 1987, p.  174.
As setentas semanas de Daniel são estudadas, em muitos grupos fundamentalistas, como se fossem semanas literais e, por isso, percebidas como se fossem de ordem “histórica”. Para esses grupos, as semanas estariam divididas em três períodos. De acordo com o extrato de texto acima e os conteúdos do livro-base História das religiões, Apocalipse e história de Israel - Capítulo 2 - O Livro de Daniel, qual seria a divisão proposta para as semanas?  
	
	A
	Um período de 6 semanas, um de 62 semanas, um de 2 semanas.
	
	B
	Um período de 5 semanas, um de 63 semanas, um de 1 semana.
	
	C
	Um período de 7 semanas, um de 60 semanas, um de 2 semanas.
	
	D
	Um período de 7 semanas, um de 62 semanas, um de 1 semana.
	
	E
	Um período de 6 semanas, um de 61 semanas, um de 3 semanas.
Questão 8/10 - Daniel
Considere o fragmento de texto a seguir: 
“O Messias veio para trazer justiça
Página12