A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
estruturasdegestaopublica

Pré-visualização | Página 10 de 31

Plano de Contas Único da União, bem como estabelecer normas 
e procedimentos adequados aos registros contábeis;
• Com base em apurações de atos e fatos inquinados (qualificados) de ilegais ou irregulares, 
efetuar os registros pertinentes e adotar as providências necessárias à responsabilização 
do agente, comunicando o fato à autoridade a quem o responsável esteja subordinado 
e ao órgão ou unidade do Sistema de Controle Interno;
• Realizar tomadas de contas dos ordenadores de despesa e demais responsáveis por 
bens e valores públicos e de todo aquele que der causa a perda, extravio ou outra 
irregularidade que resulte dano ao erário;
• Elaborar os balanços gerais da União.
A organização do sistema de contabilidade federal é semelhante à do sistema de adminis-
tração financeira e também tem a STN como órgão central. A diferença está nos órgãos setoriais. 
No sistema de contabilidade, os órgão setoriais são somente as unidades de gestão interna 
Despesa empenhada: crédito reservado em favor de empresa contratada a ser 
pago se o serviço for efetivamente cumprido. Ocorre quando da assinatura dos
contratos ou congêneres.
Despesa liquidada: verificação de que o credor cumpriu a sua parte e que re-
almente tem direito ao pagamento. Acontece quando do atesto da execução 
contratual (nota fiscal, recebimento do objeto, etc.).
Despesa paga: a Administração satisfaz a obrigação de que o credor tinha 
direito. 
Renúncia de receitas: a Administração deixa de receber os recursos devidos 
para que o devedor execute ações de interesse estatal (por exemplo, renúncia de 
tributos para que uma empresa realize pesquisa em tecnologia).
14
Estruturas de Gestão Pública 
Tr
ib
un
al
 d
e 
Co
nt
as
 d
a 
Un
iã
o
dos Ministérios e da Advocacia-Geral da União (AGU). Ao passo que no sistema de administração 
financeira temos os próprios Ministérios, a AGU, a Presidência da República e a Casa Civil.
As atividades contábeis dos órgãos integrantes da Presidência da República e da Vice-
Presidência da República são exercidas pelo órgão de controle interno da Casa Civil, o qual foi 
transferido para a Secretaria-Geral da Presidência da República, conforme o Decreto 7.442/2011, 
de 17/2/2011.
Sistema de Contabilidade Federal
Qual é a organização do sistema de controle interno? 
O que seus agentes podem fazer no desempenho das 
atividades de controle? 
O que devem fazer se encontrarem alguma irregularidade?
 Ministérios
Presidência
AGU
Vice-Presidência
STN
Órgãos
Setoriais
Secretaria de 
Controle Interno
da Secretaria-Geral
da Presidência da
República
3.4 Sistema de Controle Interno do Poder Executivo Federal
Esse sistema compreende as atividades de avaliação do cumprimento das metas previstas 
no plano plurianual, da execução dos programas de governo e dos orçamentos da União e de 
avaliação da gestão dos administradores públicos federais, mediante auditorias e fiscalizações.
O sistema de controle interno do poder executivo federal é responsável por controlar as ati-
vidades dos outros sistemas: planejamento, elaboração e execução do orçamento, administração 
financeira e contabilização dos atos e fatos relativos. Fecha o Ciclo de Gestão, pois é responsável 
por verificar a atuação dos outros sistemas, para que eventuais falhas não se repitam em exercí-
cios posteriores e a atividade administrativa melhore continuamente.
Vamos explorar um pouco o sistema de controle interno.
15
Tribunal de Contas da União
Aula 2 - Ciclo de G
estão na Adm
inistração Pública Federal
A Lei 10.180/2001 definiu a finalidade do sistema de controle interno do mesmo modo 
que o art. 74 da CF/1988 o fez:
I - avaliar o cumprimento das metas previstas no plano plurianual, a execução dos programas 
de governo e dos orçamentos da União;
II - comprovar a legalidade e avaliar os resultados, quanto à eficácia e eficiência, da gestão 
orçamentária, financeira e patrimonial nos órgãos e entidades da administração federal, bem 
como da aplicação de recursos públicos por entidades de direito privado;
III - exercer o controle das operações de crédito, avais e garantias, bem como dos direitos e 
haveres da União;
IV - apoiar o controle externo no exercício de sua missão institucional. (art. 74 da CF)
É prevista a pena de responsabilidade solidária aos responsáveis pelo controle 
interno que encontrem qualquer irregularidade ou ilegalidade e não deem 
ciência ao Tribunal de Contas da União. CF/1988, art. 74, § 1º.
Para exercer suas atribuições, as unidades do sistema de controle interno têm como com-
petências, além de outras:
• Realizar auditoria sobre a gestão dos recursos públicos federais;
• Apurar os atos ou fatos inquinados (qualificados) de ilegais ou irregulares, praticados 
por agentes públicos ou privados, na utilização de recursos públicos federais e, quando 
for o caso, comunicar à unidade responsável pela contabilidade para as providências 
cabíveis;
• Realizar auditorias nos sistemas contábil, financeiro, orçamentário, de pessoal e demais 
sistemas administrativos e operacionais;
• Avaliar o desempenho da auditoria interna das entidades da Administração Indireta 
Federal;
• Elaborar a Prestação de Contas Anual do Presidente da República.
Segundo a Lei 10.180/2001, integram esse sistema os seguintes órgãos:
• Órgão Central: Secretaria Federal de Controle Interno (SFCI);
16
Estruturas de Gestão Pública 
Tr
ib
un
al
 d
e 
Co
nt
as
 d
a 
Un
iã
o
• Órgãos Setoriais: integram a estrutura do Ministério das Relações Exteriores, do 
Ministério da Defesa, da Advocacia-Geral da União e da Casa Civil.
• Departamento Nacional de Auditoria do Sistema Único de Saúde (Denasus), como 
órgão central do Sistema Nacional de Auditoria do SUS.
O art. 23 da Lei 10.180/2001 cria a Comissão de Coordenação de Controle Interno, que é 
órgão colegiado de coordenação do sistema e tem o objetivo de promover a integração e homo-
geneizar entendimentos dos respectivos órgãos e unidades.
Posteriormente, o Decreto 3.591/2000 (com redação dada pelo Decreto 4.304/2002) de-
finiu que o órgão central do Sistema de Controle Interno do Poder Executivo Federal seria a 
Controladoria-Geral da União (atual Ministério da Transparência, Fiscalização e Controladoria-
Geral da União - CGU) e os órgãos setoriais passariam a ser chamados de Secretarias de Controle 
Interno (CISET). Ademais, instituiu que as unidades de controle interno dos comandos militares 
são unidades setoriais da Secretaria de Controle Interno do Ministério da Defesa.
A atividade de controle interno dos órgãos integrantes da Presidência da 
República e da Vice-Presidência da República é exercida pelo órgão de controle 
interno da Casa Civil.
O Decreto 7.442/2011, como já comentado, transferiu o órgão de controle interno da 
Casa Civil para a Secretaria-Geral da Presidência da República.
Sistema de Controle Interno do Poder Executivo Federal
CGU
 
CISET
Ministérios das 
Relações Exteriores
AGU
Ministério da Defesa
Secretaria-Geral da 
Presidência da República
Unidades
dos comandos
militares
17
Tribunal de Contas da União
Aula 2 - Ciclo de G
estão na Adm
inistração Pública Federal
O Decreto 3.591/2000 contém outras importantes previsões, tais como:
• a SFCI desempenhará as funções operacionais de competência da CGU, além das 
atividades de controle interno do Poder Executivo, excetuando os órgãos jurisdicionados 
pelas CISET e pelas unidades dos comandos militares;
• a SFCI contará com o apoio dos Assessores Especiais de Controle Interno em 
cada Ministério, com atribuições de, por exemplo, auxiliar o ministro, orientar os 
administradores, auxiliar e submeter ao ministro o processo de tomada de contas;
• as entidades da Administração Indireta deverão organizar a respectiva unidade de 
auditoria interna.
Posteriormente ao Decreto 3.591/2000, houve a edição do Decreto 8.910/2016, aprovan-
do a estrutura regimental da

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.