A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
12 pág.
processo_adm_aula_5

Pré-visualização | Página 1 de 1

Direito Administrativo
Processo Administrativo 
Direito de Petição
 Isso, tendo em vista o direito de petição (inciso XXXIV do art. 5º), que implica na necessidade de análise do pedido, de instrução informativa e probatória a respeito, o que vai construir as bases da motivação da decisão final. Essa provocação pode se dar antes ou depois de um ato administrativo, neste último caso corresponderá a um pedido de revisão (2000, p. 441).
Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes:
XXXIV - são a todos assegurados, independentemente do pagamento de taxas:
a) o direito de petição aos Poderes Públicos em defesa de direitos ou contra ilegalidade ou abuso de poder;
Origem e evolução do direito de petição 
Bill of Rights inglês, de 1688
No constitucionalismo brasileiro 1824 
CF -88 Art 5►XXXIV
O direito de petição recebe diversas denominações na legislação nacional (representação denunciatória, representação, requerimento, solicitação, reclamações etc)
Núcleo constitucional do processo administrativo
I. Direito de petição - art. 5º, inc. XXXIV, CF/88
 II. Devido processo legal - art. 5º, inc. LIV, CF/88 
III. Ampla defesa e contraditório – art. 5º, LV, CF/88 
IV. Duração razoável dos processos – art. 5º, LXXVIII, CF/88
Outras normas constitucionais que expressam a processualidade administrativa: 
Art. 37, inc. XXI, ressalvados os casos especificados na legislação, as obras, serviços, compras e alienações serão contratados mediante processo de licitação pública que assegure igualdade de condições a todos os concorrentes, com cláusulas que estabeleçam obrigações de pagamento, mantidas as condições efetivas da proposta, nos termos da lei, o qual somente permitirá as exigências de qualificação técnica e econômica indispensáveis à garantia do cumprimento das obrigações; [...]
Art. 41, §1º O servidor público estável só perderá o cargo: II - mediante processo administrativo em que lhe seja assegurada ampla defesa; [...]
Requisitos e aspectos gerais do direito de petição
O direito de petição cabe a qualquer pessoa: física ou jurídica, indivíduo ou grupos de indivíduos; 
Deve possuir eficácia: não pode a autoridade a quem é dirigido escusar pronunciar-se sobre a petição (art. 48 da Lei nº 9.784/99: a Administração tem o dever de explicitamente emitir decisão nos processos administrativos e sobre solicitações ou reclamações, em matéria de sua competência); e 
É isento do pagamento de taxa.
Jurisprudência 
“Note-se que o encarecimento do processo administrativo [...] se apresenta em outros direitos que são erigidos na mesma condição constitucional fundamental, como se tem com o reconhecimento do direito de petição aos poderes públicos. [...] O exercício do direito de petição tangencia o processo administrativo, particularmente quando se cuida de impugnação (ou ‘petição’ para se manter a expressão constitucional) contra ilegalidade ou abuso de poder, porque se tem, então, inevitavelmente, um processo, no qual se abriga tanto o contraditório, quanto a ampla defesa, a segurança dos princípios processuais constitucionais explícitos e implícitos adotados pelo sistema. O direito de petição não começa e termina no pedido do administrado ou do agente público. A petição, obviamente, é apenas a primeira peça de um processo, que se desenrola, formalmente, para a obtenção do resultado segundo os princípios estabelecidos. Tal resultado mais não é que a prática eficaz, eficiente e justa da atividade administrativa juridicamente concebida. A realização de um processo pela Administração Pública não é competência-faculdade, mas competência-dever vinculado.” (RE 568863, Relator(a): Min. CÁRMEN LÚCIA, julgado em 05/09/2008, publicado em DJe-180 DIVULG 23/09/2008 PUBLIC 24/09/2008).
DA INSTAURAÇÃO DO PROCESSO ADMINISTRATIVO
Fase inicial: 
Abrange a instauração, que pode ser de ofício ou por provocação, e a defesa: 
• Do início do processo; 
• Dos interessados; 
• Da competência; 
• Dos impedimentos e da suspeição; 
• Da forma, tempo, e lugar dos atos processuais; e 
• Da comunicação dos atos.
Do início do processo; 
Lei 9784-99 Regula o processo administrativo no âmbito da Administração Pública Federal.
Art. 5o O processo administrativo pode iniciar-se de ofício ou a pedido de interessado.
Princípio da oficialidade ou impulso oficial
Artigo 6 da Lei nº 9.784 de 29 de Janeiro de 1999
Art. 6o O requerimento inicial do interessado, salvo casos em que for admitida solicitação oral, deve ser formulado por escrito e conter os seguintes dados:
I - órgão ou autoridade administrativa a que se dirige;
II - identificação do interessado ou de quem o represente;
III - domicílio do requerente ou local para recebimento de comunicações;
IV - formulação do pedido, com exposição dos fatos e de seus fundamentos;
V - data e assinatura do requerente ou de seu representante.
Parágrafo único. É vedada à Administração a recusa imotivada de recebimento de documentos, devendo o servidor orientar o interessado quanto ao suprimento de eventuais falhas.
Direito de petição e formalismo moderado
Padronização gera maior racionalidade e eficiência (MARRARA: 2003)
Art. 7o Os órgãos e entidades administrativas deverão elaborar modelos ou formulários padronizados para assuntos que importem pretensões equivalentes.

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.