Barroco (Final XVI até começo XVIII) - Formação e contexto
8 pág.

Barroco (Final XVI até começo XVIII) - Formação e contexto


DisciplinaHistória da Arte: do Barroco ao Impressionismo1.134 materiais3.572 seguidores
Pré-visualização1 página
Barroco
(Final XVI até começo XVIII)
1) Formação e contexto
\u2022 A palavra \u201cbarroco\u201d foi empregada primeiramente na 
arquitetura como uma crítica ao ecletismo das 
construções do século XVII, principalmente pelo uso 
ousado das regras de construções clássicas ou pela má 
interpretação destas. 
\u2022 Ou seja, o barroco foi uma designação pejorativa até 
o final do século XIX, quando alguns historiadores 
voltaram a estudá-lo. 
\u2022 Temos dois possíveis sentidos para a palavra. 
\u2022 O primeiro, de origem italiana, significa \u201cgrotesco\u201d e 
\u201cabsurdo\u201d. 
\u2022 O segundo, de interpretação portuguesa, compreende 
uma \u201cpedra irregular\u201d, daí a chamada \u201cpérola 
barroca\u201d, uma pérola irregular. 
\u2022 A noção de irregularidade vai permear a arte barroca, 
visto que é uma oposição ao modelo clássico 
(harmonia e regularidade), à sua exaltação do 
racional, e a afirmação de uma arte que apelasse para 
o oposto: o sentimentalismo, o drama e a ousadia 
construtiva. 
\u2022 Em sua origem, o Barroco foi marcado pelo embate 
entre a Igreja Católica e a Igreja Protestante. 
\u2022 A reforma protestante impeliu a Igreja Católica a 
sustentar um estilo artístico que fosse capaz de 
contra-atacar o avanço da reforma. 
\u2022 Surge então a contra-reforma em que a arte barroca 
torna-se um grande instrumento de propaganda 
religiosa, envolvendo o povo pela emoção através da 
arte.
\u2022 À irregularidade, podemos apontar a noção de 
excesso. 
\u2022 Se, por um lado, a arte clássica prezava pelo caráter 
visual sintético, linear e econômico, o barroco dará 
prioridade ao excesso como modo de quebrar a 
suposta serenidade clássica e expressar a paixão, um 
tema constante neste estilo. 
2) Características e elementos estilísticos
\u2022 Apesar de o barroco ter se evidenciado como um 
estilo oficial da igreja católica italiana, o seu estilo se 
diversificou e não pode ser considerado apenas como 
uma arte religiosa, mas sim como uma postura 
reflexiva diante da arte que traz pontos consideráveis 
de diferença com o Renascimento. 
\u2022 Por essa razão temos o \u201cbarroco rico\u201d, italiano, 
católico e representado pelo escultor e arquiteto 
Bernini e pelo pintor Caravaggio, e o \u201cbarroco 
pobre\u201d, flamengo e holandês, protestante, que têm 
como os seus principais artistas Rubens e Rembrandt. 
\u2022 Mas a questão central de ambos os estilos barrocos é 
a dramaticidade e instabilidade nas imagens.