Complexidade – Wikipédia  a enciclopédia livre
6 pág.

Complexidade – Wikipédia a enciclopédia livre


DisciplinaAlgoritmos14.809 materiais172.713 seguidores
Pré-visualização2 páginas
os elementos de
ordem e de certeza, de retirar a ambigüidade, de clarificar, de distinguir, de hierarquizar... Mas tais operações,
necessárias à inteligibilidade, correm o risco de a tornar cega se eliminarem os outros caracteres do complexus;
e efetivamente, como o indiquei, elas tornam-nos cegos."
Proposta
A proposta da complexidade é a abordagem transdisciplinar dos fenômenos, e a mudança de paradigma,
abandonando o reducionismo que tem pautado a investigação científica em todos os campos, e dando lugar à
criatividade e ao caos.
Princípios
Sendo transdisciplinar, não é possível uma definição sucinta do termo e
suas aplicações. Alguns dos conceitos que compõem o tecido da
complexidade:
auto-organização
amplificação por flutuações
artificialeza
autoconsistência
autopoiese: capacidade de um sistema de organizar de tal forma que o único produto seja ele mesmo.
auto-semelhança
imprecisão
conectividade
construtivismo
correlação
criticabilidade
dialógica
diversidade
emergência
fluxo
imprevisibilidade
inclusão
metadimensionalidade
onijetividade
paradoxo
aderência
potencialidade
retorno
ressonância
rizomas
virtualidade
Temas da complexidade
Auto-organização, fractalidade e emergência
A noção de emergência está ligada à teoria dos sistemas. Um sistema constitui-se de partes interdependentes
entre si, que interagem e tranformam-se mutuamente, desse modo o sistema não será definível pela soma de
suas partes, mas por uma propriedade que emerge deste seu funcionamento. O estudo em separado de cada
parte do sistema não levará ao entendimento do todo, esta lógica se contrapõe ao método cartesiano analítico
que postulava justamente ao contrário.
Nesta perspectiva o todo é mais do que a soma das partes. Da organização de um sistema nascem padrões
emergentes que podem retroagir sobre as partes. Por outro lado o todo é também menos que a soma das
partes uma vez que tais propriedades emergentes possam também inibir determinadas qualidades das partes.
Mudança, evolução e realimentação
Um sistema realimentado é necessariamente um sistema dinâmico, já que deve haver uma causalidade implícita.
Em um ciclo de retroação uma saída é capaz de alterar a entrada que a gerou, e, consequentemente, a si
própria. Se o sistema fosse instantâneo, essa alteração implicaria uma desigualdade. Portanto em uma malha de
realimentação deve haver um certo retardo na resposta dinâmica. Esse retardo ocorre devido a uma tendência
do sistema de manter o estado atual mesmo com variações bruscas na entrada. Isto é, ele deve possuir uma
tendência de resistência a mudanças. O que, por sua vez, significa que deve haver uma memória intrínseca a um
sistema que pode sofrer realimentação
Campo, cultura, ecologia e ambiente
Caos, desordem e incerteza
Os trabalhos de divulgação de Ilya Prigogine talvez sejam as melhores fontes para entender rigorosamente o
papel do caos e sua relação com a incerteza. As teorias do caos, popularizadas pelo "efeito borboleta", (a qual
a alusão em que o bater de asas de uma borboleta no pacífico poderia causar um tufão em outro lugar distante
do planeta é apenas uma alegoria estilística para a interpretação real do fenômeno), estão relacionadas à não-
lineariedade e à sensibilidade às condições iniciais.
Assim, relações deterministas, às vezes muito simples, podem gerar, após muitas interações, divergências de
trajetórias significativas partindo de condições iniciais muito próximas. Daí se afirmar que há um comportamento
caótico, já que não há padrão para determinar no longo prazo (ou após muitas interações) qual o
comportamento da trajetória a partir de condições iniciais aproximadas, ainda que para, por exemplo, 40 casas
decimais! Porém, surpreendentemente, se do ponto de vista individual há o caos, muitas vezes há um padrão
estatístico com relação à distribuição de probabilidade das trajetórias, o que permite alguma inteligibilidade e
tratamento científico do caos.
Ampliação da consciência e relação corpo-mente
Desconstrução, novas organizações, criatividade e pedagogias críticas
Paraconsistência e lógicas não-convencionais
Transdisciplinaridade, meta-sistemas e pensamento complexo
Virtualidade, novas tecnologias
Expoentes
Benoit Mandelbrot
David Bohm
Edgar Morin
Edward Lorenz
Francisco Varela
Fritjof Capra
Geoffrey Chew
Gregory Bateson
Humberto Mariotti
Humberto Maturana
Ilya Prigogine
Lynn Margulis
Pedro Demo
Rupert Sheldrake
Referências
1. \u2191 Gianluca Bocchi, Mauro Ceruti, La sfida della complessità, Feltrinelli, Milano, 1985 (prima edizione). Bruno
Mondadori, Milano, 2007 (nova edição)
2. \u2191 Tullio Tinti, La \u201csfida della complessità\u201d verso il Terzo Millennio
(http://www.tulliotinti.net/psicofilosofia/articoli/epistemologia_complex.pdf) , pdf, artigo publicado na revista
Novecento (ano 18, n.12, pp.7-12, p.25).
3. \u2191 G.Bocchi, M.Ceruti (a cura di), La sfida della complessità, Bruno Mondadori 2007 (prima edizione Feltrinelli
1985)
4. \u2191 F.T. Arecchi, Caos e complessità nel vivente, IUSS Press, Pavia, 2004, p. 11-12
5. \u2191 Cos\u2019è un sistema complesso? (http://scienzapertutti.lnf.infn.it/Quark/03/Dicembre/quark/newP/2.html)
Istituto Nazionale di Fisica Nucleare: Scienza per tutti, pag. 1.
Ver também
Complexidade de Kolmogorov
Holismo
Sinergia
Sistemas complexos
Teoria do caos
Teoria semiótica da complexidade
Teoria da Biopsicoética
Fontes
Red de Complejidad, Caos, Creatividad y otros temas transdisciplinarios
(http://www.colciencias.gov.co/redcom/index.html)
CAMAZINE, Scott, DENEUBOURG, Jean-Louis, FRANKS, Nigel R., SNEYD, James,
THERAULAZ, Guy & BONABEAU, Eric. Self-Organization in Biological Systems. New Jersey:
Princeton Studies in Complexity, 2001.
MORIN, Edgar. O Paradigma Perdido: A Natureza Humana. Seuil: Publicações Europa-América
LDA, 1973.
MORIN, Edgar. O método. Vol. 1: a natureza da natureza. Título original: La méthode 1: la nature de la
nature. Éditions du Seuil, 1977. Direitos reservados por Publicações Europa-América, Ltda.
MORIN, Edgar. O método. Vol. 2: a vida da vida. Título original: La méthode 2: la vie de la vie.
Éditions du Seuil, 1980. Direitos reservados por Publicações Europa-América, Ltda.
MORIN, Edgar. O método. Vol. 3: o conhecimento do conhecimento. Título original: La méthode 3: la
connaissance de la connaisance. Éditions du Seuil, 1986. Direitos reservados por Publicações Europa-
América, Ltda.
MORIN, Edgar. O método. Vol 4: As ideias: a sua natureza, vida, habitat e organização. Título original:
La méthode 4: les idées: leuer habitat, leuer vie, leuers moeurs, leur organization. Éditions du Seuil, 1991.
Direitos reservados por Publicações Europa-América, Ltda.
MORIN, Edgar. O método. Vol. 5: a humanidade da humanidade. Tradução: Juremir Machado da
Silva. Porto Alegre: Sulina, 2002. Título original: la méthode 5: l´ humanité de l´ humanité. Éditions du
Seuil, 2001.
MORIN, Edgar. O método. Vol. 6: Ética. Tradução: Juremir Machado da Silva. Porto Alegre: Sulina,
2005. Título original: La méthode 6. Éthique. Éditions du Seuil, 2004.
Ligações externas
Edgar Morin SESC SP (http://edgarmorin.sescsp.org.br/)
Instituto de Estudos da Complexidade (http://www.iecomplex.com.br/)
Association pour la Pensée Complexe (http://www.mcxapc.org/)
NEMESS (http://www.pucsp.br/nemess/)
GRECOM (http://www.ufrn.br/grecom/)
CETRANS (http://www.iecomplex.com.br/)
Obtida de "http://pt.wikipedia.org/w/index.php?title=Complexidade&oldid=32647025"
Categorias: Teoria dos sistemas Teoria do caos
Navigation menu
Esta página foi modificada pela última vez à(s) 01h31min de 18 de outubro de 2012.
Este texto é disponibilizado nos termos da licença Atribuição-Partilha nos Mesmos Termos 3.0 não
Adaptada (CC BY-SA 3.0); pode estar sujeito a condições adicionais. Consulte as condições de uso
para mais detalhes.