Aula_Jornada de Trabalho
7 pág.

Aula_Jornada de Trabalho


DisciplinaLegislação Trabalhista e Previdenciária5.254 materiais25.694 seguidores
Pré-visualização3 páginas
\ufffdPAGE \ufffd6\ufffd
\ufffdPAGE \ufffd1\ufffd
AULA Nº 9
Objetivos específicos: 1) Conhecer os fundamentos e objetivos que levaram o legislador a limitar a duração da jornada de trabalho; 2)Entender que o sistema legal que tem como uma de suas finalidades a proteção do trabalhador
DURAÇÃO DO TRABALHO (trabalho I)
Limitação do tempo de trabalho: fundamentos e objetivos
Jornada de trabalho
Horário de trabalho
Tempo in itinere
Limitação da jornada
Intervalos compulsórios
Trabalho em regime de revezamento
Trabalho noturno
Prorrogação e redução da jorna de trabalho
acordo de prorrogação e banco de horas
regime de trabalho em regime parcial
hora extra e sobre aviso
Repouso semanal remunerado(lei 605/49)
fundamentos, natureza jurídica
duração e remuneração do repouso
trabalho em domingos e feriados
História
Europa em 1850, 12 a 16 horas por dia; EUA 11 a 13 horas por dia, em 1868 foi fixada a jornada em 8 horas
Brasil, em 1932, 8 horas por dia (comércio)
A CF/88, art. 7º, XIII, não superior a 8 horas diárias e 44 horas semanais, facultada a compensação de horários e a redução de jornada, mediante ACORDO ou CONVENÇÃO COLETIVA de trabalho; 7º, XIV, 6 horas quando em turnos ininterruptos de revezamento, salvo negociação coletiva
Denominação
Emprega-se 3 nomes: jornada de trabalho, duração do trabalho e horário de trabalho
Horário de trabalho é o espaço de tempo em que o empregado presta serviço ao empregador, contando do momento em que se inicia até ao seu término, não computando o tempo de intervalo
Conceito 
Jornada de trabalho é a quantidade do trabalho diário do empregado
O conceito de jornada de trabalho deve ser analisado sob 3 aspectos: do tempo efetivamente trabalhado, do tempo à disposição do empregador e do tempo in itinere
Tempo efetivamente trabalhado: somente é considerado o tempo em que efetivamente o empregado presta o serviço (essa teoria não é aplicada em nossa legislação)
Tempo à disposição do empregador: desde o momento em que o empregado chega à empresa até o momento em que se retira; é o que ocorre com os mineiros art. 294 CLT; com os ferroviários art. 238 CLT e sobreaviso enquanto aguarda em sua casa §2], art. 244 CLT e prontidão § 3º, art. 244 CLT, a prontidão é também aplicável aos eletricitários En. 229 TST, art. 4º CLT como regra geral à disposição do empregador
Tempo in itinere: desde o momento em que sai de sua residência até quando a ela regressa (não se considera em todos os casos); a jurisprudência do TST (En. 90, 324, 325), fixou entendimento desde que o empregador forneça condução e o local seja de difícil acesso ou não servido por transporte regular público, como ocorre com os trabalhadores das lavouras, a jornada inicia-se com o ingresso na condução fornecida pelo empregador, essa orientação foi acolhida pela Lei 8213/91, art. 21, IV, d que diz respeito ao acidente do trabalho ocorrido no trajeto residência-empresa e vice-versa 
Natureza jurídica
Dois aspectos: 
de natureza pública (estado tem interesse de proteger o trabalhador para que possa descansar
 de ordem privada (as partes podem fixar jornadas inferiores às previstas em lei ou nas normas coletivas
Classificação
A jornada de trabalho pode ser dividida em: quanto à duração, ao período, à profissão e à flexibilidade
quanto à duração: a jornada pode ser NORMAL ( 8hora diárias e 44 horas semanais, art. 7º, XIII CF, salvo disposição ao contrário); as suplementar ou extraordinária, são as horas que excedem os limites legais; LIMITADA, quando há um balizamento na lei (médicos o limite máximo é de 4 horas, art. 8º, a, Lei 3999/61); ILIMITADA, quando a lei não determina limite para a prestação
quanto ao período: a jornada pode ser DIURNA (5 e 22 h); NOTURNA (22 e 5 h, art. 73, § 2º CLT); e MISTA (parte diurna e parte noturna), art. 73, § 4º CLT; o rural na lavoura 21 e 5 h; pecuária 20 e 4 h (art. 7º Lei 5889/73)
quanto à profissão:
bancário 6 h, art. 224 CLT
telefonista 6 h ou 36 semanais, art. 227 CLT
jornalista 5 h, art. 303 CLT, etc
fisioterapeuta 30 h semanais, Lei 8856/94
quanto à flexibilização: jornadas FLEXÍVEIS E INFLEXÍVEIS (nossa legislação não trata do assunto)
Fundamentos
Os fundamentos para limitação da jornada são pelo menos 3: biológicos (psicológico e fadiga), sociais (convivência, família e lazer) e econômicos
Jornada de trabalho
7º, XIII, CF permite que a jornada seja compensada ou reduzida, mediante acordo ou convenção coletiva
bancário 6 h, 224 CLT; telefonia 6 h ou 36 semanais, 293 CLT; operadores cinematográficos 6 h, 234 CLT; mineiros 6 h ou 36 semanais art. 293 CLT; jornalista 5 h, 303 CLT; professores, até 4 h consecutivas ou 6 intercaladas, 318 CLT; médico no mínimo 2 e no máximo 4 h, Lei 3999/61 art. 8º; cabineiro de elevador 6 h, art. 1º Lei 3270/57
A jurisprudência em outros casos: vigia de banco 8 h ; telefonista de mesa de empresa 6 h, En. 178 TST; as financeiras 6 h En. 55 TST; título e valores mobiliários mesmo do bancário, En. 119 TST; advogado 4 h contínua e de 20 semanais, adicional de horas extras é de 100% Lei8906, § 2º art. 20
No contrato por tempo parcial a jornada não pode exceder a 25 horas semanais ( o salário será pago proporcional a sua jornada semanal; não podem prestar horas extras)
Para os que trabalham 8 h e 44 semanais o divisor é de 220 (§ 1º art. 6º Lei 8542/92
O horário de trabalho será afixado em lugar bem visível. Art. 74 CLT
Empregados excluídos
São os que exercem atividade externa incompatível com a fixação do horário de trabalho e os gerentes, diretores e chefes de departamentos, art. 62 CLT; não têm direito a horas extras e adicional de horas extras
Os domésticos não têm direito a horas extras, não se aplica o XIII, XVI do art. 7º CF (parágrafo único do 7º CF) e 7º, a, CLT
O vigia tem direito 8 h, com direito a horas extras, além desse horário, §2º art. 61 CLT
Avulsos 8 h e 44 semanais, tem direito, pela Constituição
Analisar o art. 62 CLT: 
atividade externa: por ser incompatível fixar horário de trabalho (carteiros, motoristas em geral, cobradores ou propagandistas, viajantes ou pracistas) e são indevidas as horas extras. Deve ter outra condição cumulativa, que é o registro na CTPS da não-observância de horário de trabalho e também no livro ou ficha registro de empregados, se faltar um dos 2 requisitos terá direito a horas extras
encargos de gestão (II art. 62): o gerente tem poderes de gestão como admitir ou dispensar funcionário, puni-los, fazer compras, etc. No entanto se estiver sujeito ao controle da horário de entrada e saída, aplica-se a duração de 8 h e 44 semanais, com direito a horas extras (ver En. 232 e 287 TST)
trabalhadores avulsos 8 h e 44 semanais pela CF
conclusões: o art. 62 exclui da aplicação os trabalhadores que especifica, isto é, exclui não só da máxima jornada de trabalho, bem como também não recebe horas extras, adicional noturno que também está no capítulo
Conceito de horas extras
São as prestadas além do horário contratual, legal ou normativo, que devem ser remunerada com ao adicional respectivo
São usadas as expressões horas extras, extraordinárias ou suplementares
 Acordo de prorrogação de horas
É o ajuste de vontade feito pelas partes, pode ser feito por prazo determinado ou indeterminado (art. 59 CLT)
O acordo deverá ser necessariamente escrito ou ainda por meio de acordo ou convenção coletiva, com pelo menos de 50% da hora normal (art. 7º XVI, CF)
O limite da prorrogação é de mais 2 horas, totalizando 10 horas, art. 59 CLT
O art. 413 CLT veda a prorrogação do horário do menor, salvo em se tratando de acordo de compensação ou força maior
Os cabineiros de elevadores não podem prorrogar sua jornada de trabalho, art. 1º Lei 3270/57
Os bancários podem prorrogar até 8 horas ou 40 semanais, art. 225 CLT
Art. 60 CLT refere-se a atividades insalubres a prorrogação só pode ser feita com prévia autorização da autoridade competente (englobado está a compensação), mas a Cf estabelece uma só condição (para a compensação) que é o acordo ou convenção coletiva, portanto não há