Outubro Rosa: tudo o que você precisa saber sobre o câncer de mama!

Compartilhe

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email

Compartilhe

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email

Outubro Rosa é a campanha anual de conscientização sobre o câncer de mama.

Com essa campanha, a intenção é compartilhar informações sobre a prevenção e fazer com que as pessoas olhem com atenção para as suas saúdes.

Além disso, outro objetivo é lutar pelos direitos de um tratamento de qualidade, com direito a suporte emocional e atendimento médico.

Por isso, hoje trouxemos algumas informações que todos devem saber sobre o câncer de mama.

Então confere nosso texto abaixo.

O que é o câncer de mama?

Antes de tudo, é importante que você entenda o que exatamente é o câncer de mama.

Essa doença é o resultado da multiplicação de células anormais da mama, que acabam formando um tumor que tem o potencial de invadir outros órgãos.

O câncer é diferente em cada pessoa, podendo se desenvolver rapidamente ou não.

Mas é importante lembrar que a maioria dos casos tem boa resposta ao tratamento, principalmente quando são diagnosticados e tratados no início.

Além disso, o câncer de mama mostra sinais e sintomas em sua fase inicial.

Por isso, se você conhece bem o seu corpo, vai ficar mais fácil de notar diferenças e ficar alerta.

Outra coisa muito importante que você deve lembrar: mesmo que raro, homens também podem ter câncer de mama e representam 1% dos casos.

O câncer de mama é comum no Brasil?

Sim. É o tipo mais comum, depois do câncer de pele, e também é o que causa mais mortes por câncer em mulheres.

Por exemplo, em 2022, existe a previsão de 66.280 novos casos estimados.

Em 2020, foram mais de 17.800 mortes devido à doença.

Qual é a causa?

Não existe apenas uma causa. Diversos fatores estão relacionados à doença.

O que se sabe é que o risco de desenvolver o câncer aumenta com a idade, sendo maior a partir dos 50 anos.

Por isso que a partir dessa idade, é importante fazer pelo menos um check up por ano para saber como está a sua saúde.

No entanto, existe uma lista de coisas que são fatores de risco. Por exemplo:

Comportamentais/ambientais

  • Obesidade e sobrepeso após a menopausa.
  • Não praticar exercícios
  • Consumir bebida alcóolica
  • Exposição frequente a radiações ionizantes (raios X, mamografia e tomografia).

História reprodutiva/hormonais

  • Primeira menstruação (menarca) antes dos 12 anos.
  • Não ter tido filhos.
  • Primeira gravidez após os 30 anos.
  • Parar de menstruar (menopausa) após os 55 anos.
  • Ter feito uso de contraceptivos orais (pílula anticoncepcional) por tempo prolongado.
  • Ter feito reposição hormonal pós-menopausa,
  • principalmente se por mais de cinco anos.

Hereditários/genéticos

Histórico familiar de câncer de:

  • Ovário.
  • Mama em homens.
  • Mama em mãe, irmã ou filha, principalmente antes dos 50 anos.

A mulher que possui alterações genéticas herdadas na família, especialmente nos genes BRCA1 e BRCA2, tem risco elevado de câncer de mama.

Mas não se preocupe: ter um ou mais desses fatores de risco não significa necessariamente que você terá a doença.

Como se prevenir?

Essas são algumas das coisas que você pode fazer para se prevenir:

  • Manter o peso corporal adequado
  • Praticar atividade física
  • Evitar o consumo de bebidas alcoólicas

A amamentação também é considerada um fator protetor.

Quais são os sintomas do câncer de mama?

  • Caroço (nódulo) endurecido, fixo e geralmente indolor. É a principal manifestação da doença, estando presente em mais de 90% dos casos.
  • Alterações no bico do peito (mamilo).
  • Pequenos nódulos na região embaixo dos braços (axilas) ou no pescoço.
  • Saída espontânea de líquido de um dos mamilos.
  • Pele da mama avermelhada, retraída ou parecida com casca de laranja.

Qualquer caroço na mama em mulheres com mais de 50 anos deve ser investigado!

Em mulheres mais jovens, qualquer caroço deve ser investigado se persistir por mais de um ciclo menstrual.

Mesmo que o autoexame não seja mais recomendado para detectar o câncer de mama, ainda é importante que você conheça seu corpo para notar mudanças.

Ou seja, no momento em que você se sentir mais confortável, observe suas mamas, sem técnica específica, para ver se detecta alguma alteração.

Isso porque a maioria dos cânceres de mama são descobertos pela própria mulher.

Se as alterações permanecerem, procure um médico para te examinar.

Ficar atento a mudanças é imprescindível para detecção precoce.

Quer saber mais? Então acesse o site do INCA e descubra!

Beatriz Costa

Beatriz Costa

Redatora na Passei Direto

Comentários

Deixe uma resposta