38
Cálculo Vol. 1 - 12ª Ed. 2012

Exercícios resolvidos: Cálculo Vol. 1 - 12ª Ed. 2012

Joel Hass, Maurice D Weir, George B ThomasIBSN: 9788581430867

Elaborado por professores e especialistas

Exercício

Débito cardíaco No final de 1860, Adolf Fick, professor de fisiologia da Faculdade de Medicina de Würzberg, na Alemanha, desenvolveu um dos métodos usados até hoje para determinar a quantidade de sangue que o coração humano bombeia por minuto. Enquanto você lê essa frase, é provável que seu débito cardíaco seja de 7 L/min. Em repouso, geralmente é um pouco menos do que 6 L/min. Se você for um atleta, seu débito cardíaco poderá atingir 30 L/min quando estiver participando de uma maratona.

O débito cardíaco pode ser calculado pela fórmula

em que Q é o volume (mL) de CO2 exalado por minuto e D é a diferença entre as concentrações de CO2 (mL/L) no sangue bombeadas para os pulmões e dos pulmões. Com Q = 233 mL/min e D = 97 − 56 = 41 mL/L,

bem próximo a 6 L/min, valor que a maioria das pessoas apresenta na condição basal (repouso). (Dados cedidos por J. Kenneth Herd, M.D., Escola de Medicina de Quillan, Universidade do Leste do estado do Tennessee.)

Suponha que, para Q = 233 e D = 41, D diminua a uma velocidade de 2 unidades por minuto, mas Q permaneça sem variação. O que acontecerá com o débito cardíaco?

Passo 1 de 3

Se deseja saber o que acontecerá com o débito cardíaco quando com diminuindo a uma velocidade de 2 unidades por minuto, porém permanece sem variação.

Informações dadas:

lock Ver solução completa

Aprenda agora com os exercícios mais difíceis

R$29,90/mês

Cancele quando quiser, sem multa

Aproveite também

  • check Exercícios passo a passo
  • check Resumos por tópicos
  • check Disciplinas ilimitadas
  • check Ferramentas para otimizar seu tempo