2

Exercícios resolvidos: Pavimentação Asfáltica - Materiais, Projeto e Restauração

José Tadeu BalboIBSN: 9788586238567

Elaborado por professores e especialistas

ALUNOS QUE TAMBÉM VISUALIZARAM

  • +1.151

Passo 1 de 5keyboard_arrow_downkeyboard_arrow_up

Esta questão aborda a degradação dos pavimentos tradicionais, ou seja, daqueles pavimentos que apresentam, em sua estrutura, base granular sobre o subleito. Conforme vimos, o processo de degradação ocorre com todos os materiais e, no caso dos pavimentos, levam à perda de sua qualidade estrutural e funcional ao longo do tempo, decorrentes das ações das intempéries, das cargas e de produtos químicos. Esse processo é, portanto, função de duas fontes externas de solicitações mecânicas: o tráfego, que pode provocar degradação estrutural ou desgaste da camada de revestimento; e o clima, dadas as variações de temperatura e teor de umidade.

Para fazer frente às ações externas existem características próprias ao pavimento, entre as quais podemos citar as propriedades dos materiais empregados, estrutura do pavimento e condições de drenagem.

Passo 2 de 5keyboard_arrow_downkeyboard_arrow_up

No caso de pavimentos flexíveis, aqueles com revestimento asfáltico com base granular sobre o subleito, o processo de degradação normalmente obedece à seguinte sequência:

• Danificação por fadiga: a repetição cíclica de carregamentos conduz os materiais a diversas condições de deformação plásticas minúsculas que vão se acumulando e, ao longo do tempo, promovem a perda da deformação elástica, conduzindo à formação de planos de descontinuidades e fraturas nas camadas do pavimento. Esses planos proporcionam pontos de concentração de tensões e formam-se áreas de descontinuidade nos materiais. São três as possíveis causas de fadiga nos pavimentos flexíveis: presença de vazios iniciais nos materiais, deformação plástica excessiva, e zonas de concentração de tensões na superfície de rolamento. Assim, com o processo de fadiga decorrente dos ciclos repetitivos de carregamentos, poderão ser formados ou aumentar trincas e fissuras.

Podemos esquematizar, então, da seguinte forma:

Imagem 2

O subleito pode se degradar em função da repetição de cargas excessivas, representado por sua resistência ao cisalhamento. Podendo, dessa forma, ocorrer a ruptura do pavimento por resistência, sendo aquela motivada por esforços superiores à capacidade do material a determinada solicitação.

Passo 3 de 5keyboard_arrow_downkeyboard_arrow_up

• Pode haver deterioração do pavimento pelo envelhecimento dos ligantes betuminosos, que ocorre pelo processo de oxidação desses materiais. Sendo esse processo função direta das oscilações ambientais, sobretudo de temperatura, umidade.

Passo 4 de 5keyboard_arrow_downkeyboard_arrow_up

• Redução do coeficiente de atrito decorrente da abrasão dos veículos. Quando o pavimento possui camada de material granular, o processo de degradação também pode ocorrer pelo transporte de materiais finos e/ou água para o interior da camada granular, o que levaria a uma condição de lubrificação. Esta condição promove a perda de resistência do material, podendo levá-lo à ruptura imediata da solicitação de carga.

Passo 5 de 5keyboard_arrow_downkeyboard_arrow_up

Portanto, o processo de degradação é provocado principalmente pelas ações externas de tráfego e intempéries, mas a velocidade da degradação depende substancialmente das condições intrínsecas do pavimento, materiais e processos construtivos.

Depoimentos de estudantes que já assinaram o Exercícios Resolvidos

Nathalia Nascimento fez um comentárioCEFET/RJ • Engenharia
Foi um apoio àquelas aulas que não acabam totalmente com as dúvidas ou mesmo naquele momento de aprender o conteúdo sozinha. Além disso, dispensou a necessidade de um orientador e por isso, permitiu que eu estudasse em qualquer local e hora.
Valdivam Cardozo fez um comentárioUFRB • Engenharia
Tive uma sensação maior de autonomia nos estudos, as vezes era frustante não conseguir resolver uma determinada questão e nem sempre os professores corrigem as listas que passam.