O poder contramajoritário do Supremo Tribunal Federal

Daniel barile da Silveira

Ano: 2013 | Editora: AtlasISBN 9788522485451
  • starstar_borderstar_half
  • starstar_borderstar_half
  • starstar_borderstar_half
  • starstar_borderstar_half
  • starstar_borderstar_half
  • avaliações

Resumo

Trata-se de obra inovadora no cenário jurídico, uma vez que estuda, em profundidade, o papel exercido pelo Supremo Tribunal Federal (STF) desde o início da Constituição da República até os tempos atuais. Aborda os aspectos referentes à composição do Tribunal, a forma de julgamento em face de ações contra o Executivo e Legislativo e, ademais, as transformações em suas competências e nas garantias de seus Ministros, desde sua criação até a consolidação na CF/88.Conforme delimita o autor, o que se pretende atingir como problema central é desvendar o papel exercido pela Suprema Corte nos arranjos institucionais de equilíbrio interpoderes, propiciado pela compreensão do funcionamento do sistema de accountability (controle e responsabilização) horizontal por ela praticado, imerso no ambiente de elevada complexidade social que caracteriza e constitui o sistema político brasileiro.Utilizando os vastos estudos sobre comportamento judicial e afirmação institucional, a obra pretende abordar como tem ocorrido esse processo de crescimento institucional do STF, a partir de três variáveis perceptíveis:a) a durabilidade ou resiliência funcional;b) a diferenciação do Tribunal e de seus Ministros de outros corpos burocráticospresentes no aparelho de Estado; ec) a independência no julgamento de questões políticas fundamentais, cuja capacidadede enfrentamento com poder de veto é instrumento eficaz no controle de outros poderes,especialmente do principal agente político no modelo brasileiro, o Presidente da República.Trata-se, portanto, de uma leitura compreensiva da Corte a partir de seus processos endógenos e exógenos de institucionalização que tendem a propiciar uma visão mais conjuntural de sua posição no sistema político nacional.