Panorama Histórico da Literatura Infantil/Juvenil: Das Origens Indo-europeias ao Brasil Contemporâneo

Panorama Histórico da Literatura Infantil/Juvenil: Das Origens Indo-europeias ao Brasil Contemporâneo

Nelly novaes Coelho

Ano: 2010 | Editora: AmarilysISBN 9788520454688
  • starstar_borderstar_half
  • starstar_borderstar_half
  • starstar_borderstar_half
  • starstar_borderstar_half
  • starstar_borderstar_half
  • avaliações

Resumo

Uma das linhas de força que levaram ao projeto deste Panorama Histórico da Literatura Infantil/Juvenil , nos idos de 1980, está sintetizada nessa frase-verdade do Nobel Saramago: sem habitarmos o Mundo da Cultura a que pertencemos, viveremos alienados, limitados à enganosa superfície das coisas e sem condições para atuarmos, de maneira efetiva, no mundo à nossa volta.Diante dessa verdade e do caos de valores que predomina nesse belo/terrível/mágico/espantoso mundo em acelerada mutação, há uma grande interrogação que vem assaltando os educadores e todos os responsáveis pela formação das novas gerações: qual “cultura” lhes transmitir? Quais valores serão verdadeiros na atual “cultura mosaico”?Sem dúvida, as respostas definitivas ainda estão longe. Entretanto há algo que jamais mudará: a tarefa do ser humano, desde a origem dos tempos, vem criando/transformando mundos e culturas… É dele que a História depende para continuar a existir…Não há dúvida de que é por meio da Literatura, de sua leitura prazerosa/lúdica, que as novas gerações podem ter fácil acesso a essa verdade maior: a de se descobrirem como “seres históricos” que, tal como os que os precederam no tempo, têm a tarefa de atuar no mundo, dando continuidade à História e à Cultura.Nessa ordem de ideias, procurou-se, com este livro, atingir um duplo objetivo:1. Mostrar a Literatura (desde suas formas mais lúdicas e simples) como a Grande Arte que, através da História, vem eternizando em palavras a Aventura Humana, criando Cultura e formando as mentes.2. Propor aos responsáveis pela formação das novas gerações algumas “setas orientadoras” que poderão ser úteis para atingir os “alvos” visados pela Educação – o grande agente transmissor de Cultura.