Publicidade comparativa

Publicidade comparativa

Marco antonio marcondes Pereira

Ano: 2014 | Editora: AtlasISBN 9788522486229
  • starstar_borderstar_half
  • starstar_borderstar_half
  • starstar_borderstar_half
  • starstar_borderstar_half
  • starstar_borderstar_half
  • avaliações

Resumo

Publicidade Comparativa é tema apresentado em seus aspectos constitutivos, como fenômenosocial com refl exos na economia, na cultura e na ordem jurídica brasileira. O exame da história dapublicidade e as várias maneiras como vem sendo concebida nos últimos anos contribuem paradelimitar a publicidade comparativa como uma técnica específi ca. Técnica marcada pelo traço daagressividade na formulação das mensagens publicitárias que, sob pretexto de ser mero fruto daimaginação e da criatividade dos profi ssionais nela envolvidos, tem o inequívoco propósito defortalecimento da sua função econômica.O uso da técnica, todavia, é abstraído de preocupações com os seus efeitos na esfera dos direitosdos concorrentes, dos próprios profi ssionais da área da publicidade, dos consumidores edos cidadãos em geral. A forma como a publicidade é recolhida pelo ordenamento jurídico – nosplanos constitucional e infraconstitucional – apresenta-se como vetor para incitar indagações sobrea licitude da publicidade comparativa no Brasil. A resposta possível está entre os muitos temasenfeixados neste livro, como, por exemplo, os direitos fundamentais, a liberdade de expressão e comunicação, as regras de repressão à concorrência desleal, a proibição do abuso de direito e o respeito ao direito autoral.O texto expõe a perplexidade reinante entre profi ssionais das áreas de marketing e de publicidade e os juristas sobre essa técnica publicitária agressiva. Defensores e opositores da publicidade comparativa são personagens dessa trama mercadológica e consumista da atual ordem comunicacional.Argumentos fortes e convincentes desenvolvidos por essas personagens, retirados da experiência e de confl itos de interesses, permitem a escolha de uma resposta à indagação: é lícita a publicidade comparativa no ordenamento jurídico brasileiro?