Sucessão do cônjuge

Sueli a. de Pieri

Ano: 2013 | Editora: AtlasISBN 9788522484515
  • starstar_borderstar_half
  • starstar_borderstar_half
  • starstar_borderstar_half
  • starstar_borderstar_half
  • starstar_borderstar_half
  • avaliações

Resumo

A obra que ora se publica tem como objetivo analisar a sucessão hereditária do cônjuge sobrevivo no âmbito do Código Civil vigente, levada a efeito pela promulgação da Lei no 10.406, de 10 de janeiro de 2002.A autora estudou separadamente as possibilidades do deferimento sucessório ao cônjuge sobrevivo, bem como as restrições impostas pelo legislador. O objetivo da análise foi demonstrar, com o entendimento doutrinário e jurisprudencial pátrio, a forma como se aplica o direito sucessório ao cônjuge sobrevivo.Ao longo do texto a autora ressalta a concorrência com descendentes, ascendentes e seus respectivos quinhões, ilustrando a matéria com a demonstração da partilha em forma de organograma.A obra aborda inicialmente a evolução histórica da sucessão do cônjuge, bem como o direito à herança como garantia constitucional, previsto no artigo 5o, inciso XXX da Constituição Federal vigente. Em seguida, aparecem outros temas pertinentes à matéria dispostos nos capítulos assim discriminados: Sucessão por disposição exclusiva da lei: sucessão legítima; O cônjuge como herdeiro necessário no atual Código Civil; Influências dos regimes de bens na concorrência sucessória; Hipóteses de sucessão anômala; Renúncia, colação e doação; Direito sucessório do cônjuge separado ou divorciado; e Hipóteses de exclusão do cônjuge da concorrência sucessória.O Direito das Sucessões pode ser considerado como um dos ramos do Direito que mais se alterou com o passar do tempo. Com a promulgação do Código Civil, Lei no 10.406, de janeiro de 2002, o legislador alterou significativamentea ordem de vocação hereditária ao incluir cônjuge sobrevivo como herdeiro necessário, concorrendo, em certas situações, com descendentes e ascendentes, consoante disposição do artigo 1.829 do Código Civil vigente.A inovação gera questões polêmicas, haja vista que o legislador impõe restrições para o deferimento sucessório ao cônjuge, as quais resultam em controvérsias doutrinárias e jurisprudenciais.Ao estabelecer o direito sucessório ao cônjuge sobrevivo e ao impor restrições, o legislador não harmonizou a matéria, motivo pelo qual se encontram lacunas, notadamente pela ausência de previsão acerca da possibilidade da colação dos bens doados ao cônjuge, bem como sua deserdação.
Sucessão do cônjuge

A biblioteca de livros é um conteúdo restrito para assinantes.