A maior rede de estudos do Brasil

Evicção

O que é ? Quais são as figuras envolvidas na relação?

Dê exemplos de Evicção parcial e total.


1 resposta(s)

User badge image

Rafael F.

Há mais de um mês

Este dispositivo contempla a evicção, que é a perda sofrida pelo adquirente de uma coisa que detinha como proprietário ou possuidor em virtude de sentença judicial, que reconhece a outrem o direito anterior sobre a coisa.

Evicção é uma garantia dada de pleno direito ao adquirente do domínio, da posse ou do uso de um bem, por contrato oneroso, contra o alienante. São três os figurantes na evicção, quais sejam: o evictor, que é o terceiro reivindicante e vencedor da ação; o evicto, que é o adquirente vencido na demanda movida por terceiro; e o alienante, que é o responsável pelos riscos da evicção (nesse sentido: RT881/345 e 881/348;TJRS, Ap. Cível n.70.006.246.060, 10a Câm. Cível, rei. Jorge Alberto Schreiner Pestana,j. 18.12.2003;TJSP,Ap. n. 179.370-4/4, 4a Câm. de Dir. Priv., rei. Des. Ênio Santarelli Zuliani, j. 20.10.2005). O risco da evicção é resguardado pela garantia de assegurar a restituição integral do valor pago mais as despesas com o contrato, honorários de advogado, custas judiciais e indenização dos frutos que tiver de restituir e demais prejuízos oriundos da evicção. Para que haja evicção é necessária a ocorrência em um contrato oneroso de um vício de direito anterior ou simultâneo à alienação, ou seja, no momento da transferência da posse ou da propriedade,no momento da celebração do negócio jurídico, e por via de uma sentença judicial transitada em julgado, o adquirente perde o uso, a posse ou a propriedade da coisa.A evicção pode ser total ou parcial. Evicção

total é quando se refere completamente ao objeto da alienação. É parcial a evicção quando recai sobre parte do objeto da alienação. Mesmo que a aquisição do bem tenha sido por meio de hasta pública,haverá a responsabilidade pelos riscos da evicção.

Este dispositivo contempla a evicção, que é a perda sofrida pelo adquirente de uma coisa que detinha como proprietário ou possuidor em virtude de sentença judicial, que reconhece a outrem o direito anterior sobre a coisa.

Evicção é uma garantia dada de pleno direito ao adquirente do domínio, da posse ou do uso de um bem, por contrato oneroso, contra o alienante. São três os figurantes na evicção, quais sejam: o evictor, que é o terceiro reivindicante e vencedor da ação; o evicto, que é o adquirente vencido na demanda movida por terceiro; e o alienante, que é o responsável pelos riscos da evicção (nesse sentido: RT881/345 e 881/348;TJRS, Ap. Cível n.70.006.246.060, 10a Câm. Cível, rei. Jorge Alberto Schreiner Pestana,j. 18.12.2003;TJSP,Ap. n. 179.370-4/4, 4a Câm. de Dir. Priv., rei. Des. Ênio Santarelli Zuliani, j. 20.10.2005). O risco da evicção é resguardado pela garantia de assegurar a restituição integral do valor pago mais as despesas com o contrato, honorários de advogado, custas judiciais e indenização dos frutos que tiver de restituir e demais prejuízos oriundos da evicção. Para que haja evicção é necessária a ocorrência em um contrato oneroso de um vício de direito anterior ou simultâneo à alienação, ou seja, no momento da transferência da posse ou da propriedade,no momento da celebração do negócio jurídico, e por via de uma sentença judicial transitada em julgado, o adquirente perde o uso, a posse ou a propriedade da coisa.A evicção pode ser total ou parcial. Evicção

total é quando se refere completamente ao objeto da alienação. É parcial a evicção quando recai sobre parte do objeto da alienação. Mesmo que a aquisição do bem tenha sido por meio de hasta pública,haverá a responsabilidade pelos riscos da evicção.

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos estudantes