A maior rede de estudos do Brasil

Como se aplica os embargos infringentes?

QUAIS AS SITUAÇÕES EM QUE CABEM EMBARGOS INFRINGENTES?


3 resposta(s)

User badge image

Paulo

Há mais de um mês

Apesar da pergunta ser tão simples, a resposta é bem extensa mas vou tentar resumir:

Primeiro o Embargo infrigente é um recurso interposto contra acórdão não unânime que reforma sentença
de mérito, no caso do julgamento de apelação, ou que julga procedente pedido de rescisão em ação rescisória.

Agora, as situações em que cabem embargos ingrigentes: O dissenso passível de análise pelos EI é o que se refere apenas à parte dispositiva, pouco importando a eventual existência de discordância na fundamentação do decisum. Ex: Caso dois dos julgadores de apelação julguem procedente a reforma da sentença para rescindir o contrato face ao inadimplemento de obrigação de uma das partes, e um deles decida pela rescisão da avença com base na manifestação de uma das partes neste sentido, não haverá dissenso passível de EI. Se, na hipótese anterior, o último julgado decide que não é caso de rescisão e sim de aplicação de penalidade prevista no contrato, aí existe matéria para impetração de EI.
é admissível em relação ao julgamento não unânime de apelação quando há reforma da sentença de mérito. Não se aplica aos casos em que a decisão de mérito é anulada ou confirmada, ou mesmo quando há a anulação, reforma ou revogação de sentença terminativa. Na hipótese de ação rescisória, os EI são admissíveis apenas em caso de procedência do pedido de revisão. Prevalecendo a coisa julgada, não se admite a sua utilização, pois a estabilidade jurídica e social será mantida.
Tem Efeitos: devolutivo, translativo, suspensivos tratando-se de ação rescisória e os mesmos efeitos da apelação julgada.

Apesar da pergunta ser tão simples, a resposta é bem extensa mas vou tentar resumir:

Primeiro o Embargo infrigente é um recurso interposto contra acórdão não unânime que reforma sentença
de mérito, no caso do julgamento de apelação, ou que julga procedente pedido de rescisão em ação rescisória.

Agora, as situações em que cabem embargos ingrigentes: O dissenso passível de análise pelos EI é o que se refere apenas à parte dispositiva, pouco importando a eventual existência de discordância na fundamentação do decisum. Ex: Caso dois dos julgadores de apelação julguem procedente a reforma da sentença para rescindir o contrato face ao inadimplemento de obrigação de uma das partes, e um deles decida pela rescisão da avença com base na manifestação de uma das partes neste sentido, não haverá dissenso passível de EI. Se, na hipótese anterior, o último julgado decide que não é caso de rescisão e sim de aplicação de penalidade prevista no contrato, aí existe matéria para impetração de EI.
é admissível em relação ao julgamento não unânime de apelação quando há reforma da sentença de mérito. Não se aplica aos casos em que a decisão de mérito é anulada ou confirmada, ou mesmo quando há a anulação, reforma ou revogação de sentença terminativa. Na hipótese de ação rescisória, os EI são admissíveis apenas em caso de procedência do pedido de revisão. Prevalecendo a coisa julgada, não se admite a sua utilização, pois a estabilidade jurídica e social será mantida.
Tem Efeitos: devolutivo, translativo, suspensivos tratando-se de ação rescisória e os mesmos efeitos da apelação julgada.

User badge image

Jéssica

Há mais de um mês

Na esfera penal,  de acordo com o parágrafo único do artigo 609 do CPP:

"Art. 609. [...]

 Parágrafo único. Quando não for unânime a decisão de segunda instância, desfavorável ao réu, admitem-se embargos infringentes e de nulidade, que poderão ser opostos dentro de 10 (dez) dias, a contar da publicação de acórdão, na forma do art. 613 . Se o desacordo for parcial, os embargos serão restritos à matéria objeto de divergência. "
 
Os embargos infringentes são cabíveis quando houver uma decisão não unânime que desfavorece o réu. Assim, esse recurso pode reverter essa decisão para beneficiá-lo.
User badge image

Ivan

Há mais de um mês

O artigo 530 da lei número 5.869 de 11 de janeiro de 1.9731 (atual Código de Processo Civil) aduz que:

Cquote1.svg Cabem embargos infringentes quando o acórdão não unânime houver reformado, em grau de apelação, a sentença de mérito, ou houver julgado procedente ação rescisória. Se o desacordo for parcial, os embargos serão restritos à matéria objeto da divergência. Cquote2.svg
— Artigo 530 do CPC1

Na esfera penal, na forma do artigo 613 do Código de Processo Penal, caberão embargos infringentes quando não for unânime a decisão de segunda instância, desfavorável ao réu2 . Assim, é um recurso que somente pode ser impetrado pelo réu. Frisa-se ainda que:

Cquote1.svg Se o desacordo for parcial, os embargos serão restritos à matéria objeto de divergência. Cquote2.svg
— Parágrafo único do artigo 609 do CPP1

Não é contra qualquer acordão que cabem embargos infringentes, mas apenas contra aqueles proferidos no julgamento de apelação ou ação rescisória.

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos estudantes