A maior rede de estudos do Brasil

Sobre o elemento químico Nióbio.

Quais tipos de materias podem ser feitos atravez do elemento químico Nióbio?


3 resposta(s)

User badge image

Ataline

Há mais de um mês

As materias que podem ser feitas a partir do Nobio são joias, estas geralmente na forma de liga metalica, ou  utilizados na fabricação de componentes de motores de jatos e em soldas eletricas. 

As materias que podem ser feitas a partir do Nobio são joias, estas geralmente na forma de liga metalica, ou  utilizados na fabricação de componentes de motores de jatos e em soldas eletricas. 

User badge image

Alexandre

Há mais de um mês

Meu amigo Lucas fez um estudo mais aprofundado sobre o tema.

https://www.facebook.com/LVINIST?fref=ts

Abcs,

 

User badge image

Ramila

Há mais de um mês

O nióbio apresenta numerosas aplicações. É usado em alguns aços inoxidáveis e em outras ligas de metais não ferrosos. Estas ligas, devido à resistência, são geralmente usadas para a fabricação de tubos transportadores de água e petróleo a longas distâncias.

  • Usado em indústrias nucleares devido a sua baixa captura de nêutrons termais.
  • Usado em soldas elétricas.
  • Devido a sua coloração é utilizado, geralmente na forma de liga metálica, para a produção de joias e outros ornamentos.
  • Quantidades apreciáveis de nióbio são utilizados em superligas para fabricação de componentes de motores de jatos , subconjuntos de foguetes , ou seja, equipamentos que necessitem altas resistências a combustão. Pesquisas avançadas com este metal foram utilizados no programa Gemini.
  • O nióbio está sendo avaliado como uma alternativa ao tântalo para a utilização em capacitores.

O nióbio se converte num supercondutor quando reduzido a temperaturas criogênicas. Na pressão atmosférica (e quando puro) , tem a mais alta temperatura crítica entre os elementos supercondutores de tipo I, 9.3 K. Além disso, é um elemento presente em ligas de supercondutores que são do tipo II (como o vanádio e o tecnécio ), significando que atinge a temperatura crítica a temperaturas bem mais altas que os supercondutores de tipo I

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos estudantes