A maior rede de estudos do Brasil

Toda intervenção precisa ter um interventor?

Pode ocorrer parcial? Justifique o dispositivo contitucional pertinente.


2 resposta(s) - Contém resposta de Especialista

User badge image

DLRV Advogados Verified user icon

Há mais de um mês

A única espécie de intervenção cuja nomeação de interventor é obrigatória é aquela na qual a União intervém no Executivo estadual. Nas demais situações, a nomeação de interventor será dispensável.

A intervenção pode ser parcial. Se o descumprimento está ocorrendo no Executivo estadual, não haverá razões para interferir no funcionamento da Assembleia Legislativa ou do Tribunal de Justiça, por exemplo.

Se o ato combatido está sendo praticado apenas no âmbito da Secretaria de Segurança, não há motivos para interferir na Secretaria de Educação.

A única espécie de intervenção cuja nomeação de interventor é obrigatória é aquela na qual a União intervém no Executivo estadual. Nas demais situações, a nomeação de interventor será dispensável.

A intervenção pode ser parcial. Se o descumprimento está ocorrendo no Executivo estadual, não haverá razões para interferir no funcionamento da Assembleia Legislativa ou do Tribunal de Justiça, por exemplo.

Se o ato combatido está sendo praticado apenas no âmbito da Secretaria de Segurança, não há motivos para interferir na Secretaria de Educação.

User badge image

Paulo

Há mais de um mês

Segundo dispositivo expresso no texto constitucional, pode haver intervenção sem interventor. Ressalte-se que nos casos do inc. VI, como nos do inc. VII do art. 34, o decreto do Presidente da República não necessita ser submetido à apreciação do Congresso Nacional, visto que o decreto limitar-se-á à suspensão do ato impugnado, sem necessidade da nomeação de um interventor.  Será necessária a nomeação do interventor, somente quando atingir o executivo, pois, neste caso o interventor nomeado exercerá as funções do Governador.

Portanto, para simplificar. É que ela pode atingir qualquer órgão do Poder estadual. Se for no Executivo, o que tem sido a regra, a nomeação do interventor será necessária, para que exerça a função de Governador. Se for no Legislativo apenas, tornar-se-á desnecessário o interventor desde que o ato de intervenção atribua as funções legislativas ao Chefe do Executivo estadual. Se for em ambos, o interventor será também necessário para assumir as funções executivas e legislativas.

 

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos especialistas