A maior rede de estudos do Brasil

ALGUÉM PODERIA ME PASSAR OS CASOS CONCRETOS DE PROCESSO CIVIL I DE ACORDO COM O NOVO CPC?

web aulas

3 resposta(s)

User badge image

Renato Lopes

Há mais de um mês

segue algumas respostas a pergunta esta abreviada,(apenas o início) vc pode indetifica-la em seu portal e a resposta esta completa. fiz assim pra facilitar pra mim caso eu esquecesse na prova e pegava esse lembrete.!! rsrs

Marcelo fiador do seu primo André em contrato de locação de imóvel... Marcelo poderá valer se da>> Chamamento ao processo.

A ação regressiva exercida como modalidade como intervenção de 3° confg>>> Denunciação da lide.

Tadeu propôs ação reivindicatória contra Breno... R=Na hipótese apresentada, a esposa de Breno deveria figurar como litisconsorte necessário, pois a demanda discute direito real imobiliário. Da mesma forma, deve-se mostrar que o juiz se equivocou ao declarar nula a citação. Em consonância com o § 1.º do art. 239 do C P C, o comparecimento espontâneo supre a falta de citação. Na hipótese, mesmo não tendo sido citado pessoalmente, Breno compareceu ao processo e apresentou, tempestivamente, sua contestação. Não houve, portanto, prejuízo que justificasse a declaração de nulidade.

Como escreve Daniel A. Assumpção Neves Indaga-se: A hipótese também cabe a Fazenda..

R=Pode ser celebrado por qualquer parte inclusive a fazenda publica e o MP como atua com autor o réu em processo individuais ou coletivos art 190.
 Nas ações fundadas em direito real sobre imóveis é competente o foro da situação da coisa. Pode o autor, entretanto, optar pelo foro do domicílio ou de eleição, não recaindo o litígio sobre direito de propriedade, vizinhança, servidão, posse, divisão e demarcação de terras e nunciação de obra nova.
Maria, locatária de imóvel residencial, localizado na cidade de Nova Friburgo, propôs ação de Reintegração de Posse. a) O critério de competência utilizado por Maria..?b)  A incompetência, se existe, é absoluta ou relativa? R=a Não está correta, tendo em vista que a ação deveria ter sido proposta no foro da situação da coisa, ou seja, na comarca de Nova Friburgo, pois se trata de ação real imobiliária que discute posse.b-Nesse caso, o critério territorial é o absoluto,A ação possessória imobiliária será proposta no foro de situação da coisa, cujo juízo tem competência absoluta.”
No que tange a Competência interna, de acordo com o novo CPC é correto afirmar: As causas cíveis serão processadas e decididas pelo juiz nos limites da sua competência, ressalvado às partes o direito de instituir juiz arbitral, na forma da lei: As causas cíveis serão processadas e decididas pelo juiz nos limites de sua competência, ressalvado às partes o direito de instituir juízo arbitral, na forma da lei.
A admissibilidade da ação reivindicatória exige a presença de três requisitos: a prova da titularidade do domínio pelo autor, a individualização da coisa e a posse injusta do réu. A caracterização da posse nem sempre se dá pelo contato físico com a coisa, muitas vezes prescindindo de exteriorização material, bastando a existência de um poder de fato sobre o bem. Nesse contexto, há de se distinguir o abandono da ausência, seja ela eventual ou habitual. Se o imóvel está abandonado, o proprietário não precisa de decisão judicial para reavê-lo, devendo ser reconhecida a sua falta de interesse de agir, ante à desnecessidade ou inutilidade do provimento jurisdicional perseguido.

11Tadeu propôs ação reivindicatória contra Breno... R=Na hipótese apresentada, a esposa de Breno deveria figurar como litisconsorte necessário, pois a demanda discute direito real imobiliário. Da mesma forma, deve-se mostrar que o juiz se equivocou ao declarar nula a citação. Em consonância com o § 1.º do art. 239 do C P C, o comparecimento espontâneo supre a falta de citação. Na hipótese, mesmo não tendo sido citado pessoalmente, Breno compareceu ao processo e apresentou, tempestivamente, sua contestação. Não houve, portanto, prejuízo que justificasse a declaração de nulidade.

12Como escreve Daniel A. Assumpção Neves Indaga-se: A hipótese também cabe a Fazenda..

R=Pode ser celebrado por qualquer parte inclusive a fazenda publica e o MP como atua com autor o réu em processo individuais ou coletivos art 190.
Antenor e Alice, brasileiros, prósperos empresários do ramo da construção civil, casados há cinco anos, apresentam problemas de fertilidade apesar de vários tratamentos em modernas clínicas especializadas.R= O magistrado não agiu corretamente, diante da falta de previsão legal específica para o caso concreto, deveria aplicar o disposto no artigo 126 CPC, fenômeno da integração, recorrendo, portanto, à analogia, aos costumes e aos princípios gerais do Direito.
João e José envolveram-se em um acidente de trânsito vindo a colidir... a) Agiu corretamente o autor da ação, demandando os envolvidos no acidente de trânsito? Justifique. De acordo com o art. 46, inciso II CPC. Sim, trata-se de Litisconsórcio Facultativo, pois o município tem o direito de verificar individualmente cada uma dela. b) Forma no pólo passivo da relação processual um litisconsórcio necessário? Justifique. Não, porque o juiz vai averiguar a culpabilidade de cada um, ou seja, o juiz pode dar sentenças diferentes e a decisão não será igual para ambos.
a) Forma litisconsórcio necessário no pólo passivo entre Paulo e Sílvio? Justifique. A Lei não obriga a formação do litisconsórcio neste caso. No caso em questão o litisconsórcio é facultativo. b) Trata de modalidade de intervenção de terceiro voluntária? Justifique. Não, porque é provocada.
É caso de denunciação da lide: c) quando aquele que estiver obrigado pela lei ou contrato é denunciado a assegurar a obrigação;
b) Como deve agir o juiz ao fixar o valor de dano moral, se julgar procedente o pedido do autor? Explique. O Juiz levará em consideração a repercussão do ilícito, o suporte econômico do ofensor e do ofendido, a dor experimentada pela vítima, ai sim deverá o magistrado ter bom senso para a aplicação do “quantum”.
a) Trata-se de que tutela inibitória? Justifique. Sim, desde que seja relevante o fundamento da demanda, que cuja receio da eficácia do provimento. A liminar “inaudita altera parte” é uma forma liminar concedida no início do processo sem que a parte contrária seja ouvida, de acordo com o art. 461 do CPC.
Em relação à tutela antecipatória é incorreto afirmar: b) exige a presença dos pressupostos da verossimilhança, prova inequívoca, da ausência do perigo de irreversibilidade, abuso do direito de defesa e manifesto propósito protelatório da do réu, além do fundado receio de dano irreparável ou de difícil reparação;
a) Estão corretos os argumentos de defesa do réu? Justifique. Não, porque não existe preclusão para o juiz em relação aos despachos e decisões interlocutórias que ele profere, o fato de o juiz receber a petição inicial e determinar a citação do réu não acarreta a preclusão das matérias que dizem respeito ao indeferimento da inicial ou de sua inépcia.
b) Qual a natureza da petição inicial do autor da ação. Justifique. Petição inicial do autor é o instrumento da demanda e é a peça onde formula a sua pretensão e requer a entrega da prestação jurisdicional do Estado-juiz. Logo a inicial é pressuposto processual de existência.
Ao receber uma regular petição inicial de uma ação de cobrança, entre partes capazes, pra recebimento de um título de crédito prescrito,... c) correta, porque a petição inicial deverá ser indeferida quando o juiz verificar, desde logo, a decadência e a prescrição; art. 295, IV e 219 §5º do CPC
Em relação ao indeferimento de petição inicial é incorreto afirmar: d) nunca pode indeferir a inicial proferindo sentença de resolução de mérito. (só pode quando tiver prescrição e decadência e 295, IV / Julgamento de demandas repetitivas 285 – A).
Quanto à intervenção de terceiros, assinale a assertiva incorreta: c) o chamamento ao processo pode ser feito pelos avalistas;
Se o prazo não estiver estabelecido em lei, deverá ser determinado:pelo magistrado.
O prazo processual é contado:
ininterruptamente. 
As partes poderão de comum acordo:modificar os prazos dilatórios.
Findo o prazo, a parte:
não poderá mais praticar o ato, salvo se provar que não o realizou por justa causa
Em regra, o prazo processual civil é contado:excluindo-se o dia do início e incluindo o dia do término.
Não havendo prazo estipulado em lei ou pelo juiz, o prazo para a prática do ato processual será de: 5DIAS
I – Os atos processuais serão cumpridos por ordem judicial ou requisitados por carta, conforme hajam de realizar-se dentro ou fora dos limites territoriais da comarca.
II - A carta rogatória poderá ser instruída com mapa, desenho ou gráfico, sempre que estes documentos devam ser examinados, na diligência, pelas partes, peritos ou testemunhas
Executar-se-ão, de ofício, os atos requisitados por telegrama, radiograma ou telefone.
Citação é o ato pelo qual se chama a juízo o réu ou o interessado a fim de se defender. A sua falta no processo: pode ser suprida pelo comparecimento espontâneo do réu
A citação poderá ser feita: pelo correio, por edital, por oficial de justiça e por meio eletrônico.
Os prazos somente começam a correr:do dia útil seguinte da intimação

segue algumas respostas a pergunta esta abreviada,(apenas o início) vc pode indetifica-la em seu portal e a resposta esta completa. fiz assim pra facilitar pra mim caso eu esquecesse na prova e pegava esse lembrete.!! rsrs

Marcelo fiador do seu primo André em contrato de locação de imóvel... Marcelo poderá valer se da>> Chamamento ao processo.

A ação regressiva exercida como modalidade como intervenção de 3° confg>>> Denunciação da lide.

Tadeu propôs ação reivindicatória contra Breno... R=Na hipótese apresentada, a esposa de Breno deveria figurar como litisconsorte necessário, pois a demanda discute direito real imobiliário. Da mesma forma, deve-se mostrar que o juiz se equivocou ao declarar nula a citação. Em consonância com o § 1.º do art. 239 do C P C, o comparecimento espontâneo supre a falta de citação. Na hipótese, mesmo não tendo sido citado pessoalmente, Breno compareceu ao processo e apresentou, tempestivamente, sua contestação. Não houve, portanto, prejuízo que justificasse a declaração de nulidade.

Como escreve Daniel A. Assumpção Neves Indaga-se: A hipótese também cabe a Fazenda..

R=Pode ser celebrado por qualquer parte inclusive a fazenda publica e o MP como atua com autor o réu em processo individuais ou coletivos art 190.
 Nas ações fundadas em direito real sobre imóveis é competente o foro da situação da coisa. Pode o autor, entretanto, optar pelo foro do domicílio ou de eleição, não recaindo o litígio sobre direito de propriedade, vizinhança, servidão, posse, divisão e demarcação de terras e nunciação de obra nova.
Maria, locatária de imóvel residencial, localizado na cidade de Nova Friburgo, propôs ação de Reintegração de Posse. a) O critério de competência utilizado por Maria..?b)  A incompetência, se existe, é absoluta ou relativa? R=a Não está correta, tendo em vista que a ação deveria ter sido proposta no foro da situação da coisa, ou seja, na comarca de Nova Friburgo, pois se trata de ação real imobiliária que discute posse.b-Nesse caso, o critério territorial é o absoluto,A ação possessória imobiliária será proposta no foro de situação da coisa, cujo juízo tem competência absoluta.”
No que tange a Competência interna, de acordo com o novo CPC é correto afirmar: As causas cíveis serão processadas e decididas pelo juiz nos limites da sua competência, ressalvado às partes o direito de instituir juiz arbitral, na forma da lei: As causas cíveis serão processadas e decididas pelo juiz nos limites de sua competência, ressalvado às partes o direito de instituir juízo arbitral, na forma da lei.
A admissibilidade da ação reivindicatória exige a presença de três requisitos: a prova da titularidade do domínio pelo autor, a individualização da coisa e a posse injusta do réu. A caracterização da posse nem sempre se dá pelo contato físico com a coisa, muitas vezes prescindindo de exteriorização material, bastando a existência de um poder de fato sobre o bem. Nesse contexto, há de se distinguir o abandono da ausência, seja ela eventual ou habitual. Se o imóvel está abandonado, o proprietário não precisa de decisão judicial para reavê-lo, devendo ser reconhecida a sua falta de interesse de agir, ante à desnecessidade ou inutilidade do provimento jurisdicional perseguido.

11Tadeu propôs ação reivindicatória contra Breno... R=Na hipótese apresentada, a esposa de Breno deveria figurar como litisconsorte necessário, pois a demanda discute direito real imobiliário. Da mesma forma, deve-se mostrar que o juiz se equivocou ao declarar nula a citação. Em consonância com o § 1.º do art. 239 do C P C, o comparecimento espontâneo supre a falta de citação. Na hipótese, mesmo não tendo sido citado pessoalmente, Breno compareceu ao processo e apresentou, tempestivamente, sua contestação. Não houve, portanto, prejuízo que justificasse a declaração de nulidade.

12Como escreve Daniel A. Assumpção Neves Indaga-se: A hipótese também cabe a Fazenda..

R=Pode ser celebrado por qualquer parte inclusive a fazenda publica e o MP como atua com autor o réu em processo individuais ou coletivos art 190.
Antenor e Alice, brasileiros, prósperos empresários do ramo da construção civil, casados há cinco anos, apresentam problemas de fertilidade apesar de vários tratamentos em modernas clínicas especializadas.R= O magistrado não agiu corretamente, diante da falta de previsão legal específica para o caso concreto, deveria aplicar o disposto no artigo 126 CPC, fenômeno da integração, recorrendo, portanto, à analogia, aos costumes e aos princípios gerais do Direito.
João e José envolveram-se em um acidente de trânsito vindo a colidir... a) Agiu corretamente o autor da ação, demandando os envolvidos no acidente de trânsito? Justifique. De acordo com o art. 46, inciso II CPC. Sim, trata-se de Litisconsórcio Facultativo, pois o município tem o direito de verificar individualmente cada uma dela. b) Forma no pólo passivo da relação processual um litisconsórcio necessário? Justifique. Não, porque o juiz vai averiguar a culpabilidade de cada um, ou seja, o juiz pode dar sentenças diferentes e a decisão não será igual para ambos.
a) Forma litisconsórcio necessário no pólo passivo entre Paulo e Sílvio? Justifique. A Lei não obriga a formação do litisconsórcio neste caso. No caso em questão o litisconsórcio é facultativo. b) Trata de modalidade de intervenção de terceiro voluntária? Justifique. Não, porque é provocada.
É caso de denunciação da lide: c) quando aquele que estiver obrigado pela lei ou contrato é denunciado a assegurar a obrigação;
b) Como deve agir o juiz ao fixar o valor de dano moral, se julgar procedente o pedido do autor? Explique. O Juiz levará em consideração a repercussão do ilícito, o suporte econômico do ofensor e do ofendido, a dor experimentada pela vítima, ai sim deverá o magistrado ter bom senso para a aplicação do “quantum”.
a) Trata-se de que tutela inibitória? Justifique. Sim, desde que seja relevante o fundamento da demanda, que cuja receio da eficácia do provimento. A liminar “inaudita altera parte” é uma forma liminar concedida no início do processo sem que a parte contrária seja ouvida, de acordo com o art. 461 do CPC.
Em relação à tutela antecipatória é incorreto afirmar: b) exige a presença dos pressupostos da verossimilhança, prova inequívoca, da ausência do perigo de irreversibilidade, abuso do direito de defesa e manifesto propósito protelatório da do réu, além do fundado receio de dano irreparável ou de difícil reparação;
a) Estão corretos os argumentos de defesa do réu? Justifique. Não, porque não existe preclusão para o juiz em relação aos despachos e decisões interlocutórias que ele profere, o fato de o juiz receber a petição inicial e determinar a citação do réu não acarreta a preclusão das matérias que dizem respeito ao indeferimento da inicial ou de sua inépcia.
b) Qual a natureza da petição inicial do autor da ação. Justifique. Petição inicial do autor é o instrumento da demanda e é a peça onde formula a sua pretensão e requer a entrega da prestação jurisdicional do Estado-juiz. Logo a inicial é pressuposto processual de existência.
Ao receber uma regular petição inicial de uma ação de cobrança, entre partes capazes, pra recebimento de um título de crédito prescrito,... c) correta, porque a petição inicial deverá ser indeferida quando o juiz verificar, desde logo, a decadência e a prescrição; art. 295, IV e 219 §5º do CPC
Em relação ao indeferimento de petição inicial é incorreto afirmar: d) nunca pode indeferir a inicial proferindo sentença de resolução de mérito. (só pode quando tiver prescrição e decadência e 295, IV / Julgamento de demandas repetitivas 285 – A).
Quanto à intervenção de terceiros, assinale a assertiva incorreta: c) o chamamento ao processo pode ser feito pelos avalistas;
Se o prazo não estiver estabelecido em lei, deverá ser determinado:pelo magistrado.
O prazo processual é contado:
ininterruptamente. 
As partes poderão de comum acordo:modificar os prazos dilatórios.
Findo o prazo, a parte:
não poderá mais praticar o ato, salvo se provar que não o realizou por justa causa
Em regra, o prazo processual civil é contado:excluindo-se o dia do início e incluindo o dia do término.
Não havendo prazo estipulado em lei ou pelo juiz, o prazo para a prática do ato processual será de: 5DIAS
I – Os atos processuais serão cumpridos por ordem judicial ou requisitados por carta, conforme hajam de realizar-se dentro ou fora dos limites territoriais da comarca.
II - A carta rogatória poderá ser instruída com mapa, desenho ou gráfico, sempre que estes documentos devam ser examinados, na diligência, pelas partes, peritos ou testemunhas
Executar-se-ão, de ofício, os atos requisitados por telegrama, radiograma ou telefone.
Citação é o ato pelo qual se chama a juízo o réu ou o interessado a fim de se defender. A sua falta no processo: pode ser suprida pelo comparecimento espontâneo do réu
A citação poderá ser feita: pelo correio, por edital, por oficial de justiça e por meio eletrônico.
Os prazos somente começam a correr:do dia útil seguinte da intimação

User badge image

Renato Lopes

Há mais de um mês

Plano de aula 1

Caso concreto: Maria, brasileira, casou com Glen, Americano. Desde a constância do matrimônio o casal passou a residir no Brasil. Na constância do matrimônio nasceu Peter, que encontra-se hoje com 5 anos. Ano passado o casal resolveu se divorciar. Glen, então resolveu voltar para a cidade onde nasceu, Santa Bárbara, Califórnia. Maria procura você, advogado, desejando que Glen pague alimentos ao filho Peter. Diante do caso em tela, questiona-se:

a)      A ação de alimentos proposta por Peter, representado por sua mãe, Maria, em face de Glen, deve ser promovida na Justiça do Brasil? Justifique e fundamente a resposta.

A ação pode ser proposta no Brasil, segundo art. 22, I, alínea A, havendo competência concorrente:

Art. 22.  Compete, ainda, à autoridade judiciária brasileira processar e julgar as ações:

I - de alimentos, quando:

a)      o credor tiver domicílio ou residência no Brasil;

 

Objetiva 1 – Segundo o NCPC, compete exclusivamente a autoridade brasileira:

Letra B:  Em divórcio, separação judicial ou dissolução de união estável, proceder à partilha de bens situados no Brasil, ainda que o titular seja de nacionalidade estrangeira ou tenha domicílio fora do Território Nacional.

 

SEMANA 2

Maria, locatária de imóvel residencial, localizado na cidade de Nova Friburgo, propôs ação de Reintegração de Posse em face do locador, João, afirmando que este esbulhou sua posse direta ao trocar a fechadura do imóvel locado, não permitindo mais a sua entrada no mesmo, uma vez que este encontra-se há dois meses inadimplente com suas obrigações contratuais (alugueres e encargos da locação). A demanda foi proposta no município de Petrópolis, local onde Maria encontra-se hospedada. Diante dos fatos narrados, indaga-se:

 

a)      O critério de competência utilizado por Maria para propor a Ação de Reintegração de Posse está correta? Fundamente e explique sua resposta.

 

Não está correta, tendo em vista que a ação deveria ter sido proposta no foro da situação da coisa, ou seja, na comarca de Nova Friburgo, pois se trata de ação real imobiliária que discute posse, de acordo com o art. 47, parágrafo 2° do novo CPC:

 

“Art. 47.  Para as ações fundadas em direito real sobre imóveis é competente o foro de situação da coisa.

 

§ 1o O autor pode optar pelo foro de domicílio do réu ou pelo foro de eleição se o litígio não recair sobre direito de propriedade, vizinhança, servidão, divisão e demarcação de terras e de nunciação de obra nova.

 

§ 2o A ação possessória imobiliária será proposta no foro de situação da coisa, cujo juízo tem competência absoluta.”

 

 

b)      A incompetência, se existe, é absoluta ou relativa? Justifique.

Nesse caso, excepcionalmente, o critério territorial é o absoluto, consoante parágrafo 2º do art. 47 do novo CPC:

 

“§ 2o A ação possessória imobiliária será proposta no foro de situação da coisa, cujo juízo tem competência absoluta.”

 

 

 

 2ª Questão – Objetiva – Em relação à competência, afigura-se correto afirmar, exceto:

Letra D: A ação fundada em direito real sobre bens imóveis será proposta exclusivamente no foro de domicílio do réu.

 

3ª Questão – Objetiva – No que tange a Competência interna, de acordo com o novo CPC é correto afirmar:

 

Letra A: As causas cíveis serão processadas e decididas pelo juiz nos limites da sua competência, ressalvado às partes o direito de instituir juiz arbitral, na forma da lei:

 

Art. 42.  As causas cíveis serão processadas e decididas pelo juiz nos limites de sua competência, ressalvado às partes o direito de instituir juízo arbitral, na forma da lei.

 

AULA 4

a) Trata-se o caso concreto de impedimento do juiz? Fundamente e explique a sua resposta.

R.: O fato apresentado não caracteriza uma das hipóteses de impedimento elencadas no artigo 144 do Novo CPC, mas sim de suspeição, conforme preceitua o artigo 145, I, NCPC.

b) De acordo com as normas do NCPC quando deve ser arguida o impedimento ou a suspeição?

R.: O impedimento ou suspeição do juiz deverá ser arguida no prazo de 15 (quinze) dias, a contar do conhecimento do fato. (Art. 146, NCPC)

2. Questão. Não é considerado causa de impedimento do juiz, quando:
e) interessado no julgamento do processo em favor de qualquer das partes.

3. Questão. São exemplos de auxiliares da Justiça, além de outros cujas atribuições sejam determinadas pelas normas de organização judiciária:
a) o escrivão, o chefe de secretaria, o oficial de justiça, o perito, o depositário, o administrador, o intérprete, o tradutor, o mediador.

User badge image

renan santos

Há mais de um mês

NÃO é considerado critério ABSOLUTO de competência, conforme o CPC:


ALGUEM ME RESPONDE POR FAVOR

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos estudantes