A maior rede de estudos do Brasil

Para Kelsen quando que uma norma é considerada um Ordenamento Jurídico?

estou confusa com as respostas que obtive


4 resposta(s) - Contém resposta de Especialista

User badge image

DLRV Advogados Verified user icon

Há mais de um mês

O ordenamento jurídico, segundo Kelsen, consiste em um complexo de normas, que se situam em diferentes planos. Há normas superiores e inferiores. As inferiores dependem das superiores.

No topo desta escala de normas, chega-se a uma norma suprema, independente de qualquer outra norma superior, e sobre a qual repousa a unidade do ordenamento. Essa norma suprema é chamada de norma fundamental, que é responsável por dar unidade a todas as demais normas, tornando-se um todo unitário, ou seja, um ordenamento. A norma fundamental funciona como o ponto unificador de todas as outras normas componentes do ordenamento jurídico.

Segundo Bobbio, ao analisar Kelsen, sem uma norma fundamental, todas as normas constituiriam um acumulado de normas, não um ordenamento.

O ordenamento jurídico, segundo Kelsen, consiste em um complexo de normas, que se situam em diferentes planos. Há normas superiores e inferiores. As inferiores dependem das superiores.

No topo desta escala de normas, chega-se a uma norma suprema, independente de qualquer outra norma superior, e sobre a qual repousa a unidade do ordenamento. Essa norma suprema é chamada de norma fundamental, que é responsável por dar unidade a todas as demais normas, tornando-se um todo unitário, ou seja, um ordenamento. A norma fundamental funciona como o ponto unificador de todas as outras normas componentes do ordenamento jurídico.

Segundo Bobbio, ao analisar Kelsen, sem uma norma fundamental, todas as normas constituiriam um acumulado de normas, não um ordenamento.

User badge image

Paulo

Há mais de um mês

Busquei do meu material, leia com calma que você compreenderá melhor: 

Hans Kelsen (1881- 1973) – colocou-se como defensor da autonomia cientifica do direito, livre de juízo valorativo, buscando estabelecer um fundamento epistemológico objetivo.Propôs o princípio da pureza: “o método e o objeto especifico da ciência jurídica devem ter o enforque normativo”, ou seja, o direito deve ser visto como norma, e não como fato ou valor. Ele via o Direito, sendo um fenômeno complexo, deve ser estudado autonomamente, afim de, evitar debates infindáveis. Kelsen compreendeu a ciência jurídica como ciência pura de normas e as investigou no seu encadeamento hierárquico. Assim, a validade está ligada a normas superiores que culminam na norma fundamental (A norma hipotética fundamental – N.H.F, ou seja, é o fundamento de validade de todas as normas pertencentes a dada ordem normativa). A norma será jurídica e legítima em função da N.H.F: ainda que haja uma norma injusta, ela será válida e legítima desde que decorra de uma norma fundamental legitima. Kelsen buscou a neutralidade cientifica do Direito, buscando a autonomia desta ciência em relação a moral e a política. O princípio metodológico fundamental: o direito não se preocupa com o conteúdo, mas com a estrutura lógica das normas. Não é da competência do Direito discutir os fins políticos desta ou daquela norma jurídica, mas sim ressaltar uma preocupação jurídico-cientifica (o objeto da ciência do direito e a norma posta por autoridade competente. Proposição jurídica é a reflexão sobre as normas que se difere de normas jurídicas que são as que prescreve a sanção que deve ser aplicada as ações ilícitas. Para Kelsen a justiça possui valor relativo inconstante (possui caráter subjetivo).

RESUMINDO - O seu objetivo era transformar o Direito em uma ciência, livre da moral e da ética, mas sim contituido puramente por normas. O chamado Direito Positivista no qual a lei tinha o dever de prever todos os conflitos. Ele via o sistema jurídico como um sistema perfeito, nessa época não se falava em princípios, ponderação e nem havia lacunas. O jurista deveria aplicar a lei nua e crua. O raciocínio do jurista era a lógica formal; lógica da dedução (premissa maior + premissa menor = conclusão); o sistema jurídico positivista era fechado, atemporal, perfeito e solução para todas as soluções de conflito da vida social.

Espero ter ajudado, se gostou não deixe de aprovar a resposta!

User badge image

Gabriela

Há mais de um mês

Quando ela é válida.

Para que seja considerada válida a norma, é preciso verificar se as condições de sua produção ou aplicação estão previamente contidos nos comandos de outras normas já produzidas e integrantes do ordenamento jurídico.

Ou seja, o ordenamento jurídico é o conjunto das normas válidas organizadas hierarquicamente.

User badge image

João Pedro

Há mais de um mês

Quando um conjunto de normas, leis, são organizadas hierarquicamente, elas devem constituir Unidade, Não ter contradiçoes, e atingir a a solução.

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos especialistas