Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

algem sabe o que é consiencia para Psicologia: Humanista, Fenomenologia e Sócio-Histórica


5 resposta(s)

User badge image

Fernando Henrique Soares da Silva Teles

Há mais de um mês

É um pouco complicado responder essa pergunta pelo fato destas três categorias englobarem muitas correntes com visões que se deferem na constituição. Mas vou tentar responder da forma mais comum:

Pro humanismo a consciência é parte do organismo humano. Não parte física, mas como função, que tem como capacidade reconhecer e refletir sobre aquilo que abala a homeostase e trabalhar em favor de a restaurar. Ainda podemos afirmar que a consciência pode ser tida como o "Eu" da pessoa que surge a partir de um "Ser" ou outra nomeclatura que indique algo maio, um todo. A consciência não é por tanto o homem por completo, dono de si. As abordagens humanistas vem muitas vezes mostrar como as condições de importância que a sociedade criam deixam a consciência corrompida.

A Fenomenologia, mais precisamente Husserl (eu acho, kk), entendia a consciência como a função do corpo que se direciona para um objeto tal. Por isso aquela velha frase de que tomar consciência é sempre tomar consciência de algo. Ou seja o corpo ao se relacionar com o mundo circundante produz uma aparição intermediária, em que é como se houvesse uma mistura daquilo que forma aquele corpo com o objeto ao qual se intenciona. Vou tentar dar um exemplo meio banal: já ouviu falar que mulher grávidas percebem melhor outras mulheres que estão grávidas no seu dia-a-dia? Então, é como se estivéssemos dizendo que aquilo que posso tomar consciência é um fenômeno resultante daquilo que trago de história, de corpo, de marca, juntamente ao que me circunda, ao que se difere a ponto de chamar minha atenção.

Mds, já falei muito..

A sócio-histórica não vou saber te dizer muita coisa. Mas tem que se pensar a consciência como prática social e construção cultural. Assim nossa consciência é construída socialmente. Então diferentes épocas produzem consciências que são diferentes, tanto daquilo que percebem, quanto a própria forma de como o homem se relaciona com ela. Afinal vamos então entendendo que aspectos da sociedade estarão também como partes desta consciência, por exemplo: a alienação, a opressão, a liderança.. entre outros.   

É um pouco complicado responder essa pergunta pelo fato destas três categorias englobarem muitas correntes com visões que se deferem na constituição. Mas vou tentar responder da forma mais comum:

Pro humanismo a consciência é parte do organismo humano. Não parte física, mas como função, que tem como capacidade reconhecer e refletir sobre aquilo que abala a homeostase e trabalhar em favor de a restaurar. Ainda podemos afirmar que a consciência pode ser tida como o "Eu" da pessoa que surge a partir de um "Ser" ou outra nomeclatura que indique algo maio, um todo. A consciência não é por tanto o homem por completo, dono de si. As abordagens humanistas vem muitas vezes mostrar como as condições de importância que a sociedade criam deixam a consciência corrompida.

A Fenomenologia, mais precisamente Husserl (eu acho, kk), entendia a consciência como a função do corpo que se direciona para um objeto tal. Por isso aquela velha frase de que tomar consciência é sempre tomar consciência de algo. Ou seja o corpo ao se relacionar com o mundo circundante produz uma aparição intermediária, em que é como se houvesse uma mistura daquilo que forma aquele corpo com o objeto ao qual se intenciona. Vou tentar dar um exemplo meio banal: já ouviu falar que mulher grávidas percebem melhor outras mulheres que estão grávidas no seu dia-a-dia? Então, é como se estivéssemos dizendo que aquilo que posso tomar consciência é um fenômeno resultante daquilo que trago de história, de corpo, de marca, juntamente ao que me circunda, ao que se difere a ponto de chamar minha atenção.

Mds, já falei muito..

A sócio-histórica não vou saber te dizer muita coisa. Mas tem que se pensar a consciência como prática social e construção cultural. Assim nossa consciência é construída socialmente. Então diferentes épocas produzem consciências que são diferentes, tanto daquilo que percebem, quanto a própria forma de como o homem se relaciona com ela. Afinal vamos então entendendo que aspectos da sociedade estarão também como partes desta consciência, por exemplo: a alienação, a opressão, a liderança.. entre outros.   

User badge image

Osiel Leite Silva

Há mais de um mês

Tanto a Psicologia Humanista, a Fenomenologia e a Psicologia Sócia Histórica tem em comum a consciência como objeto de estudo embora cada abordagem tenha um conceito diferente de consciência ecausalidade.
A Psicologia Humanista surge meados do século XX em um contexto de pessimismo, dificuldades na economia durante o pós-guerra. O movimento humanista trouxe a valorização do homem resgatando umavisão otimista 
A filosofia de base é um conceito de Bérgson “Élan Vital” onde o homem trás consigo a capacidade inata de equilíbrio, saúde e auto realização.
De modo que há uma consciênciapensada, o homem na sua existência própria é capaz de criar suas leis, não sendo determinado nem pela natureza nem pela historia, mas sim resgatando sua capacidade de autonomia, sendo um ser potencialmentelivre e dono dessa consciência. 
A Psicologia Humanista proporciona condições para superar todas as superações inerentes à vida e se apropriar desse potencial, acreditando que se o individuo possuiele é capaz de ser uma pessoa realizada, ou seja, o homem consciente tem pleno domínio de tomar decisões. 
A Psicologia Humanista se afirma em um compromisso com uma visão otimista e engrandecedora,na qual as melhores qualidades e potenciais positivos manifestados pelos homens sejam valorizados como a própria essência da natureza humana. 
Na visão de Rousseau o homem é naturalmente bom, asociedade é que o corrompe. Percebe-se então que somente o individuo é capaz de entender seu próprio mundo e decidir sobre sua vida de acordo com o seu conhecimento individual.

Para a Fenomenologia oinatismo não existe, a consciência é a ideia da realidade que a consciência humana cria existindo somente aquilo que a minha consciência vê. Por isso não se pode generalizar, pois segundo a fenomenologiaa consciência dá sentido para cada um e se dá devido à experiência vivida por cada individuo.
O individuo representa o mundo, ele que dá sentido.

 

User badge image

Osiel Leite Silva

Há mais de um mês

Espero ter ajudado, bons estudos!!

 

Essa pergunta já foi respondida!