A maior rede de estudos do Brasil

É possível o homicídio qualificado privilegiado? Ele poderá ser considerado hediondo ?

Qual a natureza objetiva ou subjetiva? O que são privilegiadoras?

Dp-pe IUNICEUB

3 resposta(s)

User badge image

Paulo

Há mais de um mês

Vai ser dificil resumir, mas vamos em frente:

É possível?

De acordo com farta doutrina e jurisprudência, é perfeitamente possível a figura do homicídio privilegiado qualificado, desde que as qualificadoras incidentes sejam de cunho objetivo. Em outros termos, a doutrina e jurisprudência admitem que motivações nobres sob o ponto de vista da moral objetiva, que diminuem a censura do cometimento do crime, podem conviver com circunstâncias objetivas reprováveis de realização do delito. Um exemplo clássico apontado é o caso do sujeito que mata o estuprador da sua filha utilizando um meio cruel para tanto.

É hediondo ?

A corrente majoritária, na doutrina e na jurisprudência, com a qual concordamos, assinala o oposto. De acordo com esse posicionamento, não é possível considerar o homicídio privilegiado-qualificado como crime hediondo por duas razões. Em um primeiro momento, por obediência ao princípio da legalidade penal, vertente taxatividade, porquanto o artigo 1o, inciso I da lei de crimes hediondos trata apenas do homicídio qualificado, nada trazendo sobre o homicídio privilegiado. A segunda razão que impede o reconhecimento da figura do homicídio privilegiado-qualificado como crime hediondo é de cunho político-criminal: observando-se ideais de prevenção geral e especial, a serem observados como finalidades da pena, não se justifica que o crime com motivos nobres seja submetido a tratamento especialmente gravoso pelo Ordenamento.

Qual a natureza objetiva ou subjetiva?

Serão ambas, sendo a qualificadora indispensável ser objetiva. E a privilegiada, obviamente, são todas subjetivas, posto que se relacionam com o motivo do crime ou com o estado anímico do agente.

O que são privilegiadoras? - Como dito anteriormente, tem haver com o estado no animo do agente, como o motivo por ter cometido aquele crime, de um modo que seja um motivo de relevante valor moral ou social ou domínio de violenta emoção.

Espero ter ajudado, essa valia para várias respostas, mas resumi ao maximo para melhor entendimento.

Se gostou não deixa de aprovar, porque isso me ajuda bastante, e se ver outra resposta minha e gostar não deixe de fazer o mesmo, obrigado!

Vai ser dificil resumir, mas vamos em frente:

É possível?

De acordo com farta doutrina e jurisprudência, é perfeitamente possível a figura do homicídio privilegiado qualificado, desde que as qualificadoras incidentes sejam de cunho objetivo. Em outros termos, a doutrina e jurisprudência admitem que motivações nobres sob o ponto de vista da moral objetiva, que diminuem a censura do cometimento do crime, podem conviver com circunstâncias objetivas reprováveis de realização do delito. Um exemplo clássico apontado é o caso do sujeito que mata o estuprador da sua filha utilizando um meio cruel para tanto.

É hediondo ?

A corrente majoritária, na doutrina e na jurisprudência, com a qual concordamos, assinala o oposto. De acordo com esse posicionamento, não é possível considerar o homicídio privilegiado-qualificado como crime hediondo por duas razões. Em um primeiro momento, por obediência ao princípio da legalidade penal, vertente taxatividade, porquanto o artigo 1o, inciso I da lei de crimes hediondos trata apenas do homicídio qualificado, nada trazendo sobre o homicídio privilegiado. A segunda razão que impede o reconhecimento da figura do homicídio privilegiado-qualificado como crime hediondo é de cunho político-criminal: observando-se ideais de prevenção geral e especial, a serem observados como finalidades da pena, não se justifica que o crime com motivos nobres seja submetido a tratamento especialmente gravoso pelo Ordenamento.

Qual a natureza objetiva ou subjetiva?

Serão ambas, sendo a qualificadora indispensável ser objetiva. E a privilegiada, obviamente, são todas subjetivas, posto que se relacionam com o motivo do crime ou com o estado anímico do agente.

O que são privilegiadoras? - Como dito anteriormente, tem haver com o estado no animo do agente, como o motivo por ter cometido aquele crime, de um modo que seja um motivo de relevante valor moral ou social ou domínio de violenta emoção.

Espero ter ajudado, essa valia para várias respostas, mas resumi ao maximo para melhor entendimento.

Se gostou não deixa de aprovar, porque isso me ajuda bastante, e se ver outra resposta minha e gostar não deixe de fazer o mesmo, obrigado!

User badge image

Paulo

Há mais de um mês

Essa vale*, perdão, erro de digitação!

User badge image

Ricardo

Há mais de um mês

Só nas hipotese das qualificadoras objetivas do Art. 121 §2º, III e IV 

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos estudantes