A maior rede de estudos do Brasil

Como se efetiva, no Federalismo brasileiro, a participação da vontade do estado-membro na vontade criadora da ordem jurídica Federal?

Como se efetiva, no Federalismo brasileiro, a participação da vontade do estado-membro na vontade criadora da ordem jurídica Federal?


2 resposta(s) - Contém resposta de Especialista

User badge image

Júnior Oliveira Verified user icon

Há mais de um mês

No federalismo há o agrupamento de entes federados autônomos, unidos por um elo imutável, o pacto federativo.

Assim, os estados-membros não se dissociarão da unidade soberana, estando, portanto, propensos à intervenção federal.

Os Estados-membros possuem autonomia política e administrativa para elaboração de suas próprias constituições, protegidos pelo poder constituinte decorrente. Formam, então, seus poderes executivo, legislativo e judiciário correspondentes, que colaborarão, a partir de suas esferas de atribuição, para a formação da ordem jurídica federal.

No federalismo há o agrupamento de entes federados autônomos, unidos por um elo imutável, o pacto federativo.

Assim, os estados-membros não se dissociarão da unidade soberana, estando, portanto, propensos à intervenção federal.

Os Estados-membros possuem autonomia política e administrativa para elaboração de suas próprias constituições, protegidos pelo poder constituinte decorrente. Formam, então, seus poderes executivo, legislativo e judiciário correspondentes, que colaborarão, a partir de suas esferas de atribuição, para a formação da ordem jurídica federal.

User badge image

Guilherme Burzynski Dienes

Há mais de um mês

"Como se efetiva, no Federalismo brasileiro, a participação da vontade do estado-membro na vontade criadora da ordem jurídica Federal?"

 

Pergunta mal formulada, na minha opinião. Art. 22 da CF dispõe as competências privativas da união, art. 24/25 da CF sobre a competência legislativa dos Estados.

O ente federativo "Estado" pode fazer sua própria Constituição, desde que não verse sobre questões dispostas no art. 22, e cada Estado possui a sua. A forma dos serviços públicos e órgãos públicos atuarem é através da arrecadação por meio de tributos, e a discussão atual está no fato de que 70% dos tributos arrecadados no Brasil o são pela União, e sendo que os maiores responsáveis pelo funcionamento do SUS são os Estados e Municípios. No âmbito tributário se discute essa questão, no âmbito constitucional, o pacto federativo, uma vez celebrado por uma Assembléia Nacional Constituinte, sendo poder originário e promulgado, foi de forma democrática. A vontade dos Estados e Municípios se manifestaram pelos seus representantes na época da promulgação da CR/88.

A questão básica é que os Estados possuem diversas competências concorrentes com a União, mas na prática a União não as exerce de forma proveitosa, não usa dos recursos que possui para investir nos Estados, logo muitos administradores públicos tem um orçamento extremamente atado a precatórios (dívidas públicas) e despesas com o SUS/educação.

Na prática, a União lava as mãos e age como o papai noel caridoso, que visita apenas as crianças boas na véspera do natal.

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos especialistas