A maior rede de estudos do Brasil

origem da Vida

Qual a teoria mais aceita para a origem da Vida ?


5 resposta(s) - Contém resposta de Especialista

User badge image

RD Resoluções Verified user icon

Há mais de um mês

Tratando-se teorias sobre a origem da vida, tem-se a abiogênese e a biogênese.

A abiogênese refere-se a uma teoria sobre a origem da vida, que afirma que a vida se originou de substâncias inorgânicas ou inanimadas. Mesmo depois do enfoque de Darwin sobre a origem das espécies, alguns cientistas tentaram descrever a evolução por meio da abiogênese.

A origem da vida na Terra tem sido um tema controverso há muito tempo, e, nesse contexto, a abiogênese e biogênese são duas filosofias que descrevem a origem da vida na Terra. A abiogênese descreve a origem da vida a partir de coisas não-vivas, enquanto a biogênese descreve a origem da vida a partir de formas vivas pré-existentes.

A abiogênese, também chamada de hipótese de geração espontânea, é um dos fenômenos mais amplamente aceitos sobre a origem da vida. A principal diferença entre a abiogênese e a biogênese é que a abiogênese não foi comprovada por experimentos científicos, enquanto a biogênese foi comprovada pelos experimentos científicos e, por essa razão a biogênese é o fenômeno atualmente aceito na origem da vida.

No contexto da biogênese, os Coacervados são aglomerados de moléculas de proteínas que são envolvidas por água em sua forma mais simples. Há evidências de que essas tenham sido as primeiras formas de vida a surgir no planeta Terra, que, por sua vez, desenvolveram a capacidade de se duplicar, ou seja, de formar outros indivíduos.

Daí, os coacervados são aglomerados de moléculas proteicas com a capacidade de se duplicar que podem ter sido as primeiras formas de vida na Terra.

Portanto, a teoria biogênica dos coacervados é a mais aceita atualmente sobre a origem da vida.

Tratando-se teorias sobre a origem da vida, tem-se a abiogênese e a biogênese.

A abiogênese refere-se a uma teoria sobre a origem da vida, que afirma que a vida se originou de substâncias inorgânicas ou inanimadas. Mesmo depois do enfoque de Darwin sobre a origem das espécies, alguns cientistas tentaram descrever a evolução por meio da abiogênese.

A origem da vida na Terra tem sido um tema controverso há muito tempo, e, nesse contexto, a abiogênese e biogênese são duas filosofias que descrevem a origem da vida na Terra. A abiogênese descreve a origem da vida a partir de coisas não-vivas, enquanto a biogênese descreve a origem da vida a partir de formas vivas pré-existentes.

A abiogênese, também chamada de hipótese de geração espontânea, é um dos fenômenos mais amplamente aceitos sobre a origem da vida. A principal diferença entre a abiogênese e a biogênese é que a abiogênese não foi comprovada por experimentos científicos, enquanto a biogênese foi comprovada pelos experimentos científicos e, por essa razão a biogênese é o fenômeno atualmente aceito na origem da vida.

No contexto da biogênese, os Coacervados são aglomerados de moléculas de proteínas que são envolvidas por água em sua forma mais simples. Há evidências de que essas tenham sido as primeiras formas de vida a surgir no planeta Terra, que, por sua vez, desenvolveram a capacidade de se duplicar, ou seja, de formar outros indivíduos.

Daí, os coacervados são aglomerados de moléculas proteicas com a capacidade de se duplicar que podem ter sido as primeiras formas de vida na Terra.

Portanto, a teoria biogênica dos coacervados é a mais aceita atualmente sobre a origem da vida.

User badge image

Letícia

Há mais de um mês

A origem por evolução química é a mais aceita pela categoria científica. Essa teoria propõe que a vida surgiu a partir do arranjo entre moléculas mais simples, aliadas a condições ambientais peculiares, formando moléculas cada vez mais complexas, até o surgimento de estruturas dotadas de metabolismo e capazes de se autoduplicar, dando origem aos primeiros seres vivos.Oparin, Haldane e Miller são os precursores dessa hipótese.

User badge image

Luan

Há mais de um mês

Quando o planeta, no início uma massa de gases, esfriou o suficiente, foram se formando as rochas em sua parte mais externa e uma atividade vulcânica intensa encheu o espaço ao redor com vapores e gases como a água, dióxido de carbono, metano e muitos outros. Alguns desses gases desapareceram, reagindo quimicamente entre si ou com as substâncias das primitivas rochas. Outros permaneceram, formando a atmosfera: metano, amônio, água, hidrogênio. Não havia oxigênio naquela atmosfera.

Com o prosseguimento da queda de temperatura, o vapor de água se condensou, apareceram poças, lagos e os oceanos. Essa água era riquíssima em substâncias químicas. Sob a ação do calor, descargas elétricas, raios ultra-violeta, acabaram ocorrendo reações químicas com a formação de moléculas de um grande número de substâncias. Entre essas, com toda a probabilidade, já se encontravam os componentes mais simples das proteínas e ácidos nucléicos atuais.

Reações químicas posteriores acabaram dando origem a moléculas que tinham a propriedade de se reproduzirem, isto é, dar origem a outras moléculas iguais a si. Era o início da vida. Alguns cientistas acreditam que esse processo foi favorecido pelo fenômeno da adsorção que teria ocorrido sobre a superfície de argilas. Isto, de certa maneira, daria sentido à afirmação da Bíblia de que "do barro fomos feitos...".

As condições ambientais mudaram muito desde aquela época. Elas não são adequadas, atualmente, para iniciar o processo que conduziu aos organismos vivos da atualidade. São, porém, apropriadas para permitir, possibilitar a sobrevivência dos organismos existentes.

Mas, se a vida tem por base reações químicas, se consome e produz substâncias químicas, obviamente, é necessário manter-se as condições ambientais em estado apropriado para a sobrevivência.

A presença - ao mesmo tempo, no mesmo lugar e em condições adequadas - de moléculas de substâncias capazes de dar origem a outras por sua vez capazes de se reproduzirem, na opinião de alguns cientistas, é um evento de tão baixa probabilidade que é possível ser o nosso planeta o único onde floresceu a vida. Essa baixíssima probabilidade dá até ensejo aos que, preferindo a verdade religiosa à verdade científica, achem que foi necessária a intervenção de um Criador para o surgimento dos seres vivos. Outros, porém, acreditam que a vida é uma decorrência, em condições favoráveis inevitável, das propriedades da matéria.

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos especialistas