Questão de escolha simples. Assinale a única alternativa que é FALSA

01.     Questão de escolha simples. A QUESTÃO TRATA DO FENÔMENO RELIGIOSO. Analise com atenção o extrato da notícia publicada no Jornal O Estado de São Paulo, de 22 de janeiro de 2013.

Recuo da Al-Qaeda traz alívio a cristãos do Mali. Os cerca de 500 cristãos da cidade de 15 mil habitantes (Diabaly) fugiram para aldeias e fazendas vizinhas. A Igreja do Sagrado Coração, um dos dois templos cristãos da cidade, foi destruída por dentro. A cruz foi arrancada da parede atrás do altar e partida ao meio, assim como as imagens de Jesus, Nossa Senhora e de São João Batista. (...) “Foi muito duro para nós” relatou o presidente da Associação de Cristãos de Diabaly. “Aqui cristãos e muçulmanos vivem em simbiose perfeita”. A filha do agricultor cristão Felicien Toë, que fugiu com a família para a aldeia de Colon é casada com um muçulmano e não precisou converter-se ao Islã, numa das muitas amostras da moderação que caracteriza o Mali, cuja população é 90% muçulmana e 1% cristã, enquanto os outros 9% seguem as religiões africanas tradicionais. Os militantes (...) anunciaram que na sexta-feira imporiam a sharia, a lei islâmica. “Ninguém aqui está de acordo com a sharia”, declarou o barqueiro Oussoman Barro. “Os inimigos são bandidos drogados”. (...) Quando os tuaregues do Movimento Nacional de Libertação do  Azawada (MNLA) ocuparam o norte do país, no primeiro semestre do ano passado, em aliança com grupos radicais islâmicos, o Coronel Haidara desertou e juntou-se a eles. O MNLA, de orientação laica, rompeu em junho com os jihadistas.

 A partir do que a notícia trata, comparando com conceitos e conteúdos trazidos no livro-texto, assinale a única alternativa que é FALSA no seu enunciado.

a)  ( ) A notícia acima pode ser vinculada ao tema da Tolerância/Intolerância Religiosa, que é um dos eixos centrais da disciplina de Cultura Religiosa. Tolerância implica no respeito às crenças, valores e pensamentos das diferentes culturas e religiões. Permite o testemunho da fé pessoal, mas exclui a tentativa de impor a sua verdade religiosa sobre a dos outros sob uso de coerção ou violência. A notícia, em essência, retrata um exemplo de intolerância religiosa.

b)  ( ) A notícia trata de dois temas/conceitos ligados aos movimentos fundamentalistas islâmicos: a Jihad e a sharia. Os movimentos jihadistas fazem parte de uma corrente radical islâmica que interpreta a Jihad como a Guerra Santa, justificando a conversão à força ou até a morte daqueles que não crêem e adoram Alá. Já a sharia (ou shari’ah) é um conjunto de 

regras extraídas do Corão e dos ensinos de Maomé, devendo ser seguida à risca pelos fiéis

islâmicos, conforme exigem os adeptos do fundamentalismo islâmico.
c) ( ) O envolvimento ou a relação entre questões políticas e religiosas é uma marca comum na religião Islâmica, especialmente nos grupos mais radicais. A notícia acima é um claro exemplo dessa relação. Para os islâmicos fundamentalistas é através da política que se pode obter mais facilmente o estabelecimento dos princípios islâmicos na sociedade. Países como Afeganistão, Irã e Paquistão já foram exemplos de uma ditadura político-religiosa.

d)  ( ) O fundamentalismo e a intolerância religiosa são características exclusivas do Islã. Religiões como o Cristianismo, Judaísmo e Hinduísmo não apresentaram, ao longo de sua existência, grupos radicais ou fundamentalistas. Desde que o Cristianismo foi criado, por exemplo, a liberdade religiosa sempre foi respeitada, mesmo nas épocas das Cruzadas ou da Santa Inquisição.

e)  ( ) A notícia acima traz, igualmente, elementos indicadores de tolerância religiosa. A relação entre cristãos e muçulmanos no Mali, antes da invasão dos militantes da Al Qaeda, é um exemplo de tolerância, visto que até casamentos mistos ocorriam sem que fosse exigida a mudança de religião do cônjuge. Isso indica que é possível, portanto, a convivência pacífica entre membros de religiões “concorrentes”, desde que haja respeito mútuo entre elas. 

Disciplina:Cultura Religiosa1.519 materiais