A maior rede de estudos do Brasil

Neuragia ou neufralgia no nervo trigemio pior doença do mundo?

Alguém sabe me informar se existe algo atualizado sobre que existe uma cirurgia que não seja tão ariscada?

Minha mae tem essa doença a 5 anos e sofre por causa dela e toma 15 remedios por dia sendo que seu remedio é o segundo mais forte depois da MORFINA! ME AJUDA !

Patologia IPUC-RS

1 resposta(s)

User badge image

Clístenes

Há mais de um mês

Ainda é muito complicado o tratamento para esta patologia, mas existem 3 técnicas percutâneas que podem ajudar no tratamento. A primeira consiste em injetar uma substância química chamada glicerol, ou glicerina, ou propanotriol, e está sendo abandonada pelo alto índice de recidiva da dor que apresenta. A segunda, chamada de lesão por radiofrequência, foi iniciada em 1932 por um alemão que fazia uma eletrocoagulação. Portanto, ele queimava o nervo. A eletrocoagulação traz danos importantes ao paciente, porque provoca uma lesão não controlada. É como se carbonizássemos o nervo trigêmeo. Ele vai perder a sensibilidade e isso ninguém quer. Depois de certo tempo, na década de 1960, surgiu a radiofrequência que permitiu o controle da temperatura. Eu, particularmente, só indico a radiofrequência quando existe doença oncológica, ou seja, um tumor maligno. A terceira técnica é a que tem sido  mais utilizada. Consiste em introduzir um cateter em cuja extremidade existe um balãozinho que é insuflado e distendido por 50 segundos em média exatamente no gânglio que dá origem ao nervo trigêmeo (imagem abaixo). Feito isso, ele é esvaziado e retirado. A compressão feita em cima do gânglio interrompe a circulação por 50 segundos. Essa falta de circulação, como que imobiliza ou neutraliza a área que perdeu a bainha de mielina e faz desaparecer a dor em choque.

Ainda é muito complicado o tratamento para esta patologia, mas existem 3 técnicas percutâneas que podem ajudar no tratamento. A primeira consiste em injetar uma substância química chamada glicerol, ou glicerina, ou propanotriol, e está sendo abandonada pelo alto índice de recidiva da dor que apresenta. A segunda, chamada de lesão por radiofrequência, foi iniciada em 1932 por um alemão que fazia uma eletrocoagulação. Portanto, ele queimava o nervo. A eletrocoagulação traz danos importantes ao paciente, porque provoca uma lesão não controlada. É como se carbonizássemos o nervo trigêmeo. Ele vai perder a sensibilidade e isso ninguém quer. Depois de certo tempo, na década de 1960, surgiu a radiofrequência que permitiu o controle da temperatura. Eu, particularmente, só indico a radiofrequência quando existe doença oncológica, ou seja, um tumor maligno. A terceira técnica é a que tem sido  mais utilizada. Consiste em introduzir um cateter em cuja extremidade existe um balãozinho que é insuflado e distendido por 50 segundos em média exatamente no gânglio que dá origem ao nervo trigêmeo (imagem abaixo). Feito isso, ele é esvaziado e retirado. A compressão feita em cima do gânglio interrompe a circulação por 50 segundos. Essa falta de circulação, como que imobiliza ou neutraliza a área que perdeu a bainha de mielina e faz desaparecer a dor em choque.

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos estudantes