A maior rede de estudos do Brasil

O Direito Penal regula todas as condutas consideradas ilicitas? Por quê?

Pergunta sobre Penal I.


5 resposta(s)

User badge image

Tatiane

Há mais de um mês

Olá Daniele, tudo bem?

Sua pergunta é muito interessante. Porém, para respondê-la, alguns conceitos devem ser analisados.

Primariamente, Direito Penal. Sob seu aspecto formal, é o conjunto de normas taxativas previamente estabelecidas dispondo de comportamentos humanos a serem evitados, sob pena de sanção. Em aspecto material, é a proteção aos bens jurídicos mais importantes da sociedade.

Ilícito, segundo o Dicionário Online de Português, é o que se opõe ao que é lícito; contrário à lei; ilegal. Que se opõe aos princípios morais: comportamento ilícito. Característica ou particularidade daquilo que não é legal; inaceitável de acordo com a moralidade. Ação ilícita; ilicitude.

Portanto, observadas sob 2 aspectos, tenhos 2 respostas a sua pergunta.

O Direito penal, sob seu aspecto formal - como o conjunto taxativo de condutas ilícitas - e ilícito, como contrário a lei, a resposta à sua pergunta é SIM - o DP regula todas as condutas consideradas ilícitas. Porque, nesta vertente, uma conduta para ser considerada ilícita deve estar devidamente elencada na parte especial do Código Penal; ou seja, o que não estiver previamente taxado no CP não é ilícito.

O Direito Penal, sob seu aspecto material - como protetor dos bens jurídicos relevantes - e ilícito, como aquilo que se opõe aos princípios morais, a resposta é NÃO - o DP não regula todas as condutas consideradas ilícitas. Inicialmente, o nosso CP é de 1940, reformado em 1984, carregado de um monte de alterações aos longos dos anos - e precisando URGENTE de uma nova reforma que seja avultadamente eficaz. Isto porque o Direito, como Ciência Social Aplicada, não é estático; é essencialmente dinâmico, e muda com o variar do tempo, com o passar dos anos. Os valores sociais mudam, as necessidades humanas mudam - inclusive o aspecto criminal; novos atentados aos bens jurídicos fundamentais - que devem ser amparados pelo Estado - também surgem. Então, o Direito deve avançar no tempo para acompanhar estas mudanças e cumprir de forma plena o seu papel - de fazer Justiça, em todos os aspectos. Novas condutas - devidamente ILÍCITAS - vão surgindo a cada dia. Portanto, enquanto não houver uma eficiente reforma judiciária, o Direito Penal - atualmente - não consegue regular TODAS as condutas consideradas ilícitas.

Grande abraço para você!

Bons estudos.

Olá Daniele, tudo bem?

Sua pergunta é muito interessante. Porém, para respondê-la, alguns conceitos devem ser analisados.

Primariamente, Direito Penal. Sob seu aspecto formal, é o conjunto de normas taxativas previamente estabelecidas dispondo de comportamentos humanos a serem evitados, sob pena de sanção. Em aspecto material, é a proteção aos bens jurídicos mais importantes da sociedade.

Ilícito, segundo o Dicionário Online de Português, é o que se opõe ao que é lícito; contrário à lei; ilegal. Que se opõe aos princípios morais: comportamento ilícito. Característica ou particularidade daquilo que não é legal; inaceitável de acordo com a moralidade. Ação ilícita; ilicitude.

Portanto, observadas sob 2 aspectos, tenhos 2 respostas a sua pergunta.

O Direito penal, sob seu aspecto formal - como o conjunto taxativo de condutas ilícitas - e ilícito, como contrário a lei, a resposta à sua pergunta é SIM - o DP regula todas as condutas consideradas ilícitas. Porque, nesta vertente, uma conduta para ser considerada ilícita deve estar devidamente elencada na parte especial do Código Penal; ou seja, o que não estiver previamente taxado no CP não é ilícito.

O Direito Penal, sob seu aspecto material - como protetor dos bens jurídicos relevantes - e ilícito, como aquilo que se opõe aos princípios morais, a resposta é NÃO - o DP não regula todas as condutas consideradas ilícitas. Inicialmente, o nosso CP é de 1940, reformado em 1984, carregado de um monte de alterações aos longos dos anos - e precisando URGENTE de uma nova reforma que seja avultadamente eficaz. Isto porque o Direito, como Ciência Social Aplicada, não é estático; é essencialmente dinâmico, e muda com o variar do tempo, com o passar dos anos. Os valores sociais mudam, as necessidades humanas mudam - inclusive o aspecto criminal; novos atentados aos bens jurídicos fundamentais - que devem ser amparados pelo Estado - também surgem. Então, o Direito deve avançar no tempo para acompanhar estas mudanças e cumprir de forma plena o seu papel - de fazer Justiça, em todos os aspectos. Novas condutas - devidamente ILÍCITAS - vão surgindo a cada dia. Portanto, enquanto não houver uma eficiente reforma judiciária, o Direito Penal - atualmente - não consegue regular TODAS as condutas consideradas ilícitas.

Grande abraço para você!

Bons estudos.

User badge image

Christopher

Há mais de um mês

Não, dentre as funções do Direito Penal nenhuma delas é regular todas as condutas ilicitas, uma vez que vários ramos do Direito possuem seus respectivos conteúdos que especificam seus atos ilícitos, como o Direito Civil.

 

O Direito Penal serve para promover responsabilidade penal para os infratores e deferir/indeferir punibilidade para os mesmos, no entanto, a responsabilidade penal só é utilizada no caso de desrespeito à bens jurídicos considerados mais importantes, seja patrimonialmente, seja à vida e à dignidade da pessoa humana, vide o princípio da subsidiariedade do Direito Penal.

User badge image

Paulo

Há mais de um mês

Não. O direito penal regula somente as condutas lesivas a bem jurídicos-penais. (bem é algo que trás uma utilidade ao homem. No significado de jurídico-penal é que somente os comportamentos definidos como crime pela norma penal incriminadora, como a vida, liberdade o patrimônio,etc.).

Todavia, para uma melhor compreensão, faz-se mister a diferenciação ente o ilícito penal e o ilícito dos demais ramos do direito, (ilícito civil, ilícito administrativo, etc.). O ilícito penal é o mais grave de todos estes, pois impõe as sanções mais graves dentre as possíveis no ordenamento jurídico. Será um ilícito penal somente as lesões mais graves aos bens jurídicos essenciais a vida em sociedade. Aqui, portanto, reside a principal diferença entre os ilícitos, pois, em sua definição ilícito é toda conduta humana contrária ao ordenamento jurídico.

Em suma, ele regula condutas ilícitas, mas não TODAS, já que, no conceito tripartido de crime, mesmo um fato típico e ilícito, ainda não é crime pois falta o elemento culpabilidade, que é um juízp de reprovabilidade que recai sobre o agente.

Para exemplificar: A mata B. É um fato típico, pois resulta de proibição de uma norma imposta no art.121, cp. É uma conduta ilícita, pois não há nenhuma norma penal permissiva justificante, como a do art. 23, inc. I,II e III, a saber: estrito cumprimento do dever legal, estado de necessidade e legitima defesa. (Há ainda o exercício regular de direito como justificante do fato típico).

Todavia, falta o elemento culpabilidade para atribuir o injusto típico ao agente. A culpabilidade, por sua vez, é formada por: exigibilidade de conduta adversa, imputabilidade e potencial consciência do ilícito.

No exemplo em tela, se A é menor de idade, não haverá o crime, pois falta o terceiro elemento do conceito de crime, a culpabilidade.

 

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos estudantes