A maior rede de estudos do Brasil

Quanto ao tempo, os contratos se classificam em


3 resposta(s)

User badge image

janaina monteiro matos

Há mais de um mês

Quanto ao tempo, os contratos se classificam em?

Quanto ao tempo, os contratos se classificam em?

User badge image

Jú Santos

Há mais de um mês

públicos e privados
User badge image

Leonardo Gomes de Aquino

Há mais de um mês

VEja em https://ambitojuridico.com.br/cadernos/direito-civil/uma-analise-poliedrica-acerca-da-classificacao-dos-contratos/

Contrato quanto ao tempo de Execução: Instantâneo ou de duração

3.11.1 Instantâneos

Compreendem as relações jurídicas contratuais cujos efeitos são produzidos de uma só vez. (ex. Contrato de compra e venda à vista)

3.11.2 Duração

Pelo menos uma das relações jurídicas de realização do contrato se dá no futuro ou de forma periódica no tempo. O contrato de duração se dá de forma deferida ou continuada (trato sucessivo): 1) Execução diferida: ocorre quando a execução é adiada para outro momento ou subordinada a termo (ex. compra e venda a prazo); 2) execução continuada: ocorre quando as prestações são cumpridas em etapas durante um período de tempo (ex. locação).

3.11.2.1 Execução diferida

De execução diferida ou retardada é aquele em que a prestação de uma das partes não se dá de uma só forma, porém a termo, não ocorrendo a extinção da obrigação enquanto não se completara prestação.

3.11.2.2 Execução Continuada

De execução sucessiva ou de trato sucessivo, ou execução continuada, como denominado no art. 478, do CC, é o contrato que sobrevive, com a persistência da obrigação, muito embora ocorram soluções periódicas, até que, pelo implemento de uma condição, ou decurso de um prazo, cessa o próprio contrato. O que a caracteriza é o fato de que os pagamentos não geram a extinção da obrigação, que renasce. A duração ou continuidade da obrigação não é simplesmente suportada pelo credor, mas é querida pelas partes contratantes. Caso típico é a locação, em que a prestação do aluguel não tem efeito liberatório, senão do débito correspondente a período determinado, decorrido ou por decorrer, porque o contrato continua até a ocorrência de uma causa extintiva. Outro é o contrato de fornecimento de mercadorias, em que o comprador paga por período, persistindo, entretanto a obrigação do vendedor, quanto a novas remessas, e do comprador quanto à liquidação respectiva.

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos estudantes