A maior rede de estudos do Brasil

O que é uma coisa Positivada?

Coisa tipo uma constituição, uma lei...


7 resposta(s) - Contém resposta de Especialista

User badge image

Passei Direto

Há mais de um mês

A Positivação, representa o nascimento do elemento mais incisivo e prevalecente para tomada de decisões em Sociedade, justamente o Texto Normativo, ou seja, uma construção gramatical que limita a liberdade de manobra de atuação das pessoas em Sociedade, amarrando as expectativas quanto às consequências de ações dentro da tradição interpretativa de sua construção semântica

Um determinado preceito positivo não se confunde com a Norma Jurídica resultante, a qual depende do contexto e dos demais elementos incidentes na atividade interpretativa, de modo a recomendar que o cientista do Direito (e notadamente os profissionais da área) não troquem inadvertidamente um conceito por outro, da mesma forma que a prática da experiência os ensinou a evitar confundir outros conceitos aparentemente intercambiáveis, como os de processo e procedimento ou de discricionariedade e arbitrariedade.

Ademais, podem existir Normas Jurídicas independentemente da existência de um dispositivo escrito, desde que não haja previsão positiva específica pertinente para resolução de determinado caso concreto, hipótese em que o intérprete e aplicador empregará outras Fontes Jurídicas para deliberar (principiologia, precedentes jurisprudenciais, ensinamentos doutrinários etc). Com efeito, “o importante é que não existe correspondência entre norma e dispositivo, no sentido de que sempre houver um dispositivo haverá uma norma, ou sempre que houver uma norma deverá haver um dispositivo que lhe sirva de suporte”

Referência

ÁVILA, Humberto. Teoria dos princípios: da definição à aplicação dos princípios jurídicos. 10 ed. São Paulo: Malheiros, 2009.

 

GÜNTHER, Klaus. Teoria da argumentação no direito e na moral: justificação e aplicação. Tradução de: Claudio Molz. São Paulo: Landy, 2004. Título original: Der Sinn fur Angemessenheit: Anwendungsdiskurse in Moral und Recht.

 

PASOLD, Cesar Luiz. Metodologia da pesquisa jurídica: teoria e prática. 12 ed. rev. São Paulo: Conceito, 2011.

 

POSNER, Richard Allen. Direito, pragmatismo e democracia. Tradução de: Teresa Dias Carneiro. Rio de Janeiro: Forense, 2010. Título original: Law, pragmatism and democracy.

 

_____. Problemas de filosofia do direito. Tradução de: Jefferson Luiz Camargo. São Paulo: Martins Fontes, 2007. Título original: The problems of jurisprudence.

 

WARAT, Luis Alberto. O direito e sua linguagem. 2 ed. Porto Alegre: Sérgio Antônio Fabris, 1995.

ZANON JUNIOR, Orlando Luiz. Direitos humanos e moral: os valores morais nas fases de positivação e de aplicação dos direitos humanos. Sequência, Florianópolis. n. 60, p. 109-132, 2010. 

 

A Positivação, representa o nascimento do elemento mais incisivo e prevalecente para tomada de decisões em Sociedade, justamente o Texto Normativo, ou seja, uma construção gramatical que limita a liberdade de manobra de atuação das pessoas em Sociedade, amarrando as expectativas quanto às consequências de ações dentro da tradição interpretativa de sua construção semântica

Um determinado preceito positivo não se confunde com a Norma Jurídica resultante, a qual depende do contexto e dos demais elementos incidentes na atividade interpretativa, de modo a recomendar que o cientista do Direito (e notadamente os profissionais da área) não troquem inadvertidamente um conceito por outro, da mesma forma que a prática da experiência os ensinou a evitar confundir outros conceitos aparentemente intercambiáveis, como os de processo e procedimento ou de discricionariedade e arbitrariedade.

Ademais, podem existir Normas Jurídicas independentemente da existência de um dispositivo escrito, desde que não haja previsão positiva específica pertinente para resolução de determinado caso concreto, hipótese em que o intérprete e aplicador empregará outras Fontes Jurídicas para deliberar (principiologia, precedentes jurisprudenciais, ensinamentos doutrinários etc). Com efeito, “o importante é que não existe correspondência entre norma e dispositivo, no sentido de que sempre houver um dispositivo haverá uma norma, ou sempre que houver uma norma deverá haver um dispositivo que lhe sirva de suporte”

Referência

ÁVILA, Humberto. Teoria dos princípios: da definição à aplicação dos princípios jurídicos. 10 ed. São Paulo: Malheiros, 2009.

 

GÜNTHER, Klaus. Teoria da argumentação no direito e na moral: justificação e aplicação. Tradução de: Claudio Molz. São Paulo: Landy, 2004. Título original: Der Sinn fur Angemessenheit: Anwendungsdiskurse in Moral und Recht.

 

PASOLD, Cesar Luiz. Metodologia da pesquisa jurídica: teoria e prática. 12 ed. rev. São Paulo: Conceito, 2011.

 

POSNER, Richard Allen. Direito, pragmatismo e democracia. Tradução de: Teresa Dias Carneiro. Rio de Janeiro: Forense, 2010. Título original: Law, pragmatism and democracy.

 

_____. Problemas de filosofia do direito. Tradução de: Jefferson Luiz Camargo. São Paulo: Martins Fontes, 2007. Título original: The problems of jurisprudence.

 

WARAT, Luis Alberto. O direito e sua linguagem. 2 ed. Porto Alegre: Sérgio Antônio Fabris, 1995.

ZANON JUNIOR, Orlando Luiz. Direitos humanos e moral: os valores morais nas fases de positivação e de aplicação dos direitos humanos. Sequência, Florianópolis. n. 60, p. 109-132, 2010. 

 

User badge image

Huggo

Há mais de um mês

Coisa positivada é qualquer norma que está expresso, escrito no nosso ordenamento juridico, desde uma emenda à constituição até um decreto.

Coisa positivada está ligada à coisa escrita, com validade dentro do ordenamento juridico.

User badge image

Tatiane

Há mais de um mês

Olá João! Tudo bem?

Positivada, em Direito, significa ESCRITA; concreto, gravado. Pense que o Direito Positivo é o conjunto de normas de um determinado ordenamento jurídico que rege um povo em um determinado território, em uma época espefíca, diretamente ligado ao conceito de VIGÊNCIA

Bons estudos para você!

User badge image

Ely

Há mais de um mês

Positivada é tudo aquilo que está POSTO, escrito, gravado. No início tinhamos somente o Direito Natural, que é o Direito inerente a natureza humana, direitos inerentes ao homem: direito à vida, à liberdade, etc...geralmente baseados em costumes (Direito Consuetudinário) e na Moral, inobstante, com o passar dos tempos a humanidade sentiu a necessidade de Normatizar estes e outros direitos, e começou a Positivá-los (escrevê-los) para dar uma maior segurança jurídica, assim ninguém poderia alegar que desconhecia o Direito para a praticar um crime. A necessidade de coerção da norma, fez surgir o Direito Positivo. Mas isso não quer dizer, que o direito positivo, seja contraditório ao Direito Natural, muito pelo contrário, um alia-se ao outro com o intuito de atingir o DEVER SER do Direito.

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos especialistas