A maior rede de estudos do Brasil

Por que usar azul de Metileno para viabilidade celular em Leveduras?

Microbiologia

USP-LN


3 resposta(s) - Contém resposta de Especialista

User badge image

RD Resoluções Verified user icon

Há mais de um mês

Em análise de amostras de microrganismos, o azul de metileno é um dos compostos químicos mais utilizados devido a algumas propriedades que apresenta.

Uma dessas propriedades é o fato de que o azul de metileno assume coloração azul quando em solução aquosa. No caso das leveduras vivas, estas têm algumas enzimas que conseguem reduzir o azul de metileno causando a sua descoloração. Logo, a sua utilização em testes de viabilidade celular de leveduras é bem-vinda, já que as leveduras mortas ficarão coradas de cor azul.

Portanto, a razão de se utilizar azul de metileno para a viabilidade celular de leveduras é que as enzimas das leveduras vivas reduzem o azul de metileno a um composto incolor.

Em análise de amostras de microrganismos, o azul de metileno é um dos compostos químicos mais utilizados devido a algumas propriedades que apresenta.

Uma dessas propriedades é o fato de que o azul de metileno assume coloração azul quando em solução aquosa. No caso das leveduras vivas, estas têm algumas enzimas que conseguem reduzir o azul de metileno causando a sua descoloração. Logo, a sua utilização em testes de viabilidade celular de leveduras é bem-vinda, já que as leveduras mortas ficarão coradas de cor azul.

Portanto, a razão de se utilizar azul de metileno para a viabilidade celular de leveduras é que as enzimas das leveduras vivas reduzem o azul de metileno a um composto incolor.

User badge image

Estudante PD

Há mais de um mês

6.1.1.1 Técnica de coloração com azul de metileno ou 
 eritrosina
 A técnica de coloração com azul de metileno consiste em se misturar partes 
 
 iguais da suspensão de levedura (amostra), adequadamente diluída, e da 
 
 solução corante (azul de metileno). As células com alta atividade fisiológica 
 
 não se colorem, enquanto as células inativas (mortas) apresentam-se colo-
 
 ridas de azul. A técnica de coloração com eritrosina é a mesma, entretanto, 
 
 nesse caso, as células não viáveis colorem-se de rosa intenso. A porcenta-
 
 gem ou o número de células viáveis é determinado transferindo-se com uma 
 
 pipeta de Pasteur a amostra para a câmara de Neubauer.
 

Isso ocorre por que levedura inviavel ou morta a membrana plasmática perde a permeabilidade seletiva
ao meio esterno e se colore.
fonte:LEE, S. S.; ROBINSON, F. M.; WANG, H. Y.; Rapid determination of east viability. Biotechnology Bioengineering Symposium, v.11, p. 641-649, 1981.

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos especialistas