A maior rede de estudos do Brasil

Responsabilidade Civil e Penal dos pais em relação ao filho emancipado

Se o filho emancipado, pela concessão dos pais, pelo casamento, pelo exercicio de emprego público efeitivo ou pela colação de grau em curso de ensino superior, comete um ato ilícito ele responde apenas civilmente e os pais penalmente ou responde penal e civilmente por seus atos. Por exemplo o filho de 16 anos adquire um carro. Sem carteira de motorista ele dirige alcoolizado em alta velocidade por uma via principal, fura o sinal vermelho, acaba atropelando e matando uma moça que atravessava a via de motocicleta. O pai teria algum tipo de responsabilidade? 

Direito Civil IV

ISEPE RONDON


3 resposta(s)

User badge image

Otavio Silva

Há mais de um mês

Se emancipou já era...cada um por si! Abraço;

Se emancipou já era...cada um por si! Abraço;

User badge image

Anderson Dorneles

Há mais de um mês

Olha, não é um assunto ainda pacificado na doutrina e nos Tribunais. Há doutrinadores que defendem a responsabilização dos pais quando comprovada má-fé na emancipação (ex: emancipar o filho para fugir de responsabilidades por delitos que ele venha a ocorrer), e há também doutrinadores que entendem não haver exceções para o instituto da emancipação. Nas decisões é o mesmo conflito: ora entendem pela não responsabilização dos pais, ora entendem que pode ocorrer quando comprovada má-fé. Um possível meio-termo nos Tribunais seria a distância temporal entre o delito e a emancipação (STJ RESP Nº 764.488 - MT 2005/0110301-9; Relator: Honildo Amaral de melo Castro). Enfim, segundo este artigo (link abaixo), é uma questão controvertida:
http://www.ambito-juridico.com.br/site/index.php/?n_link=revista_artigos_leitura&artigo_id=11403&revista_caderno=7

Bons estudos!

User badge image

Júnior Oliveira

Há mais de um mês

emancipação é o instituto por meio do qual o indivíduo alcança a maioridade civil de forma antecipada, nos termos do art. 5º, § único, CC:

Art. 5o A menoridade cessa aos dezoito anos completos, quando a pessoa fica habilitada à prática de todos os atos da vida civil.

Parágrafo único. Cessará, para os menores, a incapacidade:

I - pela concessão dos pais, ou de um deles na falta do outro, mediante instrumento público, independentemente de homologação judicial, ou por sentença do juiz, ouvido o tutor, se o menor tiver dezesseis anos completos;

II - pelo casamento;

III - pelo exercício de emprego público efetivo;

IV - pela colação de grau em curso de ensino superior;

V - pelo estabelecimento civil ou comercial, ou pela existência de relação de emprego, desde que, em função deles, o menor com dezesseis anos completos tenha economia própria.

Ocorre que essa maioridade não é penal, sendo estritamente aplicável aos atos da vida civil. Dessa maneira, os pais seguem responsáveis por atos penalmente imputáveis.

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos estudantes