A maior rede de estudos do Brasil

Preciso do conceito de Prescrição e Decadência e Exemplos.


2 resposta(s) - Contém resposta de Especialista

User badge image

Carlos Eduardo Ferreira de Souza Verified user icon

Há mais de um mês

Decadência é a perda do direito pelo seu não exercício por lapso temporal estabelecido em lei ou contrato.

Já na prescrição, subsiste o direito, mas se extingue a pretensão, que é o direito de exigir por meios coercitivos o cumprimento, que poderia se dar de forma voluntária, não podendo aquele que prestou direito cuja pretensão estava prescrita requerer qualquer reparo por isso.

Ademais, a decadência poderá ser legal ou convencional, enquanto a prescrição só poderá ser legal.

A prescrição admite causas de interrupção e suspensão, enquanto a decadência não admite (existe exceção no Código de Defesa do Consumidor).

A prescrição admite renúncia, após sua ocorrência, podendo ser tácita (quando age voluntariamente para o adimplemento) ou expressa (quando assim reconhece).

A decadência, quando legal, é irrenunciável. Já a decadência convencional é renunciável, quando já configurada.

 

Exemplificando:

O direito de requerer a reparação civil prescreve em 3 anos. Sendo assim, passados 3 anos, não se admitirá a cobrança em juízo, mas nada impede que a parte cumpra voluntariamente a obrigação, nada podendo exigir de volta.

Já o direito de anular um negócio jurídico pelo vício de dolo decai em 4 anos. Ao anular o negócio, as partes não precisarão cumprir as obrigações nele contidas. Entretanto, se não requererem a anulação no prazo de 4 anos, com ou sem vício o negócio deverá ser cumprido, pois independe da vontade da parte que inicialmente lesou a outra a desconsideração do negócio, pois deixa de existir o direito e não apenas o poder de exigi-lo.

Decadência é a perda do direito pelo seu não exercício por lapso temporal estabelecido em lei ou contrato.

Já na prescrição, subsiste o direito, mas se extingue a pretensão, que é o direito de exigir por meios coercitivos o cumprimento, que poderia se dar de forma voluntária, não podendo aquele que prestou direito cuja pretensão estava prescrita requerer qualquer reparo por isso.

Ademais, a decadência poderá ser legal ou convencional, enquanto a prescrição só poderá ser legal.

A prescrição admite causas de interrupção e suspensão, enquanto a decadência não admite (existe exceção no Código de Defesa do Consumidor).

A prescrição admite renúncia, após sua ocorrência, podendo ser tácita (quando age voluntariamente para o adimplemento) ou expressa (quando assim reconhece).

A decadência, quando legal, é irrenunciável. Já a decadência convencional é renunciável, quando já configurada.

 

Exemplificando:

O direito de requerer a reparação civil prescreve em 3 anos. Sendo assim, passados 3 anos, não se admitirá a cobrança em juízo, mas nada impede que a parte cumpra voluntariamente a obrigação, nada podendo exigir de volta.

Já o direito de anular um negócio jurídico pelo vício de dolo decai em 4 anos. Ao anular o negócio, as partes não precisarão cumprir as obrigações nele contidas. Entretanto, se não requererem a anulação no prazo de 4 anos, com ou sem vício o negócio deverá ser cumprido, pois independe da vontade da parte que inicialmente lesou a outra a desconsideração do negócio, pois deixa de existir o direito e não apenas o poder de exigi-lo.

User badge image

Felipe Barbosa

Há mais de um mês

Na prescrição ocorre a perda do direito da pretensão.

Na decadência ocorre a perda do direito potestativo.

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos especialistas