A maior rede de estudos do Brasil

O que é hidrocefalia?

Gostaria de saber sobre essa doença. O que é, causa e consequências para a saúde.

Fisiologia Humana I

Humanas / Sociais


3 resposta(s)

User badge image

Ariele Costa

Há mais de um mês

Existem processos patológicos que interferem na produção, circulação e absorção do liquor, causando as chamadas hidrocefalias. Estas se caracterizam por um aumento da quantidade e da pressão do liquor, levando a uma dilatação dos ventrículos e compressão do tecido nervoso de encontro ao estojo ósseo, com conseqüências muito graves. Às vezes a hidrocefalia ocorre durante a vida fetal, geralmente em decorrência de anomalias congênitas do sistema ventricular. Nesses casos, como os ossos do crânio ainda não estão soldados, há grande dilatação da cabeça da criança, o que freqüentemente dificulta o parto. Existem dois tipos de hidrocefalias: comunicantes e não-comunicantes. As hidrocefalias comunicantes resultam de um aumento na produção ou deficiência na absorção do liquor, devidos a processos patológicos dos plexos corióides ou dos seios da dura-máter e granulações araenóideas. As hidrocefalias não-comunicantes são muito mais freqüentes e resultam de obstruções no trajeto do liquor, o que pode ocorrer nos seguintes locais:

a) forame interventricular, provocando dilatação do ventriculo lateral correspondente:

b) aqueduto cerebral, provocando dilatação do III ventriculo e dos ventrículos laterais;

c) aberturas mediana e laterais do IV ventriculo, provocando dilatação de todo o sistema ventricular; 

d) incisura da tenda, impedindo a passagem do liquor do compaitimento infratentorial para o supratentorial, provocando também dilatação dc todo o sistema ventricular.

Existem vários procedimentos cirúrgicos visando diminuir a pressão liquóriea nas hidrocefalias. Pode-se drenar o liquor por meio de um cateter, ligando um dos ventrículos cerebrais à veia jugular interna, ao átrio direito ou à cavidade peritoneal.

 

Referência: MACHADO, Angelo. Neuroanatomia Funcional. 2ª ed. São Paulo: Atheneu, 2004. 363 p.

Existem processos patológicos que interferem na produção, circulação e absorção do liquor, causando as chamadas hidrocefalias. Estas se caracterizam por um aumento da quantidade e da pressão do liquor, levando a uma dilatação dos ventrículos e compressão do tecido nervoso de encontro ao estojo ósseo, com conseqüências muito graves. Às vezes a hidrocefalia ocorre durante a vida fetal, geralmente em decorrência de anomalias congênitas do sistema ventricular. Nesses casos, como os ossos do crânio ainda não estão soldados, há grande dilatação da cabeça da criança, o que freqüentemente dificulta o parto. Existem dois tipos de hidrocefalias: comunicantes e não-comunicantes. As hidrocefalias comunicantes resultam de um aumento na produção ou deficiência na absorção do liquor, devidos a processos patológicos dos plexos corióides ou dos seios da dura-máter e granulações araenóideas. As hidrocefalias não-comunicantes são muito mais freqüentes e resultam de obstruções no trajeto do liquor, o que pode ocorrer nos seguintes locais:

a) forame interventricular, provocando dilatação do ventriculo lateral correspondente:

b) aqueduto cerebral, provocando dilatação do III ventriculo e dos ventrículos laterais;

c) aberturas mediana e laterais do IV ventriculo, provocando dilatação de todo o sistema ventricular; 

d) incisura da tenda, impedindo a passagem do liquor do compaitimento infratentorial para o supratentorial, provocando também dilatação dc todo o sistema ventricular.

Existem vários procedimentos cirúrgicos visando diminuir a pressão liquóriea nas hidrocefalias. Pode-se drenar o liquor por meio de um cateter, ligando um dos ventrículos cerebrais à veia jugular interna, ao átrio direito ou à cavidade peritoneal.

 

Referência: MACHADO, Angelo. Neuroanatomia Funcional. 2ª ed. São Paulo: Atheneu, 2004. 363 p.

User badge image

Mário Vinicius Coelho

Há mais de um mês

Obrigado Ariene, foi mais do que eu precisava, mas ficou bastante explicativo assim!

User badge image

Vanquiria Klipel

Há mais de um mês

Hidrocefalia é o acúmulo de líquido no cérebro. Este líquido, chamado liquor ou líquido cefalorraquidiano, é produzido pelo próprio cérebro e circula por todo o sistema nervoso central, inclusive pela coluna vertebral, retornando ao cérebro para ser reabsorvido. 

A função do liquor é proteger e hidratar o cérebro e a medula espinhal. Porém, quando há algum distúrbio na produção, circulação ou absorção desse líquido, pode surgir a hidrocefalia.

A grande maioria dos casos de hidrocefalia ocorre devido a problemas na absorção do liquor, o que aumenta a quantidade de líquido no interior do cérebro.

volume normal de líquido cefalorraquidiano em adultos varia entre 100 ml e 150 ml, enquanto que em bebês fica entre 40 ml e 60 ml.

A hidrocefalia pode surgir antes do nascimento, durante a infância ou na idade adulta, por diversas causas.

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos estudantes